Projeto Aster é Proposto no IWAE. Será Realizado?


Olá leitor!

Durante a realização do I Workshop de Astronomia Espacial (IWAE) ocorrido em 03/09 desse ano na USP, foi apresentada a comunidade científica brasileira presente no evento diversos projetos interessantes e entre eles o Projeto Aster.

Trata-se do desenvolvimento em parceria com os russos da primeira sonda de espaço profundo brasileira para pesquisar um asteróide próximo a Terra.

Abaixo, faço uma descrição preliminar desse projeto proposto por pesquisadores do INPE, UnB, UFABC e da UNESP.

Duda Falcão

Projeto Aster
Vôo para Asteróide Próximo à Terra
Primeiro Projeto Brasileiro em Espaço Profundo

Equipe Envolvida

Antonio F. Bertachini A. Prado (DEM-INPE)
Alexander Sukhanov (IKI/INPE)
Elbert E. Macau (LAC-INPE)
Gilberto Sandonato (LAP-INPE)
Haroldo F. de Campos Velho (LAC-INPE)
Ijar da Fonseca (DEM-INPE)
José Leonardo Ferreira (UnB)
Luiz Martins (UFABC)
Othon Winter (UNESP)
Walter Abraão (DEM-INPE)

Primeiros Passos

Primeira Idéia:

Missão sugerida por Elbert Macau (LAC-INPE) e Othon Winter (UNESP, Guaratinguetá - SP)

Objetivo Científico da Missão:

Aproximação com velocidade zero de um asteróide e realizar sua exploração a uma distância próxima.

Requisitos Qualitativos da Missão:

Sistemas de asteróides binários ou triplos
Custo da missão deve ser tão reduzido quanto possível

Objetivos Científicos e Tecnológicos

Objetivos Científicos:

1. Exploração de um asteróide binário ou triplo

Investigação Sobre a Natureza do Objeto:

(a) composição química;
(b) distribuição de massa

Objetivos tecnológicos:

1. Oportunidade de embarcar componentes espaciais em desenvolvimento no Brasil: propulsores iônicos
2. Cooperação em sistemas de transmissão de sinais a distâncias muito longas

Outros Objetivos Tecnológicos:

· O Brasil precisa dominar e testar (em vôo) tecnologias estratégicas

Propulsão iônica:

(a) Protótipo Phall-01 – UnB (20 cm diâmetro x 10 cm altura)
(b) Pion-III – LAP-INPE

Propulsor iônico PION-III - Controle de atitude:

Ion Thruster Project – Artistic conception
of the ions source of the engineering model: PION-III

Ion Thruster Project – Artistic conception of the whole:
ions source, flow control system, propellant reservoir

Feixe de argônio obtido com a versão PION-II

PION-III (16cm/5mN): primeiro uso fonte de íons
(tratamento de superfície) (LAP/LAS)

Final phase of the PION-III version (5cm/1mN)

Asteróides Candidatos

· 1991 VH
· Didymos
· 1999 KW4
· Hermes
· 2001 SN263
· 1996 FG3
· 1994 AW1
· Eugenia

Opções de Lançamento e Missão de Baixo Custo

Opções de Lançamento:

· 2015
· Piggybacking
· Lançamento dedicado por veículo lançador baseado em míssil R-29 (SS-N-8) lançado por submarine

Custo Estimado da Missão:

US$ 35 Milhões

(a) Plataforma espacial
(b) Módulo de serviço
(c) Desenvolvimento/testes de propulsores iônicos (Brasil)
(d) Serviços da missão (segmento de solo)
(e) Pós-processamento dos dados


Fonte: Site do I Workshop de Astronomia Espacial (IWAE)

Comentário: Apesar da grande significância científica e tecnológica desse projeto, temo que o mesmo faça parte da classe de projetos vaga-lumes que de vez em quando aparece nos bastidores do PEB. Infelizmente devido às cabecinhas de panetone (como dito recentemente num comentário feito aqui no blog pelo leitor Sengedradog) não creio que esse projeto vá à frente, muito menos nesse prazo tão curto de 2015. Esse pesquisador Alexander Sukhanov (acredito que seja russo) tem se empenhado muito nos últimos anos para aprovar diversos projetos de sondas junto ao governo em parceria com os russos sem que infelizmente tenha obtido sucesso. Foram eles o projeto MCE (Monitor de Clima Espacial, que seria a primeira sonda de espaço profundo brasileira), o projeto brasileiro/russo Santos Dumont (proposto para substituir o projeto do MCE) e o mais significativo de todos eles em minha opinião, o projeto Ishtar (primeira sonda lunar brasileira).

Comentários

  1. 35 Milhões? Kkkk então é brinquedo.

    ResponderExcluir
  2. Olá Anônimo!

    Desculpe-me amigo, não creio que os profissionais envolvidos com essa proposta estejam brincado, e muito menos que estejam envolvidos com o desenvolvimento de um brinquedo.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Esse cara ae tem 35$ milhões ...
    os cara tao desenvolvendo, O Propulsor iônico eles não tao brincando mesmo, e o outro falando que é brinquedo é um idiota mesmo

    ResponderExcluir
  4. Ótimo projeto, excelente para o aprimoramento da indústria tecnológica nacional. Desejo muito que outros projetos estejam a caminho. Prefiro vários pequenos projetos de baixo custo, do que poucos projetos caros. Acredito que com muitos projetos de baixo custo, estaremos contribuindo com a evolução constante de novo equipamentos de alta tecnologia, gerando riquezas dentro do território nacional.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Rússia Oferece ao Brasil Assistência no Desenvolvimento de Foguetes