O Foguete VSB-30 - Artigo


Olá leitor!

Segue abaixo um artigo postado ontem (25/12) no site “brasilwiki.com.br” destacando o foguete brasileiro VSB-30.

Duda Falcão

O Foguete VSB-30

Wiki repórter
Jony Santellano
São José dos Campos-SP
25/12/2009


O foguete VSB-30 é um foguete de sondagem constituído de dois estágios com propulsores sólidos destinado à realização de experimentos científico-tecnológicos sendo desenvolvido pelo IAE (Instituto de Aeronáutica e Espaço), órgão vinculado ao DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial), do Comando da Aeronáutica, e sediado em São José dos Campos, SP. O VSB-30 foi projetado a partir de 2001 conjuntamente com a Agência Espacial Alemã (DLR) e o seu primeiro lançamento foi realizado em 2004.

Concebido para transportar uma carga útil com experimentos de até 400 kg o VSB-30 pode atingir cerca de 270 km. Possui 12,8 m de altura, 0,577 m de diâmetro e 2.657 kg. Até o presente foram realizados sete lançamentos do foguete, todos considerados bem sucedidos, sendo dois realizados a partir do Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão, e cinco do Campo de Lançamento de Esrange, na Suécia.

As operações de lançamento realizadas na Suécia empregam o foguete brasileiro no programa científico europeu de pesquisa nas altas camadas da atmosfera. O Campo de Lançamento de Esrange possui um lançador de três trilhos diferente do lançador de um trilho utilizado em Alcântara. Por esse motivo o foguete VSB-30 é construído em duas versões uma para o lançamento no Brasil e outra para a Suécia.

O VSB-30 foi certificado pelo IFI (Instituto de Fomento Industrial), também órgão do DCTA e responsável pela certificação aeronáutica e espacial, tornando-se o primeiro foguete brasileiro a receber essa qualificação. O processo de certificação é uma etapa importante na fabricação e comercialização de produtos aeroespaciais, sendo necessário para garantir a confiança no funcionamento e a segurança na operação do produto.

De acordo com estudos realizados pelo IAE atualmente existem condições favoráveis no mercado global para a comercialização de foguetes com o perfil do VSB-30 tendo em vista o seu emprego na realização de experimentos científico-tecnológicos. Recentemente a empresa Friulli, da cadeia aeroespacial de São José dos Campos, venceu uma licitação realizada pelo DCTA para a fabricação dos motores (do primeiro e segundo estágios) do VSB-30. A expectativa é que os motores fiquem prontos até o segundo semestre de 2010.

Na opinião de analistas do setor aeroespacial brasileiro o desenvolvimento bem sucedido do programa VSB-30, que poderá ser utilizado também no lançamento comercial de cargas espaciais, contribuiu para a recomposição da imagem desgastada do país após o acidente do VLS (Veículo Lançador de Satélites) ocorrido em agosto de 2003.

FONTES:

- VSB-30: disponível no Portal do IAE: http://www.iae.cta.br/vsb30.php
- VSB-30: disponível no Portal do DCTA: http://www.cta.br/OPCumaII/vsb30.html
- VSB-30: disponível na Wikipédia: http://pt.wikipedia.org/wiki/VSB-30
- Jornal Valeparaibano, São José dos Campos, SP. ("Empresa de S. José fará motor do VSB", p. 12).
- História da ciência no Brasil. Vol. 3: A consolidação das pesquisas espaciais. (São Paulo: Duetto, 2009).


Fonte: Site brasilwiki.com.br

Comentário: Apesar da informação do autor do artigo não está correta quanto ao número de vôos realizados até o momento com o VSB-30 (foram na realidade nove e não sete, sendo sete na Europa e dois no Brasil) o mesmo relata algo de muito importante que é a concretização da industrialização do foguete com a fabricação dos motores (do primeiro e segundo estágios) pela empresa Friulli de São José dos Campos. Até onde tenho informação o motor era a última parte de foguete que faltava ser repassada para a indústria e com isso fecha o processo de industrialização do foguete. É curiosa a notícia de que existe duas versões desse foguete.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial