Crise Econômica Pode Atrasar Lançamento em Alcântara

Olá leitor!

Segue abaixo a quarta e última da série de matérias publicadas dia (23/11) no jornal “Valor Econômico” e postada na íntegra no portal “ClippingMP” do Ministério de Planejamento sobre a mal engenhada empresa Alcântara Cyclone Space (ACS), está destacando que a crise econômica da Ucrânia poderá atrasar o lançamento do foguete Cyclone-4 do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA).

Duda Falcão

Crise Econômica Pode Atrasar
Lançamento em Alcântara

Jornal Valor Econômico
23/11/2010

O prazo de 2014 para o lançamento experimental do foguete Cyclone-4, em Alcântara, deve ser visto com reservas. O projeto inicial da ACS era fazer o lançamento neste ano, a tempo de ajudar a impulsionar a candidatura de Dilma Rousseff. Vários problemas emperraram o andamento das obras. Agora, a crise econômica pela qual passa a Ucrânia é uma nuvem escura no horizonte.

O acordo Brasil-Ucrânia é de 2003, mas a Alcântara Cyclone Space, a ACS, só começou efetivamente a funcionar a partir de 2007. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o diretor-geral brasileiro, Roberto Amaral, que é do PSB, queriam fazer o primeiro lançamento neste ano, mas a realidade de Alcântara aos poucos foi se impondo aos desejos das autoridades.

Primeiro foram os quilombolas e suas áreas de morada dos "encantados". A negociação com seus representantes e com o Ministério Público demorou 14 meses. Ainda assim, praticamente toda Alcântara foi declarada área dos descendentes dos escravos. Além do Ministério Público e dos quilombolas, áreas do próprio governo ficaram ao lado dos nativos de Alcântara, caso do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

De acordo com dados da própria ACS, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do município de Alcântara é 0,6 inferior ao de países africanos como Gabão e Namíbia. O IDH do Maranhão é o pior do país. Apesar das carências, o mais provável é que Alcântara, considerado um dos locais de maior potencial para o lançamento de foguetes do planeta, devido a sua localização, perca os outros centros que a ACS planejava construir no município.

Com a decretação da área quilombola, a ACS teve de se abrigar numa área do Centro de Lançamentos de Alcântara, onde se desenvolve o projeto do Veículo Lançador de Satélites da Aeronáutica. É desse sítio que deve ser lançado o Cyclone-4, em 2014. Os demais centros que a ACS planejava construir devem migrar provavelmente para o litoral do Ceará, segundo estudos em andamento.

Além da negociação com os quilombolas, a ACS também precisou de mais de um ano para conseguir a licença de instalação, sem a qual não poderia dar início às obras. Agora, o que ameaça o cronograma do projeto é o atraso na integralização das parcelas da Ucrânia no capital da ACS. O capital é de cerca de R$ 980 milhões, sendo 50% de responsabilidade de cada país. Até agora, as partes integralizaram R$ 317,2 milhões, e o Brasil entrou com a maior parte: R$ 218,7 milhões. Ou seja, a participação da Ucrânia ainda não chegou à casa dos R$ 100 milhões. Para ser mais exato, R$ 98,5 milhões.

O país já amarga três tentativas frustradas de lançamento do VLS, em 26 anos. A crise econômica da Ucrânia, sem dúvida, constitui nova ameaça de atraso no projeto do Cyclone-4. Os ucranianos estão tentando resolver o problema com um empréstimo do Eximbank, ainda em negociação.

Próxima à linha do Equador, a localização de Alcântara é excepcional para o lançamento de satélites. Tem a vantagem também de se situar próxima ao litoral, o que favorece o descarte, no mar, de estágios e de material de eventual acidente. Mas também obedece ao regime amazônico de chuvas: ou seja, obras na região têm que ser realizadas nos seis meses de seca.


Fonte: Jornal Valor Econômico via Portal Clippingmp - http://clippingmp.planejamento.gov.br

Comentário: Na realidade leitor, o prazo de 2014 citado por essa matéria do jornal “Valor Econômico” não corresponde com o último prazo divulgado por essa mal engenhada empresa durante o evento de lançamento da “Pedra Fundamental” das obras do complexo terrestre do sítio de lançamento do foguete Cyclone-4 em 09/09 desse ano. Naquele momento foi divulgado que o primeiro lançamento (este de qualificação com o satélite japonês Nano-Jasmine abordo) seria feito de Alcântara no início de 2012 (veja a nota “Lançada Pedra Fundamental da Empresa ACS”). Com esse novo prazo vai atrasar ainda mais o cronograma, aumentando o custo e o desastre econômico anunciado dessa mal engenhada empresa. Dito de outra forma, quanto menos tempo durar o seu calvario melhor e quanto mais tempo durar pior será para o erário publico brasileiro, já que aumentará o rombo.

Comentários

  1. Agora a máscara o o manto da corrupção, estão caindo. A sociedade tem que se levantar contra estes pilantras, antes que a situação se agrave. JÁ É TARDE...Mas pode ser pior.
    Já torraram R$ 218,7 milhões !!!!

    ResponderExcluir
  2. Pois é Ricardo,

    E o valores que eles ainda pretendem torrar são três ou quatro vezes maiores que esses 218,7 milhões. Lamentável! O Ministério Público tem de se posicionar contra essa vergonha e responsabilizar judicialmente seus executores.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Ouviu o Barulho no Céu? Entenda o Fenômeno Que Assustou os Brasileiros no Último Final de Semana

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro