Grupo de Interfaces de Lançamento Se Reuniu no CLA Para Atualização de Projetos

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota interessante postada ontem (25/09), no site da Força Aérea Brasileira (FAB), destacando que o Grupo de Interfaces de Lançamento (GIL 2/2018) se reuniu entre os dias 17 a 21/09, no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), para atualizar diversos projetos e ações, e entre elas a tão aguardada “Operação Mutiti”, operação esta que deve ser mesma realizada ainda este ano.

Duda Falcão

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Grupo de Interfaces de Lançamento Se
Reúne Para Atualização de Projetos

Comercialização de operações a partir do Centro, no Maranhão,
esteve entre tratativas dos especialistas

Por Tenente Huxley Bruno
Revisão: Major Alle
Edição: Agência Força Aérea por Tenente Jonathan Jayme
Publicado: 25/09/2018 - 17:30

Fotos: Soldado Rodrigo/CLA

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) recebeu, de 17 a 21 de setembro, a segunda edição da reunião do Grupo de Interfaces de Lançamento (GIL 2/2018). O GIL reúne especialistas de diferentes organizações que compõem o Sistema Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais (SINDAE). Nesta segunda edição de 2018, participaram representantes do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) e do próprio CLA.

Ainda durante a semana, foi realizada a Reunião de Acompanhamento de Interfaces (RAI) visando à realização da Operação Mutiti, próxima atividade externa a ser realizada no CLA. Trata-se do lançamento de um foguete VS-30, com experimentos científicos e tecnológicos de centros e institutos de pesquisa nacionais embarcados.

Na GIL 2/2018 foram atualizadas as situações de projetos na área de espaço, tais como a Operação Mutiti; os Veículos Lançadores de Satélites e projetos relacionados (VS-50, VLM-1 e VL-X); o Programa Microgravidade, o novo Sistema de Terminação de Voo a ser instalado no CLA; os Foguetes de Treinamento; e o HEXAFLY (veículo espacial hipersônico).


Também foi traçado um panorama atual do Programa de Lançamentos do DCTA para o ano de 2018; do Programa de Futuros Lançamentos (2019-2020); do mercado de Foguetes Suborbitais; da situação do CLA e do CLBI; das obras no CLA com impacto em lançamentos futuros; e das tratativas sobre a comercialização de lançamentos a partir do CLA.

O Chefe do Subdepartamento Técnico do DCTA, Brigadeiro Engenheiro César Demétrio Santos, destacou a importância do encontro. “Em um momento em que a área espacial ganha cada vez mais evidência no país, é essencial estarmos reunidos para estabelecermos estratégias e metas futuras”, comentou. 

No GIL, ainda foi proposta a atualização da Instrução do Comando da Aeronáutica (ICA) 60-1, que trata sobre tal grupo, foram apresentados os resultados do Grupo de Trabalho (GT) de normas balizadoras de processo de qualificação e certificação, feitos comentários e atualização sobre itens de ação datados e prioritários.

“A partir do GIL podemos trocar informações atualizadas sobre os principais projetos da área espacial em andamento, de forma a fazer um acompanhamento sistemático por parte de todos os envolvidos no setor”, destacou o Presidente do GIL, Coronel Aviador Carlos Afonso Mesquista de Araujo. 

Para o Diretor do CLA, Coronel Engenheiro Luciano Valentim Rechiuti, é fundamental receber o GIL em Alcântara uma vez que a grande maioria do projetos na área espacial em desenvolvimento no Brasil, invariavelmente, passam por lançamentos a serem realizados no local.


O Grupo

O GIL se reúne duas vezes ao ano e é regulado pela ICA 60-1 -“Grupo de Interfaces de Lançamento”, que estabelece diretrizes, participantes e objetivos a partir das reuniões realizadas, geralmente no CLA ou no CLBI, que se localiza no Rio Grande do Norte. A última reunião do grupo ocorreu também no CLA, no mês de maio.


Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB) - http://www.fab.mil.br

Comentário: Antes de citar aqui leitor os pontos interessantes desta nota da FAB, primeiramente eu gostaria de chamar sua atenção para o fato (segundo a nota) da não participação de representantes da nossa piada espacial comandada pelo Sr. Braga Coelho nesta reunião. Será que este é mais um indício de que este incompetente e sua trupe terão de procurar em breve emprego em outro lugar? Certamente isso ocorrerá (não tenho a menos dúvida disso) numa eventual eleição daquele que estão chamando de “Mito”, e ficarei aqui na torcida. Bom, quanto aos pontos interessantes desta nota, primeiramente ela dá entender que a tal “Operação Mutiti” será realizada ainda em 2018, o que é uma boa notícia. Tomara mesmo leitor, vamos aguardar. Além disso, a nota deixa entender de que os voos dos veículos suborbitais VS-50 e VS-43 (este voo do programa hipersônico euro-australiano HEXAFLY) devem ocorrer mesmo do CLA no biênio 2019-2020. Complementando a nota confirma novas ações na área do Programa Microgravidade (programa este destruído pela gestão desastrosa do Sr. Braga Coelho) a instalação de um novo “Sistema de Terminação de Voo” no CLA, bem como ações relativas ao desenvolvimento dos veículos lançadores de satélites, o seja, o já conhecido projeto ALEMÃO-Brasileiro VLM-1 e o ainda pouco conhecido Projeto VL-X, projeto este que esperamos não venha seguir o mesmo caminho do seu primo alemanizado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022