sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Evento de Ciências Planetárias Reúne Pesquisadores em Porto Alegre

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (19/02) no site da “Agência Espacial Brasileira (AEB)”, destacando que evento de Ciências Planetárias reunirá semana que vem  pesquisadores em Porto Alegre (RS).

Duda Falcão

Notícias

Evento de Ciências Planetárias
Reúne Pesquisadores em Porto Alegre

ON


Brasília, 19 de fevereiro de 2016 – De segunda (22) a quinta-feira (25) próxima, pesquisadores do Brasil, Argentina, Uruguai, Chile, Colômbia e outros países da América Latina se reúnem no Centro de Referência para o Ensino da Física (CREF) do Instituto de Física (IF) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, para o 8º Taller de Ciências Planetárias.

O evento objetiva promover a integração entre os mais variados grupos de pesquisa na área de ciências planetárias da América do Sul. Busca também incentivar a cooperação científica e acadêmica entre grupos de pesquisa da região, discutir os tópicos mais atuais e relevantes na área, e promover a divulgação dos avanços mais recentes no estudo de corpos planetários tanto para o público em geral quanto para professores.

Entre os assuntos a serem abordados estão dinâmica orbital; dinâmica e física de pequenos corpos; física de atmosferas, superfícies e interiores planetários; formação e evolução de sistemas planetários; exoplanetas; e projetos de instrumentação e monitoramento.

Programação – Ao todo serão apresentados cerca de 70 trabalhos e duas palestras dos pesquisadores Sylvio Ferraz Mello, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo (USP), e Julio Fernández, da Universidad de la República (Uruguai), que comemoram 80 e 70 anos, respectivamente.

“O evento é importante porque marca o encontro de pesquisadores da América Latina com interesses afins, e dá lugar para que novos pesquisadores, ou pesquisadores em formação e estudantes, possam mostrar seus trabalhos e exprimir suas ideias em um ambiente informal, mas sem perder a rigorosidade acadêmica”, explica Alvarez-Candal, do Observatório Nacional (ON) e integrante da comissão organizadora do evento.

Também estão na programação palestras com pesquisadores do ON, entre eles Rodney Gomes sobre “População fria do Cinturão de Kuiper sob um modelo de Nice com cinco planetas gigantes”; Jorge Carvano sobre “Minor bodies science with the J-PAS/J-PLUS photometric surveys”; Fernando Roig sobre “Mudança na percepção do Sistema Solar”; Roberto Martins sobre “Ocultações de TNOs e centauros” e Teresinha Rodrigues com o tema “O Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica: do sonho à realidade”.

A programação completa e mais informações estão disponíveis em: http://www.if.ufrgs.br/8taller_cienciasplanetarias/br/index.html


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Bom, bom, bom, muito bom mesmo. É preciso lembrar que as Ciências Espaciais e entre elas a ‘Planetária’ vem se desenvolvendo no Brasil graças a uma Comunidade Astronômica muito ativa e com resultados expressivos nos últimos quinze anos. É claro que precisamos ainda avançar também na Astronomia Espacial com projetos de sondas, satélites, entre outros, que poderiam ser desenvolvidas em conjunto com países sul-americanos. Como exemplo, um telescópio espacial regional, e este evento de agora pode ser um embrião de algo assim. Verdade? Na realidade não. Pode até ser, mas não com o envolvimento brasileiro, não com esta gente que está comandado as atividades espaciais de nosso país. Com o Sr. Braga Coelho e sua trupe sob o desmiolado comando de sua presidente arrogante e estúpida, jamais algo assim poderia obter apoio político, há não ser talvez em final de desgoverno jogando a bomba para o desgoverno seguinte. Veja como exemplo o tal acordo entre Brasil e Argentina para o desenvolvimento do Satélite SABIA-Mar (na época chamado de Sabia-3), acordo este assinado pelo então presidente da AEB, Luiz Gylvan Meira Filho, em 10 de novembro de 1998 (veja aqui), sem falar no acordo para o desenvolvimento dos Microssatélites no âmbito do Grupo IBAS (formado pela Índia, Brasil e África do Sul), acordo este estabelecido no segundo desgoverno do humorista LULA, e que como o primeiro, se arrasta como uma novela sem qualquer perspectiva de ter um final. E eu avisei na época, tanto aos Argentinos, bem como aos países integrantes do IBAS, que se eles realmente quisessem que esses projetos se concretizassem, deixa-se o Brasil fora deles. Vale lembrar e dizer que nesta área de Astronomia Espacial se registra a participação brasileira (graças aos esforços isolados dos pesquisadores envolvidos) no projeto na sonda francesa COROT e nas atuais iniciativas do INPE (microsatélite astronômico MIRAX), da USP através do projeto da Sonda Lunar do grupo ZENITH, e o maior deles, a fantástica Missão ASTER, que envolve 13 instituições universitárias do país. Destas três missões, nenhuma teve até o momento o menor apoio do desgoverno da ogra petista, apesar da Missão ASTER fazer parte da propaganda divulgada pela mesma durante sua passagem pela Rússia no ano passado. Enfim, promessas essa gente sabe fazer como ninguém, mas cumprir essas mesmas promessas é algo que eles não estão interessados. São vermes sanguessugas e um dia a Sociedade Brasileira haverá de ACORDAR e dar uma resposta, não há outra alternativa, fora a provável cobrança que o próprio universo - para maioria divino - fará pelos atos dessa gente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário