Dep. Paranaense Cobra Esclarecimentos do Diretor da ACS


Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria muito interessante publicada dia (07/10) no “Jornal Pequeno online” do estado do Maranhão destacando que o deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) não ficou muito satisfeito com os esclarecimentos prestados pelo diretor-geral brasileiro da empresa binacional Alcântara Cyclone Space, Roberto Amaral, sobre a necessidade de ampliação do capital da empresa e sobre os andamentos para o uso da base de Alcântara (MA) durante a audiência pública realizada dia 06/10 na Comissão de Relações Exteriores da Câmara Federal.

Duda Falcão

Faltam Esclarecimentos Sobre Aumento de
Recursos de Empresa Espacial, Afirma Hauly

Letícia Bogéa
07/10/2009


Em audiência pública ontem na Comissão de Relações Exteriores, o deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) cobrou do diretor-geral brasileiro da empresa binacional Alcântara Cyclone Space, Roberto Amaral, esclarecimentos sobre a necessidade de ampliação do capital da empresa e sobre os andamentos para o uso da base de Alcântara (MA), com a construção de edifícios e do sítio de lançamento. Hauly foi autor do requerimento que convidou o diretor para prestar esses esclarecimentos e em sua avaliação, as explicações dadas foram insuficientes. Segundo o tucano, faltou explicações do que foi gasto, qual o cronograma físico e financeiro, o que foi capitalizado e em qual estágio está a 2ª fase de capitalização da empresa.

Segundo o tucano, é necessário estudar e analisar melhor essa ampliação do capital. “É estranho essa ampliação de recursos - US$ 100 milhões -, onde não tem nada, nem alvará de funcionamento na área”, ressaltou. “O diretor da empresa apresentou o que foi gasto e o que foi feito e até agora, lamentavelmente, houve muito gasto e pouco resultado”, completou. “Na verdade, foram apresentados mais problemas do que soluções”, lamentou.

O parlamentar questionou sobre o acordo do Brasil com a Ucrânia e perguntou como está o andamento do tratado que funciona em Alcântara. “Esse assunto é de interesse nacional. Portanto, precisamos dar explicações ao povo de como está o andamento. Vamos fazer uma avaliação melhor pelo partido e pela consultoria legislativa da Casa para poder dar explicações do que está acontecendo lá”, disse.

Em abril último, foi acertado um aumento de capital de US$ 105 milhões para US$ 475 milhões, divididos igualmente entre os dois países. A intenção da empresa é lançar o primeiro satélite, ainda que sem fins comerciais, no segundo semestre de 2010. O lançamento comercial está previsto para 2011.

Conforme explicou, a binacional enfrenta grandes problemas, como a questão da autorização ambiental do Ibama. Ele lembrou ainda de quando fez o requerimento, que falava do aumento do capital da empresa para US$ 375 milhões. “Esse é o ponto central que envolve recursos públicos do Tesouro, oriundos de impostos e contribuições que o Brasil tem nesse acordo binacional. É preciso saber da necessidade de ampliação, justificativa, desempenho financeiro, recursos repassados, o que foi de concreto na questão do avanço desta plataforma e também do foguete”, apontou.


Fonte: Jornal Pequeno online - 07/10/2009

Comentário: Infelizmente leitor não tenho maiores informações de como terminou essa história ou se terá um novo capitulo escrito pelo deputado paranaense. No entanto, agora parece explicado, ou seja, não é por acaso que o senhor Roberto Amaral esta fora da mídia há mais de dois meses. Aparentemente o mesmo não acompanhou o presidente Lula na recente viagem a Ucrânia, pois o nome dele não foi citado em momento algum nem pela mídia nacional e nem pela mídia internacional. Ou o senhor Roberto Amaral foi fritado ou está sendo poupado para não atrair muita atenção para o que não pode ser explicado. Uma vergonha!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial