Turismo Espacial Deve Crescer em 2015, Prevê Bolsista da AEB

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (29/01) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando segundo bolsista da AEB o Turismo Espacial deverá crescer em 2015.

Duda Falcão

Turismo Espacial Deve Crescer em 2015,
Prevê Bolsista da AEB

Fonte: EBC


Brasília 29 de janeiro de 2014 - Quem nunca imaginou como seria fazer uma viagem ao espaço? O estudante de engenharia elétrica da Universidade de Brasília (UnB) e bolsista na Agência Espacial Brasileira (AEB), Pedro Henrique Dória Nehme, investe seus estudos em projetos espaciais e acredita que o mercado do setor deve se expandir a partir do final do ano.

Ele participou, nesta terça-feira (28), da Campus Party Brasil, em São Paulo, onde detalhou os principais projetos potenciais que podem atrair, ainda mais, cientistas e entusiastas das viagens espaciais.

Nehme acredita que, logo no começo de 2015, alguns projetos devem ser retomados. Em sua opinião, a indústria de atividades espaciais crescerá rapidamente, aumentando as possibilidades para quem deseja trabalhar no setor. “Hoje, a indústria espacial já tem startups nessa área, o que era uma coisa totalmente impensável”, afirma. A formação, no entanto, pode preparar profissionais para todos os campos, conforme explica Nehme. “É isso que as empresas procuram, um profissional que esteja vendo o projeto como um todo”, destaca.

Investimentos – As oportunidades para o turismo especial atraíram para a Campus Party 2014 estudantes como Joel Anderson, 21 anos, que cursa física em São Luís (MA). Interessado em astrofísica, ele se viu diante de mais possibilidades no evento. “Antes, achava que o único foco do turismo espacial seria a viagem a outros planetas, mas aqui verifiquei que o mercado pode render mais do que isso”, afirma Anderson, que tem o objetivo de trabalhar na Base de Lançamento de Alcântara, localizada em seu estado.

Apesar das grandes perspectivas no mercado mundial, no Brasil ainda falta investimento, de acordo com Nehme. “O mercado nacional hoje é um tanto restrito, por não ter uma indústria sólida, forte, que possa caminhar com as próprias pernas”, relata. “A sociedade precisa entender a importância desse mercado, o país ainda explora muito pouco as atividades espaciais. Os jovens precisam se engajar nessa questão”, defende.

O estudante venceu um concurso mundial da companhia aérea KLM, cujo prêmio é uma viagem espacial que ocorrerá neste ano. Ele também fez estágio na Agência Espacial Norte-americana (NASA).


Fonte: Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial