sábado, 11 de junho de 2016

Saiba Mais Sobre o Projeto CanAstra da UFMG

Olá leitor!

Logo do Projeto CanAstra.
O Governo Brasileiro desde a época da debiloide, com sua fantasiosa onda propagandista de merda, vem tentando inserir na consciência da sociedade de que o projeto do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC) é um projeto do nosso Programa Espacial, quando na realidade não é, apesar de ter algumas implicações positivas indiretas no mesmo. No entanto, é preciso salientar que estas implicações ocorreriam de qualquer forma e até com uma abrangência muito maior se este projeto tivesse sido elaborado e conduzido como deveria.

Na realidade hoje o PEB está resumido em ações cada vez menos presentes no IAE, no INPE, nos centros de lançamentos brasileiros (CLBI e CLA) e no programa de apoio aos pequenos satélites de nossa Agência Espacial de Brinquedo (AEB) de diversas entidades publicas e educacionais espalhadas pelo país, uma bandeira abraçada e estimulada pelo Sr. Braga Coelho.

Vale dizer que através deste programa de apoio aos projetos de pequenos satélites, o Brasil desde junho de 2014 já colocou no espaço dois cubesats (o NanosatC-Br1 e o AESP-14, este infelizmente falhou)  e um nanosatélite chamado SERPENS-1 que foi desativado em abril de 2016, apos ter comprido com êxito a sua missão de seis meses.

Atualmente o Brasil com o apoio da AEB se prepara para lançar mais três nanossatélites, o “ITASAT-1”, o “14BISat” e o “NanosatC-Br-2”, e um picosatélite de uma escola de ensino médio de Ubatuba-SP, este denominado de “Trancedo-1”, mas também a agência tem apoiado um projeto de longo prazo desenvolvido no Centro Regional do Nordeste (CRS) do INPE em parceria Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), projeto este denominado de "Constelação de Nanossatélites Ambientais (CONASAT)".

Além disso, fala-se na continuidade do Projeto SERPENS com a construção de um segundo nanosatélite sob a coordenação da UFSC, demonstrando com isso que a maré está boa para quem tem a pretensão de se aventurar nessa área de pequenos satélites no Brasil. Fique atento.

Porém o motivo que me levou a escrever este artigo foi uma notícia recente de que a Agência de Brinquedo do Sr. Braga Coelho está apoiando um Programa de CanSats em desenvolvimento na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), notícia esta que ate então não tínhamos conhecimento.

Na busca por esclarecer a você leitor sobre do que se trata esta iniciativa da UFMG fomos atrás e conseguimos algumas informações relativas a este projeto denominado de “Projeto CanAstra”, projeto este coordenado pela Professora e Engenheira Espacial  Maria Cecília Pereira de Faria, que tem como objetivo a construção e uso de CanSats educativos por alunos do ensino médio, isto por meio de Programa de Iniciação Científica Júnior (PIBIC-EM).

Profª. e Engª. Espacial  Maria Cecília Pereira de Faria,
coordenadora do projeto.

O projeto em si consiste na construção de três CanSats por três equipes do projeto denominadas de Alfa, Beta e Gama, para assim serem lançados por um balão atmosférico até uma altitude ainda não divulgada.

Vale lembrar leitor que um CanSat é um pequeno dispositivo no formato de uma latinha de refrigerante (Can), mas embora um CanSat seja um artefato de dimensões reduzidas, se pode aplicar nele vários conceitos importantes que são utilizados no projeto e construção de um satélite de tamanho tradicional, o que o torna assim um meio de formação educacional muito interessante.

Ainda segundo informações colhidas pelo BLOG o primeiro dos três CanSats do projeto foi denominado de “Pão de Queiro I (PdQSat I)”, isto em homenagem a região geográfica onde o projeto está sendo desenvolvido (Minas Gerais), e que este CanSat (creio eu desenvolvido pela Equipe Gama do projeto)  tem a previsão de lançamento para ocorrer até o final deste ano. Veja abaixo um vídeo animação do projeto do CanSat PdQSat I.

Vídeo animação do projeto do CanSat PdQSat I

Devo primeiramente parabenizar a Profª e Engª Espacial Maria Cecília Pereira de Faria e a UFMG pela iniciativa, desejando-lhes sucesso e esperando que a divulgação deste projeto aqui no BLOG possa de alguma forma estimular outras iniciativas pelo Brasil, afinal está mais que provado que os CanSats são uma excelente plataforma de ensino e de estimulo as pesquisas espaciais entre os jovens.

Para maiores informações visite a página do projeto no Facebook pelo link: https://www.facebook.com/ProjetoCanastra/?fref=pb&hc_location=profile_browser

Avante CanSat PdQSat I.

Duda Falcão

7 comentários:

  1. Uma ótima notícia. Sinal de que os cansats começarão a popularizar a tecnologia espacial em nosso país e, quem sabe, possamos criar uma competição nacional. Já comecei a idealizar um projeto de extensão aqui em Açailândia/Maranhão com o mesmo objetivo, repassar o conhecimento de tecnologia de satélites a alunos de ensino médio público por meio da construção de um cansat. Espero iniciar o projeto a partir do ano que vem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Brehme!

      Maravilhosa noticia jovem amigo. Me mantenha informado sobre o andamento desta sua iniciativa. Sucesso.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
    2. Brehme, eu inclusive sugiro que você use seu conhecimento e busque também o apoio da AEB neste projeto, já que o momento parece ser ideal para isso. Projetos como este e de pequenos satélites tem sido a bandeira do Sr. Braga Coelho. Boa sorte

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
    3. Olá Duda,

      Então, estou "atenado" quanto aos apoios que a AEB está dando a projetos que envolvam pequenos satélites. Pena que ela não deu início a competição de cansat porque já teríamos uma boa justificativa acadêmica para o envolvimento de alunos em projetos desse tipo, mas a justificativa do projeto que idealizo é iniciar o contato do povo maranhense a tecnologias de satélites por meio de plataformas educativas. Idealizo também em um futuro a curto prazo, o desenvolvimento de um Cubesat por essas regiões aqui, já que além de mim, tem um paraense que realizou seu mestrado no INPE na área de controle de atitude e que agora tornou-se professor da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará. Acho até que uma conversa com o Centro Regional da Amazônia do INPE seria interessante para a construção de um plano objetivando a construção e o lançamento de cubesats para os projetos institucionais que o INPE possui aqui e fazer algo como o projeto CONSAT do Centro Regional do Nordeste.

      Excluir
    4. Olá Brehme!

      Isso jovem amigo, iniciativa, visão, atitude, já dizia Geraldo Vandré em sua musica "Pra Não Dizer Que Não Falei das Flores" no final dos anos 60: "Vem Vamos embora que esperar não é saber, quem sabe faz a hora, não espera acontecer". Sucesso Brehme e por gentileza me mantenha informado.

      Forte abraço

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
    5. Olá Duda!
      Corrigindo, estou "antenado" quanto aos projetos que a AEB anda apoiando.
      Pode deixar que o deixarei informado.
      Abraço.

      Excluir
    6. Valeu Brehme!

      Sucesso amigo.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir