domingo, 31 de maio de 2015

Visita de Estudantes de Natal ao CLBI

Olá leitor!

Para fechar o nosso domingo com alguma notícia positiva, trago agora para você uma reportagem da "InterTV Cabugi" sobre a visita recente de mais de 200 alunos do ensino médio da Escola Estadual Peregrino Júnior (escola esta localizada na Zona Norte de Natal-RN) ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), visando com isto a preparação desses estudantes para a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). Vale a pena dar uma conferida.

Duda Falcão

3 comentários:

  1. Essa notícia é positiva mesmo. Como já disse nosso amigo Carlos Cássio, temos sempre que ter esperança em uma amanhã melhor. Porque nosso presente está deixando a desejar.

    Abs a todos,
    Felipe Dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. " TEMOS QUE SER SÁBIO NOS MOMENTOS DE TORMENTAS. O SÁBIO PODE MUDAR O MUNDO DE OPINIÕES. O IGNORANTE APRESSADO....NUNCA"

      Bom dia! grande sábio e amigo Sr. Felipe Dias. A realização de um sonho em sermos testemunha de bons dias futuros para o PEB, depende de dedicação e investimento na educação científica, há muita gente especulativa que espera sentado, criticando negativamente, sem esboçar um ato positivo, e esperam que o sonho se realize por mágica, a ilusão não tira ninguém de onde está, no abstrato. Em verdade a ilusão, acho eu! que seja o combustível dos pessimistas, pois...Quem quer fazer alguma coisa pelo futuro do PEB e do Brasil, analisa com razão e exponhe os fatos, para serem aplicados com sabedoria, tudo se resume em encontrar uma formula e meios para tal.
      Quem não quer fazer nada! simplesmente nada!!!! encontra sempre uma desculpa esfarrapada.
      Aqui no CEFAB com ajuda técnica do CEFEC, estamos a todo vapor para se tornar pática, realmente, as nossas atividades. Aguardem todos, para uma grande surpresa!!!. Não estaremos apreensivos com uma possível ajuda do governo, que nada fazem em ajudar os grupos amadores.
      " A EDUCAÇÃO, é o maior investimento do capital humano. O valor econômico, depende predominantemente da PROCURA e OFERTA da INSTRUÇÃO a serem aplicadas. Afirma ainda que " em nações de alta renda, o que constitui riqueza, é antes de tudo a habilidade do homem". No caso brasileiro, a economia não terá salvação se não houver pessoas qualificadas, para impulsionar a dinâmica de desenvolvimento do país. O capital humano é um excelente investimento". Professor Felipe, sabe quem proferiu está frase, adocicada por mim, quando cite " brasileiro", foi THEODORE SCHULTZ, prêmio nobel de 1979, que afirmou categoricamente os nossos anseios.
      Só sei que quando melhorar as minhas condições financeira , vítima desse governo insano, tentarei investir massivamente na educação e nos projetos de interesse do meu grupo, que estão todos em papel vegetal, por falta de recursos.
      O intuito é congregar em conjuntos com os grupos sênios, mais antigos e tradicionais, comunidades e conhecimentos em torno dos objetivos da atividade espacial educativa, nas escolas. Preparar e desenvolver projetos de caráter técnico e educativo-científico, nas área de astronomia e astronáutica, "space Education", objetivando implantar a mentalidade espacial, fomentando a conscientização, vocações e criatividade na geração de novos talentos, identificando com o setor espacial especiais. Será o nosso plano de salvação futura do PEB. A minha parte, com 57 anos, estarei fazendo!!!!!!! Segundo os meus mentores: Cap. Basílio Baranoffe ( em memória ) e do Prof. José Felix, presidente do inusitado grupo CEFEC de Carpina-PE, pensam num conjunto de atividades e ensino, através de projetos pilotos em Educação para o Espaço, nas instituições de ensino fundamental 1 e 2, e ensino médio, na formação de Grupos Espaciais Educativos, no direcionamento de talentos para as atividades espaciais.

      Excluir
    2. Olá caro amigo Carlos Cássio, eu não sou tão sábio não, nem mesmo professor..rs..só tenho 26 anos e a área espacial nem é minha área, mas confesso que fico com raiva com certas atitudes dos nossos governantes e até dos militares. Se o Brasil fosse um país sério, já teria por exemplo começado a taxar as grandes fortunas e com isso teríamos mais 50 bilhões de reais anuais no orçamento. Daria para pegar tranquilamente uns 3 ou 5 bilhões anualmente e colocar no nosso programa espacial, o que nos faria tornar uma grande potência espacial. Mas para quem é contra a taxação das grandes fortunas(grandes fortunas aqui é algo entre 50 milhões de reais para cima, só para deixar claro) era só combater combater a evasão fiscal que só em 2010 fez o Brasil perder incríveis 490 BILHÕES de reais. Daria ou não para transformar o Brasil? Teríamos dinheiro para investir em todas as áreas estratégicas, mas com o congresso que temos onde a maioria foi eleita utilizando financiamento privado e tem rabo preso com grandes empresas fica bem difícil de acontecer. No Brasil, não falta dinheiro. Falta vergonha na cara. É só o que eu acho.

      Felipe Dias

      Excluir