Presidente da AEB Participa de Debate em Porto Alegre


Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada hoje (23/09) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando o painel “O Papel da Política Aeroespacial para o Desenvolvimento Através da Ciência e Tecnologia” que será presidido nesta quinta-feira (24) pelo presidente a AEB, Carlos Ganem.

Duda Falcão

Presidente da AEB Participa de Debate sobre a Política Aeroespacial

Coordenação de Comunicação Social / AEB
23/09/2009


O presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Carlos Ganem, presidirá, nesta quinta-feira (24), o painel “O Papel da Política Aeroespacial para o Desenvolvimento Através da Ciência e Tecnologia”. O evento faz parte da programação do III Seminário Tecnologias Estratégias Brasil e Itália, que realizado no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), em Porto Alegre. Ganem, um dos debatedores no painel, também representa o Ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, no evento.

Segundo o presidente da AEB, é muito importante que um debate que envolve a área espacial ocorra no Sul. “O Brasil é muito grande para que o Programa Espacial fique situado apenas no Norte, com suas bases de lançamento, e no Sudeste, com a confecção de peças e tecnologia”, observa.

O Seminário, que prossegue até esta quinta-feira, é uma promoção da Embaixada da Itália no Brasil, Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de C&T, Governo do Estado do Rio Grande do Sul e Fiergs.

Inpe - Ainda no estado, Carlos Ganem visitou, na terça-feira (22) a sede do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) em Santa Maria e a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Na ocasião, ele se reuniu com o reitor, Clóvis Silva Lima, e foi agraciado com a Medalha Comemorativa aos 50 anos da instituição


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Pelo menos numa coisa o senhor Carlos Ganem tem toda razão quando diz: “é muito importante que um debate que envolve a área espacial ocorra no Sul. O Brasil é muito grande para que o Programa Espacial fique situado apenas no Norte, com suas bases de lançamento, e no Sudeste, com a confecção de peças e tecnologia”. Nesse ponto o presidente da AEB está certo, o PEB precisa ser um esforço nacional com a participação do maior número de estados da federação possível. Agora, quanto à política espacial, vamos falar sério, que política? Existe alguma? Já existiu? Lamentável!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial