domingo, 11 de setembro de 2016

Livro Conta a História do Brasil a Partir dos Estudos Sobre Raios

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada ontem (10/09) no site do jornal “O VALE”, informando que livro lançado contará a História do Brasil a partir dos Estudos Sobre Raios.

Duda Falcão

HOME

Livro Conta a História do Brasil a
Partir dos Estudos Sobre Raios

Brasil - que raio de história’ é resultado de três anos de trabalho
e está sendo oficialmente lançado agora

Da Redação
São José dos Campos
September 10, 2016 - 03:55

Foto: Claudio Vieira
'Chuva de raios' no bairro Jardim da Granja, em São José dos Campos.

As tempestades na história do Brasil tornaram-se um inédito livro que marcará a pesquisa científica no país. Escrito pelo engenheiro eletricista Osmar Pinto Junior e pela jornalista especializada em ciências Iara Cardoso, respectivamente coordenador e pesquisadora do Elat (Grupo de Eletricidade Atmosférica), do Inpe, a obra “Brasil - que raio de história” faz uma releitura da memória histórica brasileira a partir dos raios.

As tempestades elétricas foram protagonistas de diversos episódios. Em 1500, os índios acreditavam que os raios serviam como instrumento de punição divina. Os portugueses, que tiveram vários navios naufragados por causa de raios, compartilhavam dessa percepção, que veio até o século 20.

O rei português D. João 6º, ao chegar ao Brasil, em 1808, escolheu morar na Quinta da Boa Vista em razão de ali cair poucos raios. Ele cancelava cerimônias por causa do tempo.

Osmar conta que foram necessários três anos de pesquisa para escrever o livro, publicado no final de 2015 e lançado oficialmente somente agora.“Foi difícil, sim, porque há poucas informações. Antes de 1900, eram perdidas as informações, e conseguimos coisas nos EUA sobre o Brasil que não tínhamos aqui”, disse.

Para Iara, a obra se tornará referência para o estudo de raios no país. O livro inspirou o documentário “Fragmentos de Paixão”, dirigida pela jornalista, e a série “País dos raios”, também produzida por ela.


Fonte: Site do Jornal “O VALE” - 10/09/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário