quarta-feira, 23 de março de 2016

Dilma Visita Obras de Satélite Militar no Distrito Federal

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria postada hoje (23/03) no site “G1” do globo.com, destacando que a presidenta petista DILMA ROUSSEFF visitou as obras do centro de controle do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), em Brasília.

Duda Falcão

POLÍTICA

Dilma Visita Obras de Satélite
Militar no Distrito Federal

Segundo Defesa, satélite dará mais segurança à comunicação militar.
Depois, ela participará de evento sobre verbas para combate ao Aedes.

Filipe Matoso
Do G1, em Brasília
23/03/2016 - 08h55
Atualizado em 23/03/2016 - 09h42

A presidente Dilma Rousseff visitou nesta quarta-feira (23) as obras do centro de controle do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), em Brasília, no VI Comando Aéreo Regional (COMAR).

Segundo o Ministério da Defesa, o satélite dará "mais segurança" às comunicações estratégicas e militares do governo, além de ser utilizado para cumprir os objetivos do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), "levando internet em alta velocidade a regiões isoladas, como a Amazônia".

De acordo com a agenda de Dilma, divulgada pela Secretaria de Imprensa, a presidente ainda participará nesta quarta de um evento no Palácio do Planalto no qual anunciará investimentos em pesquisas de combate ao Aedes aegypti. O mosquito transmite os vírus da zika (associado aos casos de microcefalia em bebês), da dengue e da febre chikungunya.

À tarde, Dilma assinará a lei que dispõe sobre a quantidade de biodiesel no óleo diesel.
Segundo explicou o Ministério da Defesa,Segundo a Defesa, as peças do satélite estão sendo montadas em Cannes e o lançamento ocorrerá na Guiana Francesa.

Em 2013, foi denunciado pelo ex-funcionário da NSA Edward Snowden que o governo dos Estados Unidos espionou diversos líderes internacionais, entre eles a presidente Dilma.

À época o governo anunciou que construiria um satélite próprio para fazer as comunicações militares e estratégicas de governo - atualmente, a Defesa aluga 2 satélites privados para fazer as comunicações.

De acordo com a Defesa, o satélite deve custar cerca de R$ 1,7 bilhão e transmitirá 54 gigabits por segundo por meio da banda X, de uso militar. 

O satélite, que ficará a 36 mil quilômetros da Terra, será gerenciado por meio de duas antenas instalada em Brasília e no Rio de Janeiro.

O custo anual com o aluguel dos atuais satélites é de R$ 13 milhões e, diz a Defesa, quando o satélite brasileiro estiver pronto, será de R$ 6,5 milhões.


Fonte: Site “G1” do globo.com – 29/11/2015

Comentário: Pois é leitor essa gente não vale nada. São escoria da escoria e a prova disto é esta visita de cunho exclusivamente populista, principalmente neste momento em que esta debiloide talvez esteja vivendo os seus últimos momentos no poder (se as boas energias conspirarem em nosso favor). Em momento algum em seu governo ou no governo do seu mentor safado eles fizeram qualquer visita oficial ao Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) o ao Departamento de Ciência e Tecnologia Espacial (DCTA) em São José dos Campos, talvez nem mesmo nas instalações do INPE (não tenho certeza quanto a isto), só mesmo houve uma visita informal desta debiloide ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) quando a mesma estava de férias com a família na Base de Natal. Pois é, mas como este projeto tem um apelo popular enorme devido aos objetivos do tal Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), o grupo desta debiloide usa-o para colher frutos políticos, especialmente neste momento tão difícil vividos por eles. O que é triste nesta história e a conivência do COMAER com toda esta palhaçada.

3 comentários:

  1. Em 2013, foi denunciado pelo ex-funcionário da NSA Edward Snowden que o governo dos Estados Unidos espionou diversos líderes internacionais, entre eles a presidente Dilma.

    ResponderExcluir
  2. Ação populista em um setor que não tem a atenção da sociedade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem a menor margem de dúvida Rodrigo. Esta notícia não se refere ao setor espacial, e sim a um satélite que foi comprado da França para atender as comunicações militares e principalmente o tal Programa Nacional de Banda Larga (PNBL). Se não fosse este PNBL que atenderá os redutos de votos destes vermes, o militares estariam até agora sem o seu satélite. Vermes, escoria, só fazem as coisas para se beneficiarem. Gente assim só mandando para o paredão de fuzilamento.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir