segunda-feira, 27 de março de 2017

Série Apresenta Projetos da FAB em Exposição na Maior Feira de Segurança e Defesa da AL

Olá leitor!

Veja abaixo uma nota postada hoje (27/03) no site da Força Aérea Brasileira (FAB), tendo como destaque os projetos da FAB que serão apresentados ao publico na LAAD 2017.

Duda Falcão

LAAD 2017

Série Apresenta Projetos da FAB em Exposição
na Maior Feira de Segurança e Defesa da AL

Realizada no Rio de Janeiro, LAAD deve atrair 37 mil profissionais
do segmento e delegações de 85 países

Ten. Jussara Peccini,
Agência Força Aérea
27/03/2017 - 11:50h

FAB participa há 11 edições da feira

Os projetos estratégicos da Força Aérea Brasileira (FAB) como o maior avião desenvolvido no Brasil (KC-390), o futuro caça (Gripen NG) e o Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE) serão destaque na LAAD 2017. Mas não é só isso. Na 11ª edição da maior feira de segurança e defesa da América Latina, que ocorre entre os dias 4 e 7 de abril no Rio Centro, no Rio de Janeiro, o público poderá conhecer também outros 22 projetos, serviços, produtos e tecnologias de organizações militares do Comando da Aeronáutica .

“Participamos de todas as edições até hoje”, afirma o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato. “A LAAD é importantíssima para nós, pois divulga nossos produtos dentro do segmento de indústria de defesa brasileira e também para representantes de países estrangeiros”, complementa. Veja aqui entrevista.

Entre os projetos apresentados estão 16 desenvolvidos pelos institutos do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), localizado em São José dos Campos (SP). O Instituto de Estudos Avançados (IEAV), por exemplo, apresentará duas tecnologias inovadoras, como a propulsão hipersônica e o processamento de imagens em tempo real; um software que auxilia pilotos e atiradores de defesa antiaérea a planejar e avaliar o desempenho de missões aéreas e de armamentos; e sensores inerciais usados para fornecer dados de localização e guiamento em veículos espaciais.

Já o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) traz para a LAAD seu nanossatélite, cujo primeiro lançamento está agendado para abril. Financiado pela Agência Espacial Brasileira com o objetivo formação de capacidades, especialmente de recursos humanos pelo próprio ITA e instituições parceiras. O equipamento, com peso aproximado de 7 kg, tem capacidade de fazer o mesmo que um satélite de 200kg.


Movido a álcool, o motor para impulsionar veículos espaciais chamado de L-75 tem por objetivo final capacitar o Brasil a dominar todo o processo de desenvolvimento de propulsão líquida.

Outro projeto é o veículo suborbital VSB-30, modelo com histórico de sucesso de lançamentos a partir de Esrange, na Suécia, agora também adquirido pela Austrália. O instituto também destaca o Satélite de Reentrada Atmosférica (SARA) e o veículo suborbital VS-40. Projetado para levar experimentos ao ambiente de microgravidade, o SARA conta com dois modelos: um suborbital com capacidade para ficar por até dez minutos no espaço e o modelo orbital para ficar no espaço por até dez dias.

O visitante também pode conhecer o motor-jato TR-5000, desenvolvido para equipar um veículo aéreo não tripulado de até uma tonelada, além de bombas de penetração de 500 e 1.000 Kg (B-PEN), armamentos certificados que podem perfurar concreto com 1,5m de espessura.

Projetos, produtos, serviços e tecnologias serão
apresentadas FAB.

Organizações Militares

Cinco organizações militares do Comando da Aeronáutica também apresentarão seus serviços: o Centro de Catalogação da Aeronáutica (CECAT), o Centro Logístico da Aeronáutica (CELOG), o Instituto de Logística da Aeronáutica (ILA), a Universidade da Força Aérea (UNIFA) e o Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) que apresentará o processo de certificação de produtos aeroespaciais no âmbito do Ministério da Defesa.

A Diretoria de Tecnologia da Informação da Aeronáutica (DTI) leva seus sistemas para esta edição da LAAD: Sistema Integrado de Logística de Material e de Serviços (SILOMS), Sistema de Informações Gerenciais de Pessoal (SIGPES), e Aplicativo de Gestão para Hospitais Universitários (AGHU).

Os visitantes poderão conhecer ainda as soluções de tráfego aéreo implementadas pela Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA).
Na reportagem de amanhã, você vai conhecer mais detalhadamente o Planejador de Missões Aéreas (PMA). 

Veja aqui a entrevista com o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato.



Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB) - http://www.fab.mil.br

Comentário: Bom agora sim, essa nota esclarece melhor o que será apresentado pela FAB durante a LAAD 2017, apesar que você leitor carioca ou que esteja de passagem pelo Rio, precisará conferir de perto para poder entender melhor a amplitude desses projetos e em especial o tal PESE. Entretanto cuidado, não se deixe empolgar muito no que diz respeito aos projetos espaciais, já que pela nota acima na verdade quase nenhuma novidade será apresentada. Se não vejamos: O motor L75 que deveria ser a cereja do bolo devido a sua importância para o PEB, hoje é apenas um projeto (como dito pela própria nota acima) que tem a finalidade de capacitar o Brasil no domínio de todo o processo de desenvolvimento de propulsão líquida e não no desenvolvimento de um motor-foguete líquido útil e preparado para ser realmente utilizado em um foguete lançador. Ora leitor, é desnecessário dizer que esse domínio do processo de desenvolvimento deveria ser uma consequência e não um objetivo, afinal ele seria alcançado da mesa forma se o real objetivo fosse construir um motor liquido de verdade e não uma peça de museu para o MAB. Em outras palavras deixou de ser um projeto sério. Já a propulsão hipersônica do Projeto do Veículo 14-X, esse é um projeto que pelo visto só avança mesmo nas apresentações de power point apresentadas ano após ano no Brasil e pelo mundo afora. O SARA Suborbital, um projeto visionário do nosso saudoso Paulo Moraes Junior, este um projeto da década de 90, em sua primeira etapa de quatro sequer conseguiu levantar voo e explodiu na plataforma de lançamento em sua primeira tentativa de voo em um episódio ainda mal explicado. Já o SARA Orbital, este é ainda uma fantasia que dependerá da conclusão das etapas suborbitais do projeto. Na verdade leitor o que a FAB poderá mostrar de resultados concretos no que diz respeito a área espacial são o nanosatélite  ITASAT-1, satélite este já pronto para voar agora em abril como dito na matéria acima, e os foguetes de sondagem do VSB-30 e VS-40, já qualificados (o VSB-30 inclusive qualificado como produto internacional) , mas que, vale lembrar, vieram a falhar em seus dois últimos voos realizados do Brasil.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Olá Rodrigo!

      Não há informações sobre isso, mas diante das circunstancias, creio que se continuar será a toque de caixa e sem compromisso, no mesmo esquema do motor L75, ou seja, trocando objetivo por consequência, infelizmente.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir