Mais um Capitulo da Novela Quilombolas X CLA


Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada dia 04/08 no jornal “O Estado do Maranhão” sob a reunião dos atores envolvidos com a novela trágica que se transformou o caso entre as Comunidades Quilombolas e o Centro de Lançamento de Alcântara.

Duda Falcão

Lula Adia Decisão Sobre Centro de Lançamento

Presidente se Reuniu Ontem com os Ministros Nelson Jobim e
Edson Santos para Discutir sobre o Futuro do CLA

Bruna Castelo Branco
Da Equipe de O Estado
04/08/2009

Em uma reunião realizada ontem à tarde em Brasília, com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, e o da Igualdade Racial, Edson Santos, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, adiou a decisão sob a permanência do Programa Espacial Brasileiro em Alcântara.

Após assistir à apresentação do projeto de expansão do Ministério da Defesa e também de ouvir a situação das comunidades quilombolas do Maranhão, Lula entendeu que seria mais prudente estabelecer mais um prazo para definir o futuro das atividades realizadas no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) no Maranhão. Após o encontro, ficou prevista uma nova reunião, ainda sem data para ser realizada.

A reunião de ontem durou mais de três horas e contou ainda com a presença do diretor da parte brasileira da empresa Alcântara Cyclone Space, Roberto Amaral; do presidente da Agência Espacial Brasileira, Carlos Ganem; de representantes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e do diretor do Centro de Lançamento de Alcântara, coronel Nilo Andrade.

O motivo do encontro era definir estratégias para minimizar os impactos nas comunidades quilombolas com a possível expansão das atividades do Centro de Lançamento de Alcântara. Os ânimos entre os defensores da expansão das atividades espaciais e os que defendem os interesses das comunidades quilombolas começaram a se acirrar no fim do ano passado, quando a área pretendida para a ampliação foi reconhecida pelo Incra como direito de posse legítima dos remanescentes de quilombolas, um total de 78 mil hectares ocupados, atualmente, por 110 comunidades.

Sem a possibilidade de expansão, que pode implicar em novos remanejamentos, chegou a ser cogitada a transferência de parte das atividades do CLA para um outro centro de lançamento. A Agência Espacial Brasileira (AEB) chegou, inclusive, a divulgar a realização de estudos em outras cidades do Brasil, mas até agora nenhum local ainda foi definido, e até que seja concluído o processo, o CLA ainda é considerado o principal atrativo do Programa Espacial Brasileiro. No momento, o Ministério da Defesa e a Secretaria Especial de Promoção de Igualdade Racial esperam por uma solução que atenda tanto aos interesses dos quilombolas quanto das atividades espaciais sem a necessidade de transferência do CLA do Maranhão.

Rotina - Enquanto Lula não decide sobre o futuro do Programa Espacial Brasileiro, o CLA segue uma rotina bem movimentada, com lançamentos de pequenos foguetes de treinamento de pessoal e de sistemas das unidades operacionais.

Em maio, foi realizado o lançamento de um foguete de pequeno porte com tecnologia alemã e, na próxima semana, será lançados dois foguetes na operação Fogtrein I.


Fonte: Jornal “O Estado do Maranhão” - 04/08/2009

Comentário: Como o leitor pode notar a tal da reunião entre o presidente Lula e os outros interessados no problema dos quilombolas com o CLA, abordada por mim na postagem anterior, veio acontecer não no dia 05/08 (quarta-feira) como estava previsto e sim na segunda-feira dia 03/08, quase que sem a devida cobertura da imprensa. Infelizmente esse é mais um capítulo dessa novela trágica para o programa espacial do país. Uma vez mais o presidente da república adia uma decisão que já deveria ter sido tomada e que poderá prejudicar muito o andamento de vários projetos onde a ACS tem participação preponderante para a realização e finalização dos mesmos. Infelizmente a condução do Programa Espacial Brasileiro esta na mão de gente que não tem o mínimo compromisso em realizar os compromissos assumidos, sejam eles nacionais ou internacionais (com a palavra os ucranianos que já se encontram com as caras pintadas). São em momentos como esse que eu peço autorização ao jornalista Boris Casoy para plagiá-lo: ISTO É UMA VERGONHA. Aproveito para agradecer de público a gentileza do leitor Edvaldo R. A. Coqueiro da cidade de São Luís-MA, pelo envio da cópia da matéria do jornal “O Estado do Maranhão” que permitiu a postagem dessa notícia para os leitores do blog.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial