sábado, 27 de junho de 2015

Conheça os Grupos Brasileiros Universitários de Pesquisas Aeroespaciais

Olá leitor!

Se por um lado a condução de nosso Programa Espacial vai de mal a pior na mão desses PETRALHAS de merda, pelo menos a nível acadêmico diversos grupos de pesquisas aeroespaciais estão surgindo através do país nas universidades brasileiras, alguns conhecidos dos nossos leitores e outros nem tanto. Diante disso resolvi fazer uma lista desses grupos que segue abaixo:

ITA ROCKET DESIGN

Grupo formado pelos alunos de Engenharia Aeroespacial do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) de São José dos Campos (SP). O mais sólido e bem sucedido grupo universitário de pesquisas na área de foguetes experimentais atualmente no Brasil, tendo inclusive conquistado prêmios no “Intercollegiate Rocket Engineering Competition (IREC)", evento universitário internacional realizado anualmente nos EUA.  Neste momento este grupo encontra-se participando pela quinta vez consecutiva da 10ª edição desta competição. Este grupo está desenvolvendo em parceria com o grupo “Atria Rocket Design - UFRGS” o Subsistema de Telemetria do Foguete-Padrão da primeira edição do COBRUF (3km de altitude).

Grupo Integrante do "PROJETO COBRUF - Competição Brasileira Universitária de Foguetes" que se encontra em estágio de organização e viabilização.


UFABC ROCKET DESIGN

Grupo formado pelos alunos de Engenharia Aeroespacial da Universidade Federal do ABC (UFABC) de Santo André (SP). Este grupo universitário, como o grupo do ITA, também trabalha em pesquisas na área de foguetes experimentais, tendo até o momento participado no Brasil de eventos nessa área, como o “Festival de Minifoguetes de Curitiba”, e almeja desde o ano passado participar também do “Intercollegiate Rocket Engineering Competition (IREC)", desejo este que infelizmente ainda não se concretizou. Este grupo esta desenvolvendo em parceria com a “EPTA - Equipe de Propulsão e Tecnologia Aeroespacial - UFU” o Sistema de Fuselagem e o Subsistema do Motor do Foguete-Padrão da primeira edição do COBRUF (3km de altitude).

Grupo Integrante do PROJETO COBRUF.


HYBRID PROPULSION TEAM

Grupo formado por alunos da Universidade de Brasília (UnB). Criado pelo Prof. Carlos Gurgel nesta universidade por volta de 2000, este grupo desde então trabalha na área de desenvolvimento de foguetes experimentais de propulsão hibrida (solida e liquida) e de tecnologias associadas. Pelo que eu sei atualmente o grupo conta com o apoio financeiro do PROGRAMA UNIESPAÇO da AEB, mas não se sabe nada sobre as suas atividades desde que o Prof. Carlos Gurgel foi nomeado diretor da AEB. Anos atrás foi anunciado que o grupo participaria da Competição Internacional N-Prizes criada pelo Dr. Paul Dear, mas não se sabe se houve sequencia neste projeto. Atualmente segundo foi divulgado o grupo esta desenvolvendo em parceria com o Grupo de foguetes da FEM - UNICAMP” o Sistema de Plataforma de Lançamento do Foguete-Padrão da primeira edição do COBRUF (3km de altitude).

Grupo Integrante do PROJETO COBRUF.


GRUPO TOPUS DE PESQUISA AEROESPACIAIS

Grupo de Pesquisa e Construção de Engenhos e Sistemas Aeroespaciais formado por alunos do curso de Engenharia Aeronáutica da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC-USP), escola esta ligada a USP São Carlos. O Grupo Topus vem trabalhando desde 2005 em pesquisas com Mini-foguetes de KNSU, Foguetes de motor classe K, Sistemas de Ignição para lançamentos de Foguetes Sólidos, Sistema de Recuperação e Motores Híbridos. Este grupo está desenvolvendo em parceria com o Grupo Kosmos - UFSC” o “Subsistema de Propelente Sólido e de Ignição” do Foguete-Padrão da primeira edição do COBRUF (3km de altitude).

Grupo Integrante do PROJETO COBRUF.


GRUPO DA DIVISÃO DE PROPULSÃO E ESPAÇO DA UFMG

Grupo da Divisão de Propulsão e Espaço (DPE) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Grupo formado em 2013 sob a coordenação do Prof. José Eduardo Mautone Barros, este grupo participou em 2014 do “1º Festival de Minifoguetes de Curitiba”, onde inclusive obteve com um foguete de cerca de 50 gramas denominado de “PANTERA”, o terceiro lugar na categoria Apogeu Máximo – Classe C”, alcançando a altura de voo de 160 metros. Segundo informações colhidas pelo Blog, o Grupo está atualmente envolvido (ao lado do Grupo de Missilismo da UNIPAMPA) do desenvolvimento do “Subsistema de Recuperação do Foguete-Padrão da primeira edição do COBRUF (3km de altitude).

Grupo Integrante do Projeto COBRUF.

Site Oficial: http://www.dpeufmg.com/
Página no Facebook: https://www.facebook.com/dpeufmg

GRUPO DE MISSILISMO DA UNIPAMPA

O Grupo de Missilismo da UNIPAMPA,é uma iniciativa dos alunos da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) e temos quase nenhuma informação sobre o mesmo.  A única informação que colhemos é a que este grupo está atualmente envolvido (ao lado do Grupo da Divisão de Propulsão e Espaço (DPE) da UFMG) na 2ª Fase de desenvolvimento do “Subsistema de Recuperação do Foguete-Padrão da primeira edição do COBRUF (3km de altitude)

Grupo Integrante do Projeto COBRUF.


ATRIA ROCKET DESIGN

Grupo formado por alunos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) com o objetivo de projetar e desenvolver tecnologias Aeroespaciais nas áreas de Aerodinâmica, Combustíveis, Eletrônica Embarcada e de Solo e Sistemas de Recuperação. Este grupo está desenvolvendo em parceria com o grupo “ITA Rocket Design - ITA” o Subsistema de Telemetria do Foguete-Padrão da primeira edição do COBRUF (3km de altitude).

Grupo Integrante do Projeto COBRUF.


GRUPO KOSMOS ROCKETRY TEAM

Grupo formado por alunos de Engenharia da Mobilidade da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Este grupo está desenvolvendo em parceria com o grupo “Grupo TOPUS - EESC-USP o “Subsistema de Propelente Sólido e de Ignição” do Foguete-Padrão da primeira edição do COBRUF (3km de altitude).

Grupo Integrante do Projeto COBRUF.

Site oficial: http://kosmos.ufsc.br/

GRUPO FOGUETES DA FEM (UNICAMP)

Grupo formado por alunos da Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM) da Universidade de Campina (UNICAMP). Este grupo esta desenvolvendo em parceria com o grupo “Hybrid Propulsion Team - UnB” o Sistema de Plataforma de Lançamento do Foguete-Padrão da primeira edição do COBRUF (3km de altitude).

Grupo Integrante do Projeto COBRUF.


EQUIPE DE PROPULSÃO E TECNOLOGIA AEROESPACIAL (EPTA)

O EPTA é um grupo formado por alunos de Engenharia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) em Minas Gerais. Este grupo esta desenvolvendo em parceria com o grupo “UFABC Rocket Design - UFABC” o Sistema de Fuselagem e o Subsistema do Motor do Foguete-Padrão da primeira edição do COBRUF (3km de altitude).

Grupo Integrante do Projeto COBRUF.


GRUPO PET MECÂNICA DA EPUSP

Grupo de pesquisa aeroespaciais formado por alunos do Departamento de Engenharia Mecânica da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (EPUSP). Este grupo surpreendeu o BLOG quando na terça-feira passada (23/06) descobrimos que o mesmo (a frente de Grupos universitários mais conhecidos e consolidados) participaria nos EUA ao lado da equipe do ITA com o seu Foguete JUPITER I, este fruto de uma iniciativa do grupo denominada de PROJETO JUPITER, da 10ª edição do “Intercollegiate Rocket Engineering Competition (IREC)", tornando assim a segunda equipe brasileira a participar desta competição. Esta iniciativa contou com o apoio do Ministério da Educação (MEC) e do Fundo Amigos da POLI.


GRUPO DE FOGUETES CARL SAGAN

Grupo formado por alunos da Universidade Federal do Paraná (UFPR) sob a coordenação do Prof. Carlos Henrique Marchi. Este grupo vem realizando pesquisas na área de foguetes experimentais desde 2005 e seu coordenador é também o líder da coordenadoria do “Festival de Minifoguetes de Curitiba”, evento este organizado anualmente pela UFPR.

Página no Facebook: https://www.facebook.com/gfcsufpr

EQUIPE FUGA - FOGAMADORES UNIVERSITÁRIOS DO GAMA

A equipe FUGA é uma equipe formada por alunos do Campus do Gama da Universidade de Brasília (UnB) tendo como objetivo a participação em campeonatos universitários de espaçomodelismo.


RUMO AO ESPAÇO

Grupo formado em 2010 (creio eu) por alunos do curso de Engenharia Aeroespacial da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tendo como coordenador o Prof. José Eduardo Mautone Barros. Este grupo desde então vinha trabalhando na área de desenvolvimento de foguetes experimentais de propulsão liquida (biquerosene) e tecnologias associadas. O grupo que contava com o apoio da empresa INOTECH, de São José dos Campos (SP), havia desenvolvido um motor denominado de RE-100 de 1000 Newtons de empuxo, e trabalhava no desenvolvimento de outro motor denominado de RE-500 com 5000 Newtons de empuxo, além de outras tecnologias associadas a foguetes. Atualmente não há informação de sua continuidade ou se mudou de nome.

Caso seu grupo universitário não tenha sido citado nesta lista, por gentileza entre em contato com o nosso Blog, para que assim possamos registrar perante os nossos leitores a existência de seu grupo.

Duda Falcão

7 comentários:

  1. Por que dizer "petralhas de merda" no início do texto? O que ajuda dizer um absurdo desses? Ser contra um governo tudo bem. Usar esse linguajar só desmerece o blog. Mostra raiva e despreparo. Eu gosto do blog e de muitas críticas ao governo. Mas com esse linguajar? Vai convencer quem? E não se esqueça que o mesmo que governo que vc diz atrapalhar o programa espacial é o governo que financia esses grupos de pesquisa. Todos em universidades federais. Então estude os pontos antes de dizer o que vc não sabe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Feliciano!

      Respondendo a sua pergunta, porque é o que eles são. O que ajuda? Bom, se não lhe ajuda em nada, a mim ajuda e muito, pois eu desabafo a minha insatisfação como cidadão brasileiro através do reconhecimento do que esses merdas representam para o futuro de meu país. Se gostas realmente do Blog e de minhas críticas ao governo, continue nos visitando e até participando com ideias, mas caso ache meu linguajar inadequado, fique a vontade para buscar na net outro espaço que use um linguajar mais adequado para você. Quanto ao suporte financeiro das Universidades Federais, faz parte do orçamento e está previsto em lei, não sendo mérito nenhum desses PETRALHAS. Já quanto ao suporte financeiro desses grupos, nem sempre é bem assim como dissestes, e como melhor exemplo disso temos o ITA ROCKET DESIGN que conta com o apoio da FIESP.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
    2. “AQUELE QUE NUNCA CRITICOU CONTUNDENTEMENTE ATIRE-LHE O PRIMEIRO MICROFONE OU A SUA CANETA”
      As pessoas de um modo geral tem tendência a julgar, condenar sem saber os fatos reais que levaram o individuo a cometer algo errado, insano ou magoado.
      Parece que estou vendo a cena : todos com uma pedra na mão prontos para derrubar aquele que pecou, quem sabe! Irracionalmente.
      No entanto se esqueceram de olha para trás, para dar uma espiada no seu VT e lembrar do passado. Vejo pessoas com um passado meio esquisito , julgando sem misericórdia, sem elevar a lei da democracia, quase ditatorial.
      Não julgueis, para não ser julgado.
      De um modo geral ,vejo que muitas pessoas que não suportam o erro do outro, já cometeram muitas atrocidades no passado, inclusive com a própia LINGUA. .A única diferença é que estes erros ficaram ocultos por isso sentem-se no direito de apontar o dedo na ferida dos outros.

      Excluir
    3. Então, nem passe no antagonista.com

      Vocês ficará 'chocado' com linguajar utilizado para se referir aos petralhas lá.

      HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA...

      Excluir
  2. Nossa! Eu não sabia que nós tínhamos tantos grupos. :)
    abs,
    Felipe Dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Felipe!

      Confesso que nem eu mesmo sabia, fui surpreendido ao final de minha pesquisa, e creio que existam outros. Mas a verdade é que apesar desses merdas, no seio acadêmico ainda existem pessoas motivadas e interessadas em desenvolver atividades espacias no Brasil. Tomara que este movimento realmente cresça, se solidifique e contagie outras áreas da educação e da própria sociedade. E ai, quem sabe, realizar a mudança cultural que este país precisa para formamos verdadeiros cidadãos e a partir deles espelharmos a formação de uma classe politica séria e realmente comprometida com os interesses na Nação Brasileira.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
    2. hehe
      É sempre bom ter surpresas boas. Também espero que cresça no país pessoas interessadas por essa área para que a mesma passe a ser prioridade no país e não fique jogada a escanteio como acontece hoje.

      abs,
      Felipe Dias

      Excluir