quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Presidente da SBPC Diz Que Aprovação da PEC 241 é Retrocesso Para Educação e CT&I

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada dia (11/08) no site do “Jornal da Ciência” da SBPC, destacando que segundo a presidente desta instituição, Dra. Helena Nader, a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 241 é um retrocesso para Educação e para a CT&I.

Duda Falcão

Notícias

Presidente da SBPC Diz Que Aprovação da
PEC 241 é Retrocesso Para Educação e CT&I

“A Câmara deu um passo muito negativo para trás no
desenvolvimento do País”, observa presidente da SBPC

Por Viviane Monteiro
Jornal da Ciência
Terça-feira, 11 de outubro de 2016

A aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 241 – que congela as despesas federais para os próximos 20 anos – foi a decisão mais grave para educação, ciência, tecnologia e inovação tomada no Brasil nos últimos anos. A análise é da presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Helena Nader, que lamentou o resultado da aprovação do texto, na noite de ontem, 11, pelo Plenário da Câmara dos Deputados, em primeiro turno.

A matéria, de iniciativa do Poder Executivo, foi aprovada por 366 votos a 111. A data da votação em segundo turno ainda não foi definida. Depois desse trâmite,  o texto seguirá para o Senado Federal.

Para Nader, a aprovação do novo regime fiscal, na Câmara, representa um retrocesso para o País. “Esse é o maior passo para trás que o País dá em educação, ciência, tecnologia e inovação”, lamentou Nader, ao falar hoje com o Jornal da Ciência.

Embora reconheça o esforço do governo federal para equilibrar as contas públicas, a presidente da SBPC avalia que a medida prejudica a educação e o desenvolvimento do País.
“A Câmara deu um passo muito negativo para o desenvolvimento do País”, complementou Nader.

Na tarde de ontem, 11, a SBPC e a Academia Brasileira de Ciências (ABC) encaminharam uma carta (disponível aqui) aos deputados expressando preocupação com os impactos negativos da medida sobre os investimentos em educação e em ciência, tecnologia e inovação.

“Entendemos a necessidade do ajuste fiscal. No entanto, reduzir os investimentos públicos em educação, ciência, tecnologia e inovação vai na contramão dos objetivos de se efetivamente tirar o Brasil da crise”, alertam, na nota. “A experiência mundial nos mostra que, sem investimentos consistentes e permanentes em educação, ciência, tecnologia e inovação, não há desenvolvimento econômico”, reforçam.

Impactos no País

Os especialistas do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) alertam, em nota (disponível aqui), sobre os impactos negativos da medida em áreas sociais, como saúde e educação.

“Os limites mínimos definidos para aplicação nas áreas de saúde e educação, que possuem seus recursos vinculados por determinações constitucionais, também serão corrigidos na forma como estabelecido na PEC. Ou seja, terão que se enquadrar no limite total de gastos corrigidos pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) do ano anterior.”

Na nota, os especialistas do órgão fazem uma simulação em que mostram a redução considerável (de 47%) dos recursos na educação, por exemplo, caso a PEC vigorasse desde 2002, o que representaria uma perda acumulada de R$ 377,7 bilhões, até 2015.

Especialistas da área de ciência e tecnologia alertam sobre o desdobramento da PEC nº 241 nos estados, sobretudo no orçamento das Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs), que também têm receitas com vinculação constitucional. A avaliação é de que a medida traria impactos negativos nas pesquisas regionais.


Fonte: Jornal da Ciência de 11/10/2016

Comentário: Pois é, continuamos com o mesmo choro de sempre. A presidente da SBPC, a Dra. Helena Nader, parece não querer entender de que este tipo de ação não resulta em absolutamente nada. Gente não vivemos em um país sério, entendam isso, além do que a nossa Sociedade não tem o menor interesse em se mobilizar para buscar as mudanças que o país precisa, especialmente nesta área de CT&I. Para nossa classe politica, quanto menos educação der a população, mais fácil fica manipula-la, e a classe dominante só esta interessada em seus próprios interesses. Acordem, se realmente vocês se importam com o futuro do país (eu mesmo já tenho as minhas dúvidas quanto a isso) ou vocês vão a luta para fazer valer as mudanças necessárias ou continuarão chorando pela mídia o leite derramando.

2 comentários:

  1. Já não esta na hora de você começar a meter o pau nesse governo igual fez com o anterior?

    Sei que você vai ficar bravo com a pergunta, mas assim parecerá menos parcial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rodrigo!

      Você tem de lido os meus comentários? Eu só tenho um lado amigo, ou seja, o Brasil, este é o meu único partido. TEMER não é resposta para o Brasil, bem como não foi o humorista LULA e muito menos a Ogra da DILMA (esta uma completa debiloide), eles sim são frutos da cultura vigente que não é nada favorável para a construção de um país de verdade. Bom é isso.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir