quinta-feira, 10 de março de 2016

Barreira do Inferno Realiza Rastreamento do Veículo Ariane

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (09/03) no site do “Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI)” destacando que o CLBI realizou na madrugada do dia 09 a segunda atividade operacional de rastreamento de veículo Ariane neste ano de 2016.

Duda Falcão

Notícias

Barreira Realiza Rastreamento
do Veículo Ariane

CLBI Realizou NESTA Segunda-Feira Atividade
Operacional de Rastreamento de Veículo Ariane

Publicado: 09/03/2016 - 16h00

Antena de telemedidas.

Na madrugada de hoje, 09 de março, o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) realizou a segunda atividade operacional de rastreamento de veículo Ariane neste ano. A Estação Natal realizou o rastreio remoto do Ariane VA229, lançado das plataformas do Centro Espacial Guianês, localizado em Kourou, na Guiana Francesa, às 02h30m, horário de Brasília.

O Veículo transportou como carga útil embarcada o Satélite EUTELSAT 65 West, com o objetivo de prestar serviços de vídeo e banda larga aos mercados em expansão na América Latina. Com massa de 6,6 toneladas e vida útil de quinze anos, o satélite promoverá cobertura no Brasil, América Espanhola e algumas cidades da Costa do Pacífico e América Central Guarnecida durante nove horas e, tendo cumprido todo processo de cronologia, incluindo o ensaio técnico, a Estação Natal concluiu com sucesso a missão, enviando em tempo real os dados processados e analisados do Foguete para o Centro Espacial Guianês.

Fruto de Acordo e Protocolo firmado entre o CLBI e a Agência Espacial Europeia (ESA), o Centro realiza, através do complexo de antenas de Telemedias e Telecomunicação, os processos de rastreamento, gravação, decomutação e entrega segura dos dados provenientes do veículo à ESA.

O CLBI compõe uma cadeia de rastreio – Galliot, na Guiana Francesa; Ascension, no Atlântico Sul; Libreville, no Gabão e Malindi, no Quênia; tornando-se imprescindível a participação operacional da Estação Natal por ser a única estação rastreadora durante a fase propulsada do veículo.

Antena de telemedidas 2.


Fonte: Site do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI)

Comentário: Pois é leitor, esta é uma das atividades paralelas deste centro, fruto do acordo assinado já ha algum tempo com a ESA (Agência Espacial Europeia). Entretanto, Centro de Lançamento de Foguetes tem como função principal lançar foguetes, e isto não ocorre no CLBI desde 29/10/2015, quando então foi realizado o lançamento do Foguete de Treinamento Intermediário (FTI) da “Operação Tangará I – 2015” (veja aqui). E olha que estamos falando apenas de um foguete de treinamento. Para você ter uma ideia o Esrange Space Center (ESC), em Kiruna, na Suécia, por exemplo, já realizou de lá pra cá três campanhas de lançamento (Operações MASER-13, TEXUS-53 e SPIDER/LEEWAVES), somente com foguetes brasileiros, fora as campanhas realizadas com foguetes estudantis e de balões científicos. Isto não pode continuar, programa espacial não se faz assim, ambos centros de lançamento do país estão subutilizados e não passam de meros elefantes brancos, já que se continua investindo pesado nas suas infraestruturas (especialmente em Alcântara) sem que haja um plano de mercado para venda de serviços, pior, sem que haja plano nenhum e qualquer expectativa de torná-los autossuficientes e rentáveis. Ficar propagando para sociedade notícias de atividades operacionais como esta, que na realidade são apenas complementares, só serve para vender uma imagem errônea e fantasiosa para sociedade de que a existência destas instalações são justificáveis. Ora leitor, para começo de conversa não sou Europeu e não estou nem aí para as atividades do foguete Ariane. Se este serviço é pago, menos mal, mas não passa da prestação de um serviço de rastreamento, quando na realidade a missão dessas instalações é atuarem como uma janela brasileira para o Espaço, coisa que não está acontecendo. Gente são 55 anos de atividades espaciais e não conseguimos colocar nada em órbita por nossos próprios meios, nem um simples parafuso, e ainda tenho de aguentar este banana do Sr. Braga Coelho (loroteiro que só ele), abrir a boca para dizer que o PEB tem avançado. Tenha santa paciência.

Um comentário:

  1. Concordo com o Duda. Nós queremos foguetes sendo lançados. Queremos satélites lançados por foguetes Brasileiros. 55 anos é muito tempo. É como se eu não tivesse namorada e ficasse sempre dizendo: Vocês já viram como a namorada DO MEU AMIGO é linda?

    ResponderExcluir