UFMA Contribui para Programa Espacial do Brasil

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (27/05) no site da “Universidade Federal do Maranhão (UFMA)” destacando que essa universidade tem contribuído para o desenvolvimento do Programa Espacial Brasileiro.

Duda Falcão

UFMA NOTÍCIAS

UFMA Contribui para
Programa Espacial do Brasil

E participa do Lançamento de foguete - FTI no CLA.
O vice-reitor, Antonio José Silva Oliveira que foi professor
do chefe de operações, esteve no evento

Ascom/Vice-Reitoria
27/05 - 17h17

Na tarde desta sexta, 27, ocorreu o segundo Lançamento do Foguete de Treinamento Intermediário (FTI)no Centro de Lançamento de Alcântara - CLA, no Maranhão. A nave alcançou seu apogeu nos céus do Estado com uma altura vertical de 64.729m, percorrendo 53.027m em distância horizontal, com o tempo de 240,347, ou seja, (quatro minutos e trinta e quatro segundos).

A operação Fogtrein I 2011 teve ontem seu primeiro lançamento prejudicado, com este tipo de foguete. Hoje,no segundo dia, a contagem regressiva, após algumas breves interrupções, teve sucesso às 14:15h o que foi comemorado por toda a equipe que assistiu o lançamento.

Na avaliação do cientista e físico Prof.Dr. José Oliveira, vice-reitor da UFMA, o lançamento do FTI representa o reinício da corrida espacial brasileira, e destaca: o foguete de treinamento intermediário já pode ser considerado produto industrial. Poderá ser comercializado para o mundo e a UFMA tem contribuído significativamente para os avanços do Programa Espacial do Brasil. Participaram ainda diversos estudantes da pós de Eng. Elétrica UFMA, que fazem parte da operação.

O Chefe de Operação do Lançamento e ex-aluno da UFMA, Carlos Alberto Silva, destacou que o Mestrado e o Doutorado em Engenharia Elétrica, da Universidade Federal do Maranhão, tem capacitado ainda docentes de São José dos Campos/SP e ministra cursos para a equipe de engenheiros do Centro de Lançamento de Alcântara.



Fonte: Site da Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Comentário: Fico contente de saber do envolvimento da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) com o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e com o PEB, e espero que a Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) também siga o mesmo caminho, como já ocorre no Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e outras instituições da região. Desconhecia esse envolvimento e parabenizo o reitor da UFMA, Prof.Dr. José Oliveira, por esse trabalho que vem realizando e torço para que o mesmo possa desenvolve-se cada vez mais, ousando inclusive no desenvolvimento do primeiro satélite universitário maranhense numa iniciativa própria ou em parceria com a UEMA e outras instituições do Maranhão. Esse envolvimento de universidades brasileiras (UFMA, UFRN, UFPE, UFABC, UnB, UFMG, UFSM, UFSC, UNICAMP, UFRJ, UNIVAP, UNESP, UFJF, PUC Minas, USP, FEI, FIAP além do ITA) com atividades espaciais é de suma importância para o desenvolvimento de tecnologias e pesquisas espaciais no país e principalmente na formação de profissionais para este setor. O governo da presidente DILMA precisa acordar e estimular esse movimento universitário para que este importante setor da ciência e tecnologia do Brasil possa dar o salto necessário nos próximos anos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial