INPE Define Prazos do Satélite CBERS-3

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada dia (24/08) no jornal “O VALE” dando destaque a definição pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) dos prazos para o lançamento do satélite CBERS-3.

Duda Falcão

REGIÃO

INPE Define Prazos do CBERS-3

Após atraso e pressão do governo chinês, Brasil define a
partir da próxima semana cronograma para cumprir acordo

São José dos Campos/ae
24 de Agosto de 2011 - 04:00

Thiago Leon

A AEB (Agência Espacial Brasileira) e o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) começam a definir na próxima semana ajustes no cronograma do lançamento do satélite CBERS-3, em parceria com a China.

Após pressão do governo chinês e ameaça de abandono do projeto, os órgãos brasileiros se comprometeram a lançar o satélite até novembro de 2012. Inicialmente, o lançamento do CBERS-3 estava previsto para 2007.

Em Pequim, na China, o diretor do INPE, Gilberto Câmara, afirmou que o atraso do lançamento é motivado pela dificuldade em desenvolver equipamentos pela falta de mão de obra e de investimentos no setor.

Nos três primeiros satélites lançados em parceria com a China, o Brasil foi responsável por 30% dos componentes. Já no CBERS-3, essa produção subiu para 50%. “Aumentou a complexidade e a parcela que cabe ao Brasil”, disse Câmara.

Para acelerar o processo de desenvolvimento dos equipamentos, o INPE pretende pleitear a contratação de 60 profissionais. A falta de novos funcionários e investimentos nos órgãos de pesquisa do país foi um dos motivos que provocou a saída de Câmara da direção do INPE, prevista para dezembro --dois anos antes do término de seu mandato.

Risco - Segundo Câmara, um novo atraso no lançamento pode colocar em xeque não só o projeto, como a capacidade do país em cumprir acordos internacionais.

O presidente da AEB, Marco Antonio Raupp, também defendeu a importância do cumprimento do acordo com o governo chinês. “Estamos cinco anos atrasados. A China lançará 19 satélites até 2015 e o Brasil 3”, disse Raupp.

O acordo assumido anteontem entre as agências espaciais prevê ainda o lançamento de um novo satélite, o CBERS-4, em 2013, além do monitoramento da nave chinesa Shenzhou-8 na base de Alcântara, no Maranhão, quando ela passar pela região em meados de outubro.

Parceria - Iniciado em 1988, o programa de cooperação entre Brasil e China é o mais sólido pilar da relação entre os países e levou ao lançamento de três satélites Sino-Brasileiros de Recursos Terrestres, chamados de CBERS e numerados como 1, 2 e 2-B. O quarto, o CBERS-3, deveria ter entrado em órbita em 2007, mas o Brasil não cumpriu prazos de entrega previstos no acordo.

É Preciso Contratação Urgente, diz Sindicato

São José dos Campos - Para o Sindicato dos Servidores Públicos Federais na Área de Ciência e Tecnologia, a contratação de 60 profissionais temporários não resolve o problema do setor.

“Com esse novo prazo, começa a ocorrer uma situação de mudança de foco, para melhorias pontuais. Quem são essas 60 pessoas? Elas já deveriam fazer parte do INPE. Essa é uma política trágica e irracional de contratações temporárias”, afirmou o presidente do sindicato, Fernando Morais.

Ele destaca que o momento é propício para que o INPE receba recursos a fim de alavancar o programa espacial.

Investimento - “A má vontade do governo brasileiro em valorizar o funcionário público está prejudicando todo o setor. O INPE tem que receber contratações urgentes. Além de 60 efetivos, outros 100, 200 e até 400 teriam que ser trazidos para aprenderem com os mais experientes”, disse o dirigente sindical.

A estimativa do sindicato é que a defasagem de profissionais no setor aeroespacial seja de pelo menos 400 pessoas somente no INPE.

Saiba Mais

CBERS-3
O que é

Satélite destinado ao monitoração do clima, de recursos hídricos e controle do desmatamento.

Lançamento
Atraso

Intenção da AEB e do INPE é lançar o satélite até novembro de 2012, com 5 anos de atraso; órgãos querem contratações para acelerar a produção.


Fonte: Site do jornal “O VALE” - 19/08/2011

Comentário: Como disse ontem no meu comentário sobre esse assunto que acompanhou a matéria do jornal “O Estado de São Paulo”, com a pressão chinesa, realmente aumentam as possibilidades de que a novela desse satélite venha finalmente acabar em 2012. Já que devido a problemas que poderão ser causados a outros projetos de real interesse do governo DILMA atualmente em curso com a CHINA, poderá servir de motivação para que essa gente se mexa, mesmo a contra gosto. Entretanto, essa gente de Brasília com raríssimas exceções e independente de partido, é escorregadia, asquerosa, nojenta, mas cheia de saídas brilhantes para situações como essa, que até o coisa ruim do folclore popular duvida. Sinceramente tenho pena dos profissionais a serviço do Programa Espacial Brasileiro, gente de princípios em sua grande maioria, grandes profissionais desejados por países que sabem quanto custa um profissional com esse (vejam os exemplos do Gilberto Câmara e o Marco Antônio Raupp), mas que ficam a mercê anos a fio de decisões mirabolantes e irresponsáveis desses energúmenos (degenerados de formação) que levam aos mesmos passarem por situações altamente constrangedoras por onde passam a serviço do PEB. Assim sendo, essa garantia da AEB e do INPE para os chineses de entregar o satélite a tempo de lançá-lo em novembro de 2012 dependerá exclusivamente que o ministro Mercadante e a presidente DILMA deixem de papo furado e tomem as decisões necessárias de infraestrutura que permitam ao INPE e a AEB cumprirem esse compromisso agora firmado. Para os chineses, um conselho: Cobrem do presidente de vocês um contato direto com a Presidente DILMA exigindo que o prazo agora firmado seja cumprido, deixando claro os riscos disso não acontecer, só assim existirá uma possibilidade dessa gente tomar as decisões necessárias que permitam os profissionais do INPE realizarem esse prazo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Ouviu o Barulho no Céu? Entenda o Fenômeno Que Assustou os Brasileiros no Último Final de Semana

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro