NASA e AEB Renovam Convênio Espacial


Olá leitor!

Segue abaixo uma noticia postada dia 21/08 no site da Agencia Espacial Brasileira (AEB) destacando a renovação por mais cinco anos do convênio para o Programa de Geodésia Espacial mantido entre os Estados Unidos e o Brasil.

Duda Falcão

NASA Renova Convênio com a AEB

Coordenação de Comunicação Social / AEB
21/08/2009


A NASA acaba de renovar por mais cinco anos o convênio para o Programa de Geodésia Espacial mantido entre os Estados Unidos e o Brasil. Conforme o professor e coordenador do Centro de Radioastronomia e Astrofísica da Universidade Mackenzie (CRAAM), Pierre Kaufmann, a renovação é uma conseqüência da qualidade dos resultados obtidos no Rádio Observatório, situado na unidade do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), na cidade de Eusébio, no Ceará.

O Observatório de Eusébio – que funciona desde 1993 -, juntamente com uma rede mundial de radiotelescópios, é responsável por detectar irregularidades na rotação da Terra. Esta atividade serve para realizar pequenos ajustes nas órbitas dos satélites.

Pierre Kaufmann explica que sem esses ajustes de órbitas os satélites da constelação GPS poderiam fornecer informações incorretas. “Ao redor do mundo essas mudanças geodésicas são processadas e os modelos que descrevem as órbitas dos satélites são refeitos”, diz o coordenador do CRAAM/Inpe.

Essas anomalias geofísicas da Terra são decorrentes de atividades vulcânicas e sísmicas, tsunamis, e até o fenômeno climático El Niño. Kaufmann adianta que existe um esforço mundial para que essas medidas de irregularidades da rotação da Terra também possam ser usadas para a previsão de catástrofes naturais como terremotos.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Parabéns ao INPE que demonstra com isso a sua competência nessa área endossada pelo reconhecimento da comunidade internacional.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial