AEB Inicia Curso para Professores em Alcântara (MA)


Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada ontem (30/11) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando que foi iniciado pelo "Programa AEB Escola" da agência espacial o primeiro “Curso de Astronomia e Astronáutica da Escola do Espaço do Centro de Lançamento de Alcântara (Escla)”, exclusivamente para professores do ensino fundamental e médio da rede pública do Estado do Maranhão.

Duda Falcão

AEB Inicia Curso de Capacitação para Professores em Alcântara (MA)


Coordenação de Comunicação Social / AEB
30/11/2009


A chefe de Gabinete da Agência Espacial Brasileira (AEB), Nélia Ferreira Leite, participou, nesta segunda-feira (30), da abertura das atividades do curso de capacitação para professores da rede pública de ensino do Estado do Maranhão, promovido pela AEB Escola. A solenidade ocorreu, às 9h, no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), em Alcântara (MA) e faz parte da Escola do Espaço do Centro de Lançamento de Alcântara (Escla).

A Escla, projeto do Programa AEB Escola, em parceria com o Governo do Maranhão, Prefeitura de Alcântara, Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial e Centro de Lançamento de Alcântara, visa difundir o conhecimento sobre Astronomia, Astronáutica e Mudanças Climáticas, exclusivamente para professores do ensino fundamental e médio da rede pública do Maranhão. Ao todo, são 87 professores inscritos no curso, que contará com a presença de palestrantes do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e da Universidade de Brasília (UnB).

As atividade prosseguem até 4 de dezembro. Durante a semana, estarão ocorrendo eventos na cidade de Alcântara. A I Escla tem como objetivo disseminar o conteúdo da Coleção Explorando o Ensino, volumes 11, 12 e 13, que tratam de Astronomia, Astronáutica e Mudanças Climáticas, e capacitar os professores de Alcântara, para que possam desenvolver em sala de aula a temática espacial.

Serviço

Exibição de Filmes e Exposição Homem na Lua
Local: Casa de Cultura Aeroespacial
Data: 30 de novembro a 4 de dezembro
Horário:10h às 16h*

Observação Astronômica
Local: Praça da Matriz
Data: 2 e 3 de dezembro,
Horários: 19h30 às 21h e das
20h às 21h

Exposição Coleção Explorando o Ensino
Local: Museu Casa Histórica
Data:30 de novembro a 4 de dezembro
Horário:10h às 16h*

Oficinas nas Escolas
Data:30 de novembro a 4 de dezembro
Público: somente para os alunos e professores

Planetário Inflável
Local: Escola Dr. João Leitão
Público: somente para alunos e professores

Curso Astronomia e Astronáutica
Local: CLA
Data: 30 de novembro a 4 de dezembro
Público: somente para professores

Lançamento de Foguetes Artesanais
Local: Campo de Futebol Forte de São Sebastião
Data: 01 de dezembro
Horários: 17h30 às 18h30

*Segunda-feira das 14h às 16h e Sexta-feira das 10h às 12h


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Muito bom para o PEB que isso esteja acontecendo como já foi dito aqui em comentários anteriores. No entanto, iniciativas de sucesso no PEB são raras devido aos problemas já abordados aqui em diversas ocasiões e esse é um dos exemplos de sucesso que temos no Programa Espacial Brasileiro, apesar do mesmo ser um barco sem rumo. O “AEB Escola" tem sido desde a sua criação um exemplo de programa que tem alcançado sucesso junto aos alunos e professores das escolas da rede pública e privada de todo país. No entanto, apesar desse sucesso todo, o mesmo não é utilizado como exemplo pelos gestores da AEB, do MCT, do governo e das instituições que compõem a força tarefa do Programa Espacial Brasileiro. Vejam alguns exemplos de programas e projetos que deveriam seguir o exemplo do AEB Escola:

* Programa de Microgravidade - As pesquisas selecionadas esperam há três anos a concretização do vôo do foguete VSB-30 e do vôo para ISS com experimentos da “Comunidade Científica Brasileira” previstos no 3° AO (Anúncio de Oportunidade). Enquanto isso, foram feitos cinco vôos com o foguete VSB-30 para o “Programa Europeu de Microgravidade” desde então. Uma falta de respeito aos pesquisadores envolvidos com os experimentos. Um vergonha.

* Programa Uniespaço - Os pesquisadores estão na espera sem qualquer previsão da divulgação dos projetos selecionados do “Anuncio de Oportunidade” de 27 de julho de 2009, que previa a divulgação desses resultados em 15 de outubro e a assinatura do “Termo de Compromisso” em 15 de novembro. Uma situação frustrante e uma verdadeira falta de respeito para com os pesquisadores e cientistas que enviaram seus projetos para esse importante e crucial programa do PEB.

* Projeto SARA - O período de desenvolvimento desse projeto divulgado pelo IAE, não é só uma piada de mau gosto, é também inadmissível. Esse projeto que foi iniciado por volta de 2003, já conta com seis anos de desenvolvimento e recentemente foi estabelecido o prazo de mais 12 anos para a sua finalização, ou seja, em 2022, quando então os americanos, russos, chineses, japoneses, indianos e europeus estarão com suas bases na LUA ou muito próximos de concretizarem isto. Uma vergonha.

* Projeto VLS-1 - De suma importância para que o Brasil possa fazer parte do chamado “Clube Espacial”, esse programa iniciado em 1984 já completou 25 anos de desenvolvimento sem qualquer resultado prático. Para complicar ainda mais seu quarto vôo de qualificação que estava previsto para 2012 foi adiado para 2014, ficando seus dois vôos tecnológicos para 2011 e 2012 respectivamente. Como exemplo: a Coréia do Sul com o apoio russo em sete anos saiu praticamente do nada para lançar seu foguete e satélite em orbita que infelizmente para eles falhou.

* Motor-Foguete Líquido L75 - Seu desenvolvimento foi iniciado com o apoio russo após a assinatura de um acordo entre os dois países por volta de 2006 e só agora, três anos depois é que parece que a coisa esta andando. No entanto, só estará disponível pelo que foi divulgado em 2014. Poderia ser feito em muito menos tempo se houvesse seriedade.

* Satélite Amazônia 1 / SSR-1 - Esse é recordista, e um verdadeiro integrante dos chamados projetos estica e puxa do PEB. Sua concepção foi feita ainda na época da antiga Missão Espacial Completa Brasileira (MECB) no final dos anos 70 para atender o programa do VLS-1. Ou seja, é um projeto que tem 30 anos e só agora em 2011 (se não houver algum atraso ou acidente) será colocado no espaço. Isso leitor que é um verdadeiro instinto de sobrevivência, rsrsrs.

* Satélite MAPSAR / SSR-2 - Esse também é recordista e é também da época da antiga Missão Espacial Completa Brasileira (MECB) no final dos anos 70, além de ser um dos grandes exemplos dos chamados projetos metamórficos do PEB, já que o mesmo não só mudou de nome nesse período como também de função. Está previsto a ir ao espaço por volta de 2014, rsrsrs.

* Satélite Sabia/Mar - Desde 1997 se fala desse satélite que é um projeto conjunto entre brasileiros e argentinos. Desde então, muita papelada assinada, muito blá-blá-blá político e após 12 anos nada de concreto. Sinceramente tenho minhas dúvidas que essa coisa vá dar em algo.

Bom leitor, poderia seguir adiante descrevendo os vários projetos e programas das classes estica e puxa, metamórficos, vaga-lumes (como a PSO, o SCD-3, o Eco-8 System, o MCE, o Mirax, o Equars, o Sonda III-A, o VS-43, o VLM, o Programa Cruzeiro do Sul entre outros), que compõem a história do programa espacial brasileiro. No entanto, não acho que seja necessário, pois muito de vocês os conhecem perfeitamente. Infelizmente para o Brasil a história do programa se confunde com o presente do mesmo e resulta nesse verdadeiro barco sem rumo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial