Escola de Ubatuba Inicia Trabalhos Visando Novo Satélite

Olá leitor!

Recebi ontem (05/09), com grande satisfação, um e-mail do professor Cândido Moura da Escola Municipal Tancredo Neves, de Ubatuba (SP), informando que foi iniciado nessa escola o trabalho com uma nova turma de alunos do 6° ano (10 anos de idade) visando a construção do segundo satélite (tubesat) do Projeto UbatubaSat, este agora denominado de “Trancredo II”.

Ainda segundo o professor Cândido, já quanto ao lançamento do tubesat “Tancredo I”, este está agora previsto para ocorrer no primeiro semestre de 2013 através do foguete IOS N5 da empresa americana Interorbital Systems.

Abaixo segue as fotos da reunião com os alunos ocorrida na escola dia 13/08, sendo que no mesmo dia foi realizada outra reunião com os seus pais. Caso o leitor queira ter maiores informações sobre o Projeto UbatubaSat, visite o site dessa iniciativa pelo link: http://www.tancredoubatuba.com.br/ubatubasat/.

Duda Falcão

Reunião com os alunos - 13/08/2012


Fonte: Projeto UbatubaSat

Comentários

  1. Esta notício, claro chamou muito a atenção !

    No entanto, sou obrigado a analisá-la sob duas óticas um pouco diferentes.

    Primeiro a iniciativa. Estão de parabéns todos os envolvidos. A integração com o pessoal do LIT do INPE é fundamental, a estratégia baseada em PBL(Problem Based Learning) é um enorme avanço em termos pedagógicos, tudo de bom !

    Já quanto a implementação, eu já conhecia o nome da INTERORBITAL SYSTEMS, de pesquisas anteriores, e o que está ocorrendo na verdade, é que na melhor das hipóteses os adquirentes do "kit" estão financiando o desenvolvimento de um novo foguete lançador de satélites por essa empresa americana. Retornando ao site da mesma agora, me deparei basicamente com as mesmas fotos inconclusivas sobre a "infra estrutura" da mesma aqui.

    Além disso constatei a mesma "visão artística" do futuro lançador, que eu já havia visto algus anos atrás, aqui.

    Espero sinceramente que o projeto dos, agora 2, satélites obtenha êxito, mas sugiro fortemente um exame mais detalhado, in loco, se não diretamente, ao menos através de algum conhecido nos Estados Unidos que possa se deslocar até lá.

    Boa sorte.

    ResponderExcluir
  2. Olá Marcos!

    Também acho essa iniciativa do professor Cândido Moura extraordinária e venho apoiando na divulgação desde que a notícia saiu na mídia pela primeira vez. Entretanto, concordo contigo e também tenho dúvidas quanto aos prazos estabelecidos por essa empresa americana, e confesso que estou preocupado com o que pode acabar acontecendo, já que estamos mexendo com a expectativas de crianças. Quanto a sua sugestão de um exame in loco, uma delegação formada por professores e alunos na companhia do Secretário de Educação da Prefeitura de Ubatuba, estiveram nos EUA de 13 a 20/04 desse ano visitando as instalações da empresa (veja a nota: "Alunos de Ubatuba Visitam Interorbital e JPL da NASA").

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Bem lembrado, inclusive na foto podemos ver a CEO da empresa junto com os alunos e professores em frente ao veículo de teste CPM.

    No entanto, os testes "finais" estavam previstos para 2011, e segundo o planejamento original, seriam 4 lançamentos em órbita em 2012...

    O Common Propulsion Module (CPM), é a base de todo o projeto do lançador deles, e na prática, até agora, não vi nem fotos nem, muito menos, vídeos de sequer UM lançamento desse módulo. Se ele nunca voou, como eles podem estar anunciando colocar cargas em órbita já em 2013, se o produto final envolve um modelo com 9 CPMs montados em "penca" ??

    #tenso...

    ResponderExcluir
  4. Olá Marcos!

    Creio que você esteja se referindo ao IOS N9, entretanto agora o foguete previsto para ser usado nessa missão é o IOS N5. Assim sendo, devo concluir que esse modelo previsto deve ser formado por 5 CPMs. Sei não amigo, acho que infelizmente essa novela terá ainda vários capítulos.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  5. A Interorbital Systems aparenta estar em um estágio avançado de desenvolvimento, porém fico preocupado com o fato de estarem utilizando a venda desses kits/lançamento para captar recursos.

    Observando este link fiquei ainda mais receoso devido a magnitude da proposta,a qual creio ser difícil de ser cumprida.
    http://www.interorbital.com/Launch%20Manifest%20Page%20_1.htm



    ResponderExcluir
  6. Olá Andre Vitor!

    Pois é amigo, temo que essa empresa não venha cumprir o acordado devido justamente a essa venda de kit/lançamento para captar recursos. Note que a lista deles de clientes (manisfesto de lançamento) praticamente não tem aumentado desde o final 2010, o que pode significar desconfiança do mercado e consequentemente a falta de recursos. É realmente bastante preocupante.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  7. Depois da divulgação dessa excelente iniciativa, estive pesquisando (novamente) bastante sobre a dita empresa, e as notícias não são muito animadoras. Tudo em relação a ela que se encontra é "notícia antiga".

    Partes do projeto, são bem interessantes, como o uso de câmaras de combustão feitas de material não abrasivo, o conceito de desenvolver uma base propulsora e a partir dela, ir montando propulsores mais potentes simplesmente adicionando mais unidades em "penca" é bem consistente. O próprio "TubeSat" é uma idéia muito legal.

    O grande problema é em relação ao andamento do projeto do lançador. Pelas informações disponíveis, os únicos testes reais feitos até o momento foram a MUITOS anos atrás, basta usar o Google com "INTERORBITAL SYSTEMS" para constatar que não há nada de novo.

    Por outro lado, continuo afirmando que a iniciativa é louvável e independente de tudo isso deve ser mantida. Quem sabe podemos ajudar a encontrar alternativas, quem sabe até nacionais?

    Temos aqui o projeto do lançador PI, quem sabe ?

    ResponderExcluir
  8. Aqui em Ubatuba estamos todos otimistas,e,animados com o projeto,e,agora com a nova turma,espero que as crianças não leiam seus comentarios.
    Lamentável!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial