Dobra o Número de Raios em São José e Taubaté em 2014

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada hoje (18/01) no site do jornal “O VALE”, destacando que segundo o Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) dobrou o número raios em São José do Campos (SP) e em Taubaté (SP) no ano de 2014.

Duda Falcão

REGIÃO

Dobra o Número de Raios em
São José e Taubaté em 2014

Balanço do dia 1º a 16 de janeiro mostra que 4.845 descargas
elétricas atingiram as duas maiores cidades da RMVale

Ana Lígia Dal Bello
São José dos Campos
January 18, 2014 - 09:16

Foto Claudio Vieira
Descarga elétrica durante tempestade
no Rio Comprido, zona sul de S. José.
O número de raios nas duas maiores cidades do Vale do Paraíba dobrou nos primeiros 15 dias deste ano em relação ao registrado no mesmo período do ano passado.

Somente do dia 1º ao dia 16 deste mês, caíram 3.222 raios em São José dos Campos. No mesmo período do ano passado, foram registrados 1.623 raios.

Na vizinha Taubaté, foram registrados 1.023 raios, enquanto que, no mesmo período do ano passado, foram 419 descargas elétricas.

Apesar da quantidade ter aumentado neste início de ano, a incidência dessas descargas elétricas é considerada normal para o padrão da RM Vale, é o que explica o coordenador do ELAT (Grupo de Eletricidade Atmosférica) do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Osmar Pinto Júnior.

"O normal do Vale do Paraíba é ter muitos raios. Não quer dizer que neste verão vai ter mais raio, porque o período é muito curto e a variabilidade é grande. A previsão para este verão no Vale é de que a incidência de raio fique dentro da normalidade", disse o pesquisador.

"Se percebermos, na metade de fevereiro, que os números estão muito altos, pode-se rever a previsão e alertar a população. Dezembro teve muito pouco raio em São José, abaixo dos anos anteriores. O começo de janeiro está tendo mais do que nos anos passados, mas a média continua igual."

Urbanização

Já as tempestades, apesar de típicas do verão, vêm aumentando em São José nos últimos dez anos. "A urbanização está aumentando e isso aumenta a quantidade de raios. A medida que Jacareí, que é ao lado de São José, cresce, a tendência é aumentar a quantidade de raios", disse o coordenador.

A urbanização das cidades está diretamente associada ao grande número de descargas.

"Isso ocorre quando a cidade ultrapassa os 500 mil habitantes. A urbanização substitui a vegetação por asfaltos e prédios, isso aumenta a temperatura da superfície".

Ilhas

Como consequência do aumento de temperatura, formam-se ilhas de calor. Isto quer dizer que, naquela determinada cidade ou região a temperatura fica mais alta do que nas áreas vizinhas.

Poluição

A poluição produzida por indústrias e pela enorme frota de veículos também contribui para o surgimento das tempestades.

"Os automóveis jogam partículas na atmosfera, que facilitam a formação de tempestades", diz o coordenador.

Foto: Alan Collet
Árvore cai sobre carro no bairro Jardim São Dimas,
em São José, na quinta-feira.

São José  Tem Equipe  Para Remover Árvores

Em São José dos Campos, a SSM (Secretaria de Serviços Municipais) criou um plano de contingência para o período de chuvas.

Com equipes de plantão 24 horas, o objetivo do plano é agilizar os trabalhos de desobstrução de vias, queda de barreiras, árvores e galhos.

Uma equipe de 80 pessoas mantém um regime de plantão 24horas para atender casos como os de anteontem, por exemplo, quando caíram ao menos duas árvores de grande porte, uma no Jardim São Dimas, sobre um carro, e outra no Galo Branco, que atingiu parte do Clube de Malha do bairro.

Também na semana passada, no temporal de quinta-feira, 34 árvores caíram por conta dos ventos fortes.

Mapeamento

Segundo mapeamento da SSM, o patrimônio arbóreo de São José é composto de 120 mil árvores, somente na área urbana.

Para minimizar a quantidade de plantas derrubadas pelas chuvas, a SSM faz podas preventivas a cada seis meses e avaliações das condições fitossanitárias das espécies.

A vistoria é reforçada por um equipamento capaz de fazer o ultrassom da árvore.

Pelas imagens, os técnicos observam o interior da planta e suas raízes. Isto ajuda a definir que tratamento a árvore deve receber.

Este aparelho tem sido usado, inicialmente, nas árvores mais antigas da cidade

Precauções

Dentro de Casa, Evite:

Usar telefone com fio ou celular ligado a rede elétrica; ficar perto de tomadas e canos, janelas e portas metálicas; tocar em equipamento elétrico ligado a rede elétrica

Na Rua, Evite:

Segurar objetos metálicos longos; empinar pipas e aeromodelos com fio; andar a cavalo

Lugares Arriscados

Topos de morros ou cordilheiras; topos de prédios; áreas abertas, campos de futebol ou golfe; estacionamentos abertos e quadras de tênis; proximidade de cercas de arame, varais metálicos, linhas aéreas e trilhos; proximidade de árvores isoladas; estruturas altas

Aparelhos Elétricos

Em dias de tempestade, é aconselhável desligar os equipamentos das tomadas


Fonte: Site do Jornal “O VALE” – 18/01/2014

Comentários

  1. Olá aos amigos do blog!

    Gostaria de saber quando(em que ano) o homem irá novamente a lua e,qual país mandará esta missão tripulada primeiro?

    Obrigado se alguém puder responder.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Rússia Oferece ao Brasil Assistência no Desenvolvimento de Foguetes