quinta-feira, 28 de maio de 2015

Atlas da Mata Atlântica Aponta Queda de 24% no Desmatamento

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (27/05) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB), destacando que o Atlas da Mata Atlântica aponta queda de 24% no Desmatamento.

Duda Falcão

Atlas da Mata Atlântica Aponta
Queda de 24% no Desmatamento


INPE

Brasília, 27 de maio de 2015 – A Fundação SOS Mata Atlântica e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) apresentam os novos dados do Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, no período de 2013 a 2014. A divulgação será no Dia Nacional da Mata Atlântica, comemorado hoje (27).

Baseado na análise de imagens de satélites, o estudo aponta desmatamento de 18.267 hectares (ha), ou 183 Km², de remanescentes florestais nos 17 estados da Mata Atlântica, uma queda de 24% em relação ao período anterior (2012-2013), que registrou 23.948 ha.

Segundo Flávio Jorge Ponzoni, pesquisador e coordenador técnico do estudo pelo Inpe, nesta oportunidade foram utilizadas imagens do sensor OLI do satélite Landsat 8, que apresentam características técnicas similares daquelas utilizadas na geração das versões anteriores deste Atlas. “Essa similaridade garante a comparação entre dados gerados em edições passadas do Atlas, que foram geradas fundamentalmente pela análise de imagens do sensor TM/Landsat 5”.

Nesta edição do estudo, Piauí foi o estado campeão de desmatamento, com 5.626 ha. Um único município piauiense, Eliseu Martins, foi responsável por 23% do total dos desflorestamentos observados no período, com 4.287 ha. É o segundo ano consecutivo que o Atlas observa padrão de desmatamento nos municípios ao sul do Piauí.

No período anterior, entre 2012 e 2013, foram desmatados 6.633 ha em municípios da mesma região, com destaque para Manoel Emídio (3.164 ha) e Alvorada do Gurguéia (2.460 ha).

Para Marcia Hirota, diretora-executiva da Fundação e coordenadora do Atlas pela organização, esses dados são importantes para reforçar o debate sobre a proteção do bioma no Piauí. “Essa é uma importante região de fronteira agrícola e uma área de transição entre a Mata Atlântica, o Cerrado e a Caatinga, o que acende discussões sobre seu grau de proteção. No entanto, são áreas incluídas no Mapa de Aplicação da Lei da Mata Atlântica (Lei nº 11.428/06), que protege seus ecossistemas associados e deve ser cumprida”.

No oeste da Bahia está o segundo município com maior registro de desmatamento no período – Baianópolis, com 1.522 ha. Com 4.672 ha desmatados, a Bahia foi o terceiro estado que mais desmatou o bioma no período. Apesar da posição de segundo estado que mais desmatou a floresta entre 2013-2014, com 5.608 ha, Minas Gerais reduziu em 34% o desmatamento se comparado ao período anterior.

O Atlas - O Atlas dos Remanescentes Florestais e Ecossistemas Associados do Bioma Mata Atlântica, desenvolvido pela Fundação SOS Mata Atlântica e o Inpe, representa um grande subsídio para a compreensão da situação em que se encontra a Mata Atlântica.

O primeiro mapeamento, publicado em 1990, com a participação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), teve o mérito de ser um trabalho inédito sobre a área original e a distribuição espacial dos remanescentes florestais da Mata Atlântica e tornou-se referência para pesquisa científica e para o movimento ambientalista. Foi desenvolvido em escala 1:1.000.000.

Em 1991, a SOS Mata Atlântica e o Inpe iniciaram a um mapeamento em escala 1:250.000, analisando a ação humana sobre os remanescentes florestais e nas vegetações de mangue e de restinga entre 1985 a 1990.

Publicado em 1992/93, o trabalho avaliou a situação do bioma nos estados da Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que apresentavam a maior concentração de áreas preservadas. Os estados do Nordeste não puderam ser avaliados pela dificuldade de obtenção de imagens de satélite sem cobertura de nuvens.

Os dados completos e o relatório técnico podem ser acessados no servidor de mapas http://mapas.sosma.org.br

Abaixo, gráfico do histórico do desmatamento desde 1985:

Os dados completos e o relatório técnico poderão ser acessados nos sites www.sosma.org.br e www.inpe.br, ou diretamente no servidor de mapas http://mapas.sosma.org.br.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

6 comentários:

  1. Duda Falcão , hoje dia 28/05/2015 recebi uma notícia negativa que pode ser um sinal que o programa da ACS pode sair do papel, foi a notícia que a Rússia criou outro Embargo da Carne Brasileira, enquanto a China voltou a comprar Carne do Brasil , a Rússia faz ao contrário, isso é um Sinal que o Brasil se posicionou do lado dos EUA e a Europa Ocidental , com isso a Ucrânia fica livre para voltar investir no Cyclone 4, desde a última reunião dos G-20 na Austrália que o Brasil mudou de lado , a ponto do Putin sair um dia antes do término da reunião, dali em diante o governo Brasileiro mudou totalmente a natureza do 1° mandato da gestão da Dilma.

    ResponderExcluir
  2. acredito que os EUA fez algumas imposições ao governo Dilma a ponto de mudar da água paro o vinho, como a Ucrânia está do lado dos EUA e o Ocidente Europeu, isso em tese dar passe livre para a Bi-Nacional ACS seguir desenvolvendo seu programa com o Brasil , em tese, caso os EUA aprovem essa ideia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Stone Vox!

      Desculpe-me, mas em minha opinião sua visão não faz o menor sentido e está completamente equivocada. Entretanto, isto não significa que a volta por cima da ACS não possa acontecer há qualquer momento, já que temos imbecis, debiloides, pessoas de moral discutível e irresponsáveis a frente deste assunto, especialmente quem tem a última palavra. Em outas palavras, enquanto não acontecer a denúncia oficial contra o acordo do Governo Brasileiro, tudo pode acontecer.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  3. desde a última reunião em Novembro de 2014 que o Brasil vem ficando cada vez mais distante do seu parceiro Rússia, com esse Embargo é uma prova da situação , a Rússia convidou o Brasil junto com os outro membros do BRICS, para construção de mais um Estação Espacial Internacional e o Brasil não se posicionou.

    ResponderExcluir
  4. a Rússia também comunicou ao Brasil , que caso a Bi-Nacional não termine o projeto da ACS que o Rússia pode retomar uma parceria com o Brasil , já que a planta do Sítio Ucraniano é muito parecido com o Rússo

    ResponderExcluir
  5. O Brasil é e sempre será colônia.

    http://www.defesanet.com.br/space/noticia/19264/Governo-quer-ampliar-uso-de-satelites-de-sensoriamento-remoto/

    Podem até discordar, mas os fatos estão aí para todo mundo ver.

    ResponderExcluir