Nova Frustração, 'Operação Cruzeiro' Foi Adiada Pelo IAE

Olá leitor!

Segue abaixo um artigo escrito pelo fundador e ex-editor do Brazilian Space, Duda Falcão.

Esse artigo trata dos constantes adiamentos da Operação Cruzeiro.


Cabe destacar que a editoria do Brazilian Space encoraja e mantém o canal aberto para que todos que tenham informações e opiniões, sobre qualquer tema ligado ao espaço e ao Programa Espacial Brasileiro (PEB), possam publicar artigos ou resenhas autorais no nosso blog.

Saudações,

Brazilian Space

Nova Frustração, 'Operação Cruzeiro' Foi Adiada Pelo IAE

Duda Falcão*

No dia 26 do mês passado postei aqui um artigo (reveja aqui) onde deixei claro que por estar cada vez mais desanimado com a falta de atitude para com o setor espacial da dupla Bolsonaro/Pontes, ficaria por um tempo sem postar nada, talvez com exceção comentários aleatórios em matérias pontuais, como aliás venho fazendo.
 
Porém quando me chegou a notícia que intitula este artigo, revoltado, decepcionado, mas não surpreso, resolvi, primeiramente acionar as minhas fontes para confirmar a veracidade do fato, pois se fôssemos esperar a divulgação do IAE, iríamos esperar sentados por anos a fio, situação está, é claro, que pode mudar após a publicação desse meu artigo.
 
Pois então caro leitor, depois de ter obtido a confirmação da veracidade na notícia de que a tão aguardada ‘Operação Cruzeiro’ havia sido adiada para AGOSTO DE 2021, fui tomado por uma tremenda fúria, pois tinha a plena convicção (antes mesmo de me aprofundar junto as minhas fontes sobre as causas do adiamento) de que a culpa certamente não seria do Instituto de Estudos Avançados (IEAv), e sim do seu parceiro neste projeto, o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), responsável pela preparação do foguete VSB-30 adaptado denominado de Veículo Acelerador Hipersônico (VAH).
 
Vale lembrar leitor, antes de nós aprofundamos no que (segundo a minha fonte) foi a causa básica do adiamento desta operação que, em novembro de 2019 (reveja aqui), quando era então o diretor do IEAv, o elétrico e dinâmico Cel. Av. Lester de Abreu Faria, estive a convite do mesmo visitando este instituto, onde entre tantos pesquisadores, tive contato com o Dr. Dermeval Carinhana Junior (chefe da Divisão de Aerotermodinâmica e Hipersônica-EHA ), e com o Dr. Israel da Silveira Rêgo (gerente do Projeto 14-X), bem como com vários integrantes da motivada equipe (se percebia claramente no semblante deles) envolvida nesta missão que estava naquele momento prevista para ser cumprida por volta de outubro ou novembro desse ano.
 
Bom amigo leitor, dando sequencia com o complemento da notícia, segundo a minha fonte a ‘Operação Cruzeiro’ foi adiada basicamente devido o IAE ‘em cima da hora’ ter se decidido por mexer na configuração do Veículo Acelerador Hipersônico (VAH), pois parece que foi identificado problemas com a estabilidade do veículo (vibração), o que exigirá que o instituto venha reprojetar o veículo com quatro empenas e não três como estava previsto.
 
Mas fica a pergunta: Porque só se chegou agora a esse conhecimento pouco meses antes do lançamento?? Ora leitor, já não se sabia que o IAE seria o responsável pela confecção desse veículo há bastante tempo???? Afinal vale lembrar que o projeto desse veículo tá rodando por aí há pelos menos uns 3 anos, e não há razão para isso, há não ser que seja por outras razões não técnicas.
 
Porem leitor, enquanto (segundo a minha fonte) a dinâmica equipe do IEAv estará entregando ao IAE o Experimento 14X-S pronto pra voo no inicio de novembro agora, o engessado, moroso e cada vez mais ineficiente Instituto de Aeronáutica e Espaço precisará de quase um ano a mais para concluir sua parte, isto é se concluir...
 
Pois é leitor, com isso perde o Brasil, perde a C&T Brasileira, perde o próprio instituto que suja ainda mais a sua imagem, e perde também o Ministro Marcos Pontes e o Governo Bolsonaro, por repetir as promessas não cumpridas de outrora. Lamentável!

 
*Duda Falcão - 
É fundador e ex-editor do Brazilian Space e um dos maiores conhecedores, incentivadores e críticos do Programa Espacial Brasileiro (PEB). Com envolvimento na área de cinema e de teatro na Bahia, está atualmente esperando a volta pós-covid para dar andamento em projetos de produções cinematográficas regionais, porém continua atento e com muitos contatos no segmento espacial, além de continuar (vez por outra) escrevendo e comentando sobre o tema.

Comentários

  1. Vi recentemente uma Live dos pessoal da turbomachine e polaris que produzem turbo jatos e turbofans nacionalmente. A empresa hoje tem só 30 técnicos e com pouco tempo já está até alcançando tecnologias disruptivas. Me pergunto se a mesma tarefa fosse entregue para o iae, será q teriam a mesma eficiência? Muito provavelmente não. Cavalo apertado que anda. O setor privado e a concorrência são imbatíveis. Só olhar para a spacex que é muito mais eficiente que a NASA. Só uma reflexão apenas, não irei mudar o mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a NASA que encomenda os produtos da Spacex, nao tem sentido uma agência do governo concorrer com uma empresa, é a agência que financia as empresas. Aqui no Brasil tem algo parecido com a Avibras, mas como largamente discutido no blog, os resultados nunca foram satisfatórios.

      Excluir
  2. Isso é mentira......eles nao podem prosseguir com o programa espacial..por motivos ... geopolíticos....fica no banho maria....
    Sessenta anos se passaram desde então...basta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A impressão é essa. Há uma elite intelectual que está se lixando por um projeto de nação.

      Excluir
  3. Olá, poderia me enviar as fontes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anônimo!

      Quais fontes, anônimo você deseja conhecer? As fontes bibliográfica? No artigo as fontes bibliográficas estão referenciadas em links no corpo do texto. Se forem a fontes de informações do autor do texto, creio que o bom reporter / articulista não revela as suas fontes.

      Se ainda assim, quiser tratar do assunto, mande um e-mail (não anônimo) para brazilianspace@gmail.com.

      Abraço

      Excluir
    2. Ao que me parece, as fontes devem ser pessoas preocupada com o dinheiro público, que hoje se falarem pelas vias regulares serão perseguidas.

      Excluir
    3. Olá, Anônimo!

      Exatamente isso! Muitas pessoas preferem ficar Anônimas por medo de represálias! Já pensou se o Elon Musk fosse brasileiro e processasse um ente do governo por não ser tão impessoal e parcial na escolha de empresas de lançamento? Ele não lançaria mais nada!

      Veja como exemplo o BS. Tem 10 anos, mas somente 331 seguidores inscritos no Blog... As pessoas acham que se inscrever no Blog é "queimação de filme" com os donos do PEB.

      No entanto, temos mais de 1.500 visualizações dias, em média...

      Você acha que isso é à toa ou o nosso País e os entes governamentais não são adeptos a críticas?

      Por isso o BS está ativo e mantém a linha editorial independente, doa a quem doer.

      Abraço

      Excluir
  4. Boa tarde amigos do BS!

    Pois é, e o silêncio do IAE permanece. É aquela coisa, de mexer, fede.

    Duda Falcão

    ResponderExcluir
  5. cara sinceramente,nada anda nesse peb,estranho pra dizer o mínimo!

    ResponderExcluir
  6. O Brasil já faz mais de 1/2 Século que é submisso aos E.U.A.

    Aqui temos dos alguns Adjetivos ao nosso Programa Espacial Brasileiro , tais como ;

    Que se submete à vontade de outro " E.U.A. " , servil , subserviente , subalterno , rasteiro , conformado , resignado , paciente , humilde , longânime , adulador , bajulador , escravo , vassalo , súdito , maleável , flexível , dúctil.

    Enquanto os Governantes persistir nesse Complexo de Vira Lata que herdamos dos Portugueses , seremos uma Gigante República de Tupiniquins e que até hoje sente Vergonha da Perda da Copa de 1950 , dos 7 x 1 de 2014 e dos Falecido VLS-1 v.3 que morreram técnicos com o Lançador Parado , 3 dias antes da sua decolagem ao Espaço em Alcântara , na Terra dos " Kilombolas " !

    ResponderExcluir

Postar um comentário