Centro de Alcântara é Prioridade


Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia publicada dia (14/02) pelo jornal “Valeparaibano” destacando que o "Centro de lançamento de Alcântara (CLA)" é uma das principais prioridades da AEB.

Duda Falcão

Centro de Alcântara é Prioridade

Valeparaibano
14 de fevereiro de 2009


São José dos Campos - Uma das principais prioridades da AEB (Agência Espacial Brasileira) é concluir a construção da TMI (Torre Móvel de Integração) do Centro de Lançamento Alcântara (MA), para possibilitar o reinício dos testes de lançamento do Veículo Espacial Brasileiro.

Após um atraso de cerca de dois anos, motivado por pendências no processo de contratação das obras civis do empreendimento, os serviços começaram a ser executados no ano passado.

De acordo com o diretor de Política Espacial e Investimentos Estratégicos da AEB, Himilcon Carvalho, a execução do projeto foi iniciada em fevereiro de 2009. A expectativa é que os trabalhos sejam concluídos no final deste ano ou começo de 2011.

"O projeto segue o cronograma previsto. As obras civis, primeira etapa após o detalhamento dos projetos executivos, estão 70% concluídas", afirmou. Segundo Carvalho, o empreendimento está orçado em R$ 44,1 milhões.

A primeira estrutura da TMI foi totalmente destruída na explosão que aconteceu com o VLS (Veículo Lançador de Satélite) em agosto de 2003 e que resultou na morte de 21 técnicos e engenheiros.

A novo projeto contempla mais equipamentos de segurança. Ele prevê diferenciais importantes como uma área externa na estrutura que servirá para escape em caso de situação de emergência, o que não havia na torre destruída. O equipamento, uma espécie de tubo acolchoado, ligará a torre a uma sala subterrânea por meio de um túnel. Em caso de emergência, o pessoal que estiver trabalhando no complexo deverá utilizar o tubo para se abrigar na sala onde é possível permanecer vários dias isolados.

Outra novidade é que todos os procedimentos técnicos serão automatizados, sem a necessidade da presença de técnicos na estrutura.


Fonte: Jornal Valeparaibano - 14/02/2010

Comentário: A Torre Móvel de Integração (TMI) é um passo extremamente necessário para a consolidação do Programa Espacial Brasileiro. Por vários motivos, entre eles (em minha opinião pessoal) a grande incompetência administrativa das pessoas que conduziram desde o inicio a concorrência vencida pelo consorcio Jaraguá/Lavitta, essa obra encontar-se com um grande atraso e talvez só fique mesmo pronta para uso em 2011. Lamentável.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial