Astrofísicos do INPE Participam da 27ª Assembléia da IAU


Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (03/08) no site do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) sobre a participação dos astrofísicos do INPE na 27ª Assembléia Geral da União Astronômica Internacional (IAU) que começa hoje a vai até o dia 14/08 na cidade do Rio de Janeiro.

Duda Falcão

INPE Participa da Assembleia Geral da União Astronômica Internacional

03/08/2009 - 10:30

Astrofísicos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCT) participam de hoje (3) até o dia 14, no Rio de Janeiro, da 27ª Assembleia Geral da União Astronômica Internacional (IAU, na sigla em inglês). Esta é a primeira vez que a assembléia, considerada o maior evento da astronomia mundial, é realizada no Brasil.

Cerca de 2 mil cientistas de todo o mundo apresentarão trabalhos que abrangem desde o Sistema Solar, passando por nossa galáxia até estudos que decifram os primórdios do Universo.

No evento, os pesquisadores do Inpe mostrarão resultados de vanguarda sobre a evolução de galáxias, as estrelas compactas (como estrelas de nêutrons), os sistemas binários, as regiões de formação estelar, além de cosmologia e astropartículas. “Esses trabalhos estão na fronteira do conhecimento científico e visam compreender os processos físicos que regem o nosso Universo e os seus constituintes”, diz Oswaldo Duarte Miranda, chefe da Divisão de Astrofísica (DAS) do Inpe.

Toda a programação científica, com simpósios, plenárias e sessões especiais, ocorre no Centro de Convenções Sul América, na avenida Paulo de Frontin com a avenida Presidente Vargas, Cidade Nova.

A Assembléia da IAU no Brasil é ainda mais significativa por 2009 ter sido instituído como o Ano Internacional da Astronomia, em comemoração os 400 anos das primeiras observações telescópicas do céu feitas por Galileu Galilei. Para os astrofísicos brasileiros, a expectativa é que o evento sirva para aprimorar as pesquisas nacionais na área, aumentar a cooperação internacional, além de mostrar à população o reconhecimento internacional que os estudos de astronomia brasileiros vêm recebendo.

Mais informações sobre a 27ª Assembleia Geral da IAU no site www.astronomy2009.com.br

A Astrofísica no INPE

O Inpe realiza pesquisas teóricas e observacionais em diversas áreas da Astrofísica, com ênfase em desenvolvimento instrumental. Os projetos instrumentais da DAS cobrem diferentes faixas do espectro eletromagnético, tais como ondas de rádio, radiação óptica e infravermelha e raios X e gama, além de detectores de ondas gravitacionais.

Hoje, entre seus principais projetos, está um imageador de raios X, o Mirax, e o radiointerferômetro BDA para investigações de fenômenos solares e cósmicos.

O Mirax é um instrumento astronômico de raios X que investigará a região central do plano galáctico e seus objetos, como buracos negros e estrelas de nêutrons. Estará a bordo do Lattes, um satélite científico desenvolvido pelo Inpe e com lançamento previsto para 2012, que atenderá não só aos objetivos astronômicos do Mirax como também a missão Equars, esta voltada para estudos na baixa, média e alta atmosfera e ionosfera na região equatorial. No caso da missão Mirax, o objetivo é o estudo de raios X do centro da galáxia, observando continuamente a região central do plano galáctico para realizar estudos espectroscópicos de banda larga.

Já o BDA (Brazilian Decimetric Array) será o primeiro radiointerferômetro em ondas decimétricas desenvolvido e construído no Brasil. Único na América Latina, cobrirá uma lacuna entre os instrumentos situados na Europa e nos Estados Unidos, abrangendo uma cobertura de 24 horas de observações do Sol e da Astronomia no mundo. Capaz de gerar 10 imagens do Sol por segundo, terá aplicações nas áreas de observação dos fenômenos solares, em investigações das emissões de rádio de fontes galácticas e extragalácticas no céu do hemisfério sul.

Neste projeto, o Inpe tem a colaboração de diversas instituições nacionais e estrangeiras, como o Indian Institute of Astrophysics, o Tata Institute of Fundamental Research do National Center for Radio Astronomy, ambos da Índia, a Universidade da Califórnia - Berkeley (USA), a Universidade Federal de São Carlos (Ufscar), a Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Poços de Caldas e a Universidade do Vale do Paraíba (Univap).

Outro destaque é o projeto Gráviton, voltado para o estudo das chamadas ondas gravitacionais. Um de seus resultados é o detector Mario Schenberg, primeiro experimento de gravitação brasileiro que se encontra em operação no Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP). O Inpe participa do Projeto Gráviton junto com a USP, com o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), Universidade de Campinas (Unicamp) e Centro Federal de Tecnologia (Cefet-SP).

O detector de ondas gravitacionais Mario Schenberg permite o estudo de fenômenos astrofísicos que não podem ser observados por meio de outras ondas ou partículas. E uma das chaves para a compreensão da origem do Universo pode estar na observação das fontes emissoras de radiação no espectro gravitacional. Vários países estão buscando a primeira detecção de ondas gravitacionais por fontes astrofísicas, como buracos negros e estrelas de nêutrons, e o Brasil faz parte desta empreitada.

O Inpe mantém em operação o maior radiotelescópio do País, em Atibaia (SP), e ainda contribui com o desenvolvimento de instrumentação para grandes telescópios como o Southern Astrophysical Research (Soar), instalado no Chile, cujo espelho tem mais de quatro metros de diâmetro.

Em colaboração com outras instituições do Brasil e do exterior, o Inpe pesquisa e participa do desenvolvimento de instrumentos para o estudo da Radiação Cósmica de Fundo em Microondas (RCFM) para entender os mecanismos responsáveis pela formação das galáxias e outras estruturas do Universo.

Além disso, o Inpe mantém cursos de mestrado e doutorado que formam pesquisadores em Astrofísica. Também, a DAS contribui para a divulgação da Astronomia ao público leigo e oferece cursos de extensão para professores e estudantes de graduação.


Fonte: Site do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT)

Comentário: Grande evento e grande momento do INPE e da Astrofísica Brasileira, como o próprio leitor pode observar lendo a texto acima. Parabéns ao INPE e sucesso nesse evento global.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial