Presidente da AEB Retorna de Viagem à Rússia

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (23/05) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando que Marco Antônio Raupp, presidente da agência, retornou de viagem à Rússia com novidades.

Duda Falcão

Presidente da AEB Retorna
de Viagem à Rússia

AEB
23-05-2011

O presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Marco Antonio Raupp, retornou na semana passada, de viagem realizada à Rússia, com novidades. Raupp estava em Moscou junto com delegação brasileira chefiada pelo vice-presidente da República, Michel Temer. A comitiva participou da V Comissão Brasileiro-Russa de Alto Nível de Cooperação (CAN). De volta ao País, a delegação trouxe um acordo de cooperação com a Rússia na área espacial que aborda, principalmente o aperfeiçoamento do Veículo Lançador de Satélite brasileiro (VLS-1).

O VLS, inclusive, foi o tema mais discutido no encontro. Segundo Raupp, o interesse do Brasil é viabilizar um programa de lançadores do CTA. “Este documento espelha a vontade dos dois países de aprofundarem a cooperação existente na área do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) em conjunto com várias empresas e institutos ligados à Agência Espacial Russa (Roscosmos, sigla em russo). A intenção, agora, é aprofundarmos essa cooperação visando, em uma segunda fase, termos um programa conjunto de desenvolvimento de lançadores de pequeno porte”, revelou Raupp. O presidente da AEB pretende agendar reuniões com especialistas do DCTA para formular ações a serem desenvolvidas dentro dessa cooperação.

A CAN constitui o foro mais elevado de diálogo e acompanhamento do conjunto das relações bilaterais entre Brasil e Rússia. A comitiva é responsável por supervisionar os trabalhos da Comissão Intergovernamental entre ambos os países para Cooperação Econômica, Comercial, Científica e Tecnológica (CIC), dedicada a estimular a cooperação bilateral nas áreas de economia e de comércio, de finanças, de agricultura, de energia, de espaço, de defesa, de ciência, de tecnologia e de inovação, de educação, de cultura e de esportes.

Como resultado deste encontro, foi assinada pelo vice-presidente do Brasil, Michel Temer e, pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin, uma declaração conjunta que visa incrementar a cooperação mútua em vários setores. Para área espacial, ficou acertado a continuação do auxílio de especialistas russos no aperfeiçoamento do Veículo Lançador de Satélites (VLS) e sua modernização com o auxílio de estágio russo de combustível líquido no último estágio do foguete. Para Raupp “a idéia é aproveitar o desenvolvimento de motores a combustível sólido já feitos com domínio de tecnologia pelo DCTA e ajustar com os motores a combustível líquido que os russos são especialistas”. Segundo o presidente da AEB deter essa tecnologia será importante pois facilitará o controle da navegação do foguete para injetar satélites em órbita . Outro ponto acordado foi a ajuda por parte de técnicos russos no desenvolvimento de satélites brasileiros meteorológico e de comunicações.

A próxima reunião será realizada no fim de 2012, no Brasil, conforme ao princípio de alternância de sedes.


Fonte: Agência Espacial Brasileira (AEB)


Comentário: Boas notícias e espero que agora esse acordo com os russos realmente venha avançar para que possamos dar seqüência com os nossos planos espaciais. Entretanto, não entendi o motivo da próxima reunião ter ficado para o final de 2012.

Comentários

  1. Não entendeu o 2012 ? É o famoso "empurra com a barriga".

    Ficou mais claro...

    ResponderExcluir
  2. Talvez seja isso Ricardo, mas pode ser por outros motivos logísticos também e prefiro acreditar nesta possibilidade.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Bom Dia!
    Venho prestar meu respeito ao Brazilian Space.
    E pela sua dificuldade parabens por suas materias.
    E me coloco a colaborar para que seja mantido.
    Bom a anos acompanho o programa Brasileiro.
    Falta vontade politica , verba e interesse dos proprios responsaveis da area.
    Capacidade tecnica e de comando para desesnvolver um programa de competencia.
    Na verdade não temos um lider na area.
    Temos pessoas de boa fé com vontade o que e bem diferente de competencia e capacidade de desenvolvimento.
    O Brasil não tem interesse na area tem vontade mas isso não quer disser nada.
    Sou de São Jose dos Campos hoje moro na Bahia sou engenheiro.
    Este pais tem como principio a agricultura e a mineiração.
    Sem um grande comandante tudo se torna dificil.
    um simples foguete que meio mundo sabe fazer aqui ainda esta para fogos de artificio.
    Ninguem faz nada neste mundo sem quebrar regras, buscar pessoas especificas e pagar caro e ter a tecnologia.
    isso se faz facil com dedicação, liderança, vontade e claro inteligencia em abundacia isso aqui e quase impossivel aqui.

    Não quero desmerecer mas sou realista.

    O Patriota

    ResponderExcluir
  4. Olá Luiz (Patriota)!

    Seja bem vindo e agradeço pela sua ajuda. Olha, concordo quando diz que falta vontade política e verba e eu incluiria visão política e recursos humanos adequados em quantidade suficiente. Porém discordo quando diz que não haja interesse dos próprios responsáveis da área, capacidade técnica e de comando para desenvolver um programa de competência. Os profissionais que militam nos bastidores PEB são altamente competentes e os que ficaram na maioria dos casos o fazem por serem patriotas, pois poderiam estar trabalhando em outros programas espaciais ao redor do mundo, como alias atualmente acontece com diversos pesquisadores, técnicos e engenheiros, muitos dos quais já trabalharam para o PEB.

    O problema brasileiro basicamente se resume na falta de visão e total ignorância do governo brasileiro (poder executivo e legislativo) da importância crucial do PEB para o Brasil. Isso acontece pela ignorância de nossa sociedade sobre o significado do PEB pára país, assim sendo, não é um assunto que renda votos e conseqüentemente não é assunto de interesse da classe política.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial