CLA Prepara-se Para Fase Inicial da Operação Maracati II

Olá leitor!

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) prepara-se para lançar no próximo dia 04/12, o foguete de origem norte-americana Improved Orion V3, como parte da "Operação Maracati II”, que tem previsão de durar aproximadamente 30 dias.

Esta operação teve inicio no dia 16/11 e tem como objetivo lançar e rastrear em sua fase inicial o foguete Orion V3 e o foguete VSB-30 V7 brasileiro em sua segunda fase.

Nesta fase inicial, o lançamento do foguete Orion V3 terá como finalidade o treinamento e preparação do CLA para o lançamento principal do VSB-30 V7.

Já o lançamento do VSB-30 terá como objetivo a monitoração e recuperação de sua carga útil, denominada MicroG1A, da Agência Espacial Alemã (DLR Moraba), na qual serão embarcados sob a coordenação da Agência Espacial Brasileira (AEB) nove experimentos de universidades e de diversas instituições brasileiras.

O Improved Orion é um foguete de treinamento mono estágio, projetado pelos americanos e amplamente utilizado pela Agência Espacial Alemã (DLR) em suas missões que será lançado do Brasil pela terceira vez.

Vale lembrar leitor que o primeiro vôo de demonstração desse foguete no país foi realizado do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), em Natal (RN), em 2008, durante a “Operação Parelhas”, e o segundo realizado do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), em maio de 2009 durante a “Operação Maracati I”.

O vôo do Orion V3 ainda está dependendo, exclusivamente, da instalação de equipamento da Agência Espacial Alemã (DLR Moraba) que são essenciais para os vôos a serem realizados e que está em fase de liberação na alfândega.

Carga Útil do VSB-30 V7

Vale lembrar também leitor que como anunciado pelo blog anteriormente (veja a nota IAE Realiza Ensaios com a Carga Útil do VSB30) o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) realizou diversos ensaios com a carga útil “MicroG1A” do VSB-30 que incluíram testes funcionais, tais como: o sistema de comunicação de solo com a instrumentação de bordo; sistema de recuperação da carga útil; sistema de localização por GPS; sistema de Radio Frequência (RF): Telemetria (Banda S), Telecomando (Banda L) e Respondedor Radar (Banda C); sistema de aquisição, processamento e visualização de dados de telemetria (PCM); sistema de controle de gás frio (RCS); sistema de sequenciamento de eventos de vôo; sistema de vídeo embarcado (câmeras de bordo); sistema integrado com os experimentos nacionais de microgravidade. Os ensaios ambientais da carga útil também incluíram as medidas de massa, CG e inércia da carga útil e o ensaio de vibração da carga útil.

Dia 25/11 todos os ensaios com a carga útil foram encerrados com sucesso nos laboratórios do IAE e a mesma deverá seguir nesta segunda-feira (29/11) para o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) na companhia de um grupo formado 31 pessoas, dentre elas três alemães do DLR-Moraba, todos envolvidos nos testes desta carga útil do foguete VSB-30.

Operação Maracati II

A Maracati II terá a participação do pessoal do CLA, do CLBI e do IAE, além de integrantes de outras unidades e instituições civis os quais prestarão apoio às atividades destes. Também participarão diversas organizações responsáveis pelos experimentos de microgravidade, incluindo o DLR Moraba e a AEB. Além da equipe do CLA, estarão envolvidas diretamente mais de 100 na Operação Maracati II.

Com esta operação será dado prosseguimento às atividades espaciais do Programa Espacial Brasileiro (PEB) e do “Programa de Microgravidade” da Agência Espacial Brasileira (AEB), possibilitando que organizações de ensino, pesquisa e desenvolvimento venham realizar experimentos científicos e tecnológicos por meio de vôos suborbitais.

Este é mais um passo bem sucedido do programa de foguetes de sondagem do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), que vem recebendo reconhecimento internacional através dos bons resultados alcançados em lançamentos da Europa.

Com o sucesso desta operação as organizações do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), estarão cumprindo mais uma etapa de desenvolvimento de tecnologia nacional para a independência do Brasil na área aeroespacial.

Duda Falcão


Fonte: Texto formulado com informações do Blog do Maurício Araya (http://mauricioaraya.wordpress.com/)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial