sexta-feira, 1 de julho de 2016

Programa Globe Realiza Pesquisa de Campo com Professores, em Brasília

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (30/06) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB), destacando que o Programa Globe da NASA realizou pesquisa de campo com professores, em Brasília.

Duda Falcão

Programa Globe Realiza Pesquisa de
Campo com Professores, em Brasília

Coordenação de Comunicação Social (CCS)
30/06/2016

Fotos: Gleice Oliveira e Valdivino Junior/AEB

O grupo de professores da Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF), selecionado para ser capacitado no Workshop do programa Globe, no Brasil, realizaram uma pesquisa de campo, na terça-feira (28.06), no Parque Nacional de Brasília, na qual foram coletados dados ambientais de hidrologia e atmosfera. Na pesquisa desenvolvida pelos professores, foram utilizados os métodos científicos utilizados pelo Globe, programa da Agência Espacial Norte-Americana (Nasa).

As atividades de campo foram divididas em duas etapas, com orientação da coordenadora do Globe na Argentina, Marta Kingsland, e pela bióloga peruana, Claudia Caro Vera.

O workshop do programa no Brasil faz parte da parceria entre a Agência Espacial Brasileira (AEB) e a  Nasa, e pretende promover o ensino e a aprendizagem da ciência, por meio de pesquisas científicas entre professores e alunos, nas áreas de estudo da atmosfera, hidrologia, cobertura do solo e fenologia. O programa também ajuda compreender a complexidade dos ecossistemas e do meio ambiente do planeta.

Pesquisa – Divididos em dois grupos, os professores realizaram uma pesquisa de hidrologia no córrego Cristal Água, no Parque Nacional, na qual foram aplicados métodos educacionais para análise da transparência e do pH da água, além de verificar a presença de pequenos animais, fator que segundo eles ajuda identificar a qualidade da água.

Também foi feita uma investigação atmosférica de dados da temperatura, umidade relativa, cobertura das nuvens, atividade de construção de pluviômetro que verifica a quantidade de chuvas, e também o protocolo de biometria que mede a cobertura terrestre e a quantidade de verde existente no solo.

De acordo com a bióloga Claudia Caro, a melhor forma de trabalhar o programa Globe nas escolas brasileiras é começar com os métodos mais simples que foram desenvolvidos na atividade de campo. “O professor deve começar os projetos científicos a partir de uma pergunta de investigação. Ela orientou a utilizar os protocolos mais simples, aqueles que não exigem muitos equipamentos, como por exemplo, o de análise e cobertura da terra. Para fazer essa experiência é necessário apenas o uso de uma fita métrica, câmera fotográfica e bússola”, aconselhou.

O professor da Escola Técnica de Brasília (ETB), Izaias Cabral afirma que o workshop foi uma excelente oportunidade para adquirir novos conhecimentos e que pretende aplicar as técnicas dos protocolos associados às suas aulas de eletrônica. “Na ETB temos um projeto de customização de equipamentos eletrônicos como GPS e estação meteorológica. Para melhorar a compreensão dos alunos e agilizar o trabalho de análise científica pretendo utilizar os equipamentos, pois eles irão facilitar a coleta de dados necessários para as pesquisas na área de hidrologia, como temperatura e umidade”, explicou o professor.


Globe no Brasil – As escolas que participaram da primeira edição do Globe, em Brasília, receberam uma senha de acesso ao site do programa. A partir desse acesso os professores poderão compartilhar suas análises e tornarem públicas as informações no mundo inteiro.

O coordenador de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da AEB, Jean Batana explicou que as escolas que implantarem o Globe irão receber apoio técnico, e as atividades serão acompanhadas pela Agência. O coordenador ressaltou ainda que esse primeiro workshop é uma oportunidade de capacitar a equipe de técnicos da AEB para trabalhar na disseminação do programa nas escolas de todos os estados brasileiros.

O programa Globe foi criado em 1995 e hoje está presente em mais de 700 escolas distribuídas em 112 países. Até 2014 o programa teve a participação de mais de mil professores e cerca de 10 mil estudantes.

Professores Recebem Certificado Globe - O último dia do workshop Globe Brasil (29.06) foi marcado pela apresentação do Eco-escolas, programa de educação voltado para a melhoria, consciência e sensibilização ambiental na escola. O programa com vertentes mais simples que o Globe foi apresentado pelo coordenador no Brasil, Ricardo Cerruti.

O workshop Globe terminou no final da manhã de quarta-feira (29.06) com a entrega dos certificados aos professores e técnicos. O presidente da AEB, José Raimundo Coelho, ressaltou a importância do evento no maior país da América Latina e a oportunidade de formar uma família sul-americana, como é divulgado pelos coordenadores do programa.

“Por sermos o maior país da América Latina estamos muito atrasados. Nós brasileiros temos que esforçar para ampliar essa contribuição. Vamos trabalhar duro e tentar igualar aos outros países. A China tem razões específicas para dominar o mundo, a Índia também (a defesa). Essa é mais uma oportunidade de trabalharmos com projetos mútuos no mundo inteiro. O objeto é fascinante. Vamos tentar melhorar a vida das crianças do nosso país. A AEB deseja ser ator ativo desse processo”, afirmou o professor José Raimundo.



Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Nenhum comentário:

Postar um comentário