Grupo Brasileiro Participa Com Sucesso da Reunião da Colaboração Dark Energy Survey

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (16/10) no site do “Laboratório Interinstitucional de e-Astronomia (LIneA)” destacando que entre os dias 29/09 e 04/10 grupo brasileiro participou com sucesso da reunião da colaboração Dark Energy Survey.

Duda Falcão

Grupo Brasileiro Participa Com Sucesso da
Reunião da Colaboração Dark Energy Survey

16/10/2013

Entre os dias 29 de Setembro e 4 de Outubro de 2013 foi realizada a 19ª reunião internacional da colaboração Dark Energy Survey (DES). A reunião que teve lugar num hotel situado nas escarpas beirando o Mar Mediterrâneo, na cidade de Sant Feliu de Guixols, contou com a participação de cerca de 150 cientistas que apresentaram 26 mini-conferências plenárias e cerca e 70 apresentações de tópicos científicos específicos, distribuídos em 11 Grupos de Trabalho. Esta reunião coincide com o início efetivo do levantamento, e nela foram feitas várias apresentações discutindo a qualidade e apresentando os primeiros resultados usando os dados acumulados durante o período de “verificação científica”, o que por si só já representa um dos maiores levantamentos fotométricos do seu tipo.

Sessão plenária da reunião da colaboração DES
em Sant Feliu de Guixols, Espanha.
Maioria do cientistas presentes na reunião da colaboração DES.

A participação do grupo DES-Brazil nesta reunião foi marcada com diversos indicadores de uma bem sucedida atuação brasileira no projeto. O Portal Científico desenvolvido pelo Laboratório Interinstitucional de e-Astronomia é cada vez mais referenciado como a plataforma para as atividades de verificação da qualidade dos dados, pré-redução, repositório de códigos científicos, gerador e repositório de catálogos com valor científico agregado e local para execução dos projetos chaves da colaboração.

Luiz Nicolaci da Costa apresenta a última versão
do Portal Científico em reunião plenária.
Marcio Maia apresenta resultados obtidos com o Portal
Científico no Grupo de Trabalho de Evolução de Galáxias.

O grupo brasileiro teve um destaque especial no Grupo de Trabalho de Teoria, tendo sido o único a recuperar corretamente a cosmologia utilizada para simulação de dados, num desafio elaborado pelo projeto para testar ferramentas de análise desenvolvidas por diferentes grupos. Primeiros autores deste trabalho são dois bolsistas PCI do Observatório Nacional (Flávia Sobreira e Aurelio Carnero, não presentes na reunião) que teve ainda a colaboração de Fernado Simoni, Marcos Lima e seus estudantes e de Rogério Rosenfeld.

Membros do DES-Brazil presentes na reunião da colaboração
DES. Da esquerda para a direira: Eduardo Balbinot (UFRGS),
Michel Aguena (USP), Hugo Chavez (USP), Paulo Pellegrini (ON),
Ricardo Ogando (ON), Marcos Lima (USP), Luiz da Costa (ON),
Marcio Maia (ON), Julia Gschwend (ON) e Basilio Santiago (UFRGS).

Entre outros trabalhos, membros do DES-Brazil apresentaram um estudo comparativo entre distintos métodos para determinação de redshifts fotométricos, inovando com métodos que combinam diferentes códigos.

Julia Gschwend apresenta uma metodologia para estimar
redshifts fotométricos com média de diferentes métodos.
Paulo Pellegrini apresenta um método combinando
códigos para determinar redshifts fotométricos.

No grupo de trabalho relativo a Aglomerados de Galáxias, além de fornecermos um sistema para comparar o desempenho de diversos códigos para a identificação de aglomerados de galáxias através do portal científico, o DES-Brazil participa ativamente do processo de seleção da melhor metodologia de identificação desses sistemas, com um dos programas mais eficientes para esta finalidade desenvolvido por Christophe Benoist. Aglomerados de galáxias fazem parte de um dos quatro experimentos para entender os efeitos da energia escura.

Ricardo Ogando apresentou resultados
no Grupo de Trabalho de Aglomerados de Galáxias.
Basilo Santiago, Christophe Benoist e Luiz da Costa
conversam durante o banquete da reunião.

A liderança brasileira do Grupo de Trabalho de Arqueologia Galáctica está consolidada, trazendo novos elementos para o estudo da grande Nuvem de Magalhães (satélite da Via Láctea) alem da descoberta de novos satélites através de metodologia desenvolvida pelo grupo, já com os dados preliminares do projeto.

Basilio Santiago coordenador do Grupo de Trabalho de Arquelogia
Galáctica apresenta resumo das atividades em reunião plenária. 


Fonte: Site do LIneA - http://www.linea.gov.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial