sexta-feira, 17 de abril de 2015

Foguete Ejetará Motores, Pegos no Ar Por Helicóptero

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria postada hoje (17/04) no site “Inovação Tecnológica” destacando que a empresa americana ULA (United Launch Alliance) responsável pelos lançamentos das missões da NASA apresentou detalhes de seu novo foguete que ejetará motores para serem pegos no ar por helicópteros.

Duda Falcão

ESPAÇO

Foguete Ejetará Motores,
Pegos no Ar Por Helicóptero

Redação do Site Inovação Tecnológica
17/04/2015

[Imagem: ULA/Divulgação]

Vulcan

A empresa responsável pelos lançamentos das missões da NASA apresentou detalhes de seu novo foguete, que deverá ser lançado em 2019.

O foguete foi batizado de Vulcan (Vulcano) em uma votação popular -Vulcano é o planeta do personagem Spock, da série Jornada nas Estrelas.

A empresa ULA (United Launch Alliance), uma sociedade entre a Boeing e a Lockheed Martin, elaborou o projeto em resposta a uma ordem do Congresso norte-americano, que estabeleceu que missões estratégicas do país não poderiam depender de motores russos.

Os atuais foguetes da empresa, incluindo o Delta VI, o mais potente foguete atualmente em operação, usam motores RD-180, fabricados pela Rússia. O Vulcan poderá usar motores fabricados pela Aerojet Rocketdyne, que fabricou os motores para os ônibus espaciais, ou pela Blue Origin, que também possui um projeto de uma nave de pouso vertical.

Premida pela concorrência de outras empresas, como a SpaceX, a ULA aderiu à reutilização dos foguetes. Se tudo funcionar como previsto, um lançamento do Vulcan deverá custar cerca de US$100 milhões, contra os US$400 milhões do Delta VI.

Recuperação de Motores

A grande novidade do projeto é a técnica de reutilização de componentes. Em vez de tentar pousar o foguete inteiro, usando seus próprios motores, como a SpaceX está tentando fazer com o Falcon 9, a ideia é recuperar apenas os motores.

Depois de colocar o foguete em órbita, os motores serão ejetados do foguete e reentrarão na atmosfera envoltos em um colchão inflável, que deverá protegê-los do calor.

Já na atmosfera, pára-quedas diminuirão a velocidade dos motores e estabilizarão sua descida, quando então eles serão "pescados" ainda no ar por um gancho a bordo de um helicóptero. Depois de presos, o helicóptero se encarregará de colocar os motores suavemente no chão.

A NASA tentou usar essa técnica em 2004, para capturar a sonda espacial Genesis, que coletou partículas do vento solar, mas uma falha nos pára-quedas fez com que a sonda se espatifasse no chão.



Fonte: Site Inovação Tecnológica - http://www.inovacaotecnologica.com.br/

Comentário: Voltando agora a falar de Programa Espacial sério e que apresenta resultados e não fantasias, bom leitor, esta ideia de pegar motores de foguetes no ar através de helicópteros nos parece um tanto fantástica, bem como também extremamente perigosa, mas não sou um especialista da área, e por conta disto gostaria que os nossos leitores da área de foguetes se manifestassem e nos dissessem o que acham desta ideia da empresa americana.

8 comentários:

  1. Olá Duda,

    Na minha opinião quando estiver pronto o sistema do Falcon 9 de pouso vertical será muito mais eficiente porque recupera o foguete inteiro e é só reabastecer depois, mas a melhor maneira de recuperação de foguetes mas que nunca foi feito foi o projeto russo do Energia II.

    Atenciosamente,
    Everton

    ResponderExcluir
  2. Energia 2 nunca ouvi falar explique melhor

    ResponderExcluir
  3. Vamos esclarecer que são os motores do primeiro estágio que reentram na atmosfera num módulo, como uma cápsula convencional e suspenso em paraquedas, um helicóptero captura com gancho o conjunto.
    Nada de especial este processo, seguro, foi utilizado por exemplo na recuperação de protótipos de mísseis como no desenvolvimento do Tomahawk.
    Energia II é uma versão com asas reutilizável nunca saiu do papel.

    Miraglia
    www.edgeofspace.org

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Não sou engenheiro da área, muito menos capacitado, mas sou grande entusiasta na medida de minhas capacidades, então me desculpem se eu falar algo errado!

    A ideia ate que é boa, mas acho que o principal fator que nenhuma empresa que já propôs sobre a reutilização de motores, é o de o quanto estes podem REALMENTE ter os seus componentes reutilizados.

    Claro que os componentes de altíssimo desempenho, vão sofrer muito desgaste durante a decolagem, e provavelmente serão substituídos por novos, mas pelo que sei os motores do ônibus espacial americano embora recondicionados apos a decolagem, fossem mais baratos do que os novos, mesmo assim saiam caro, sem contar que o ônibus espacial americano, com execessao do tanque externo, deveria ser quase que completamente reutilizável a fim de reduzir o máximo possível os custos de cada lançamento, e mesmo assim existe ate hoje uma discussão sobre se este objetivo foi ou não alcançado!

    Voltando ao tema!

    Embora a iniciativa seja louvável, estas empresas ao meu ver estão fazendo um jogo de cartas marcadas! Não querem é sair mal na foto!

    Seus sistemas de lançamento sejam eles individual de cada uma, ou os desenvolvidos em conjunto, com algumas excessões, nunca foram bons exemplos de economia de custos, principalmente pelos contratos militares GORDOS que estas tem com o governo americano!

    O que a empresa SpaceX esta tentando fazer isto sim é uma real tentativa de revolucionar os custos de lançamento, uma empresa privada que pescou profissionais de diversas gerações do programa espacial americano, a fim de desenvolver novas tecnologias que permitissem a uma empresa privada basicamente reduzir de forma mais clara os custos de cada lançamento!

    Sem contar que a SpaceX esta desenvolvendo está tecnologia visando principalmente a redução de custo de seu lançador pelo pesado o falcon heavy!

    Bom está foi minha opnião!

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    O foguete Energia II ("Uragan") foi planejado para ser completamente reusável e poder pousar como um avião convencional, os boosters e o foguete possuem asas e aviônica, muito interessante.

    Mais info:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Energia

    Everton

    ResponderExcluir
  6. Só um comentário final, com certeza a SpaceX está inovando muito mais.
    A solução da ULA é antiga, como a maior parte do custo do lançador são os motores a propelente líquido recuperá-los é algo interessante.
    O motor do Vulcan é novo utiliza LOX e CH4 otimizado e simplificado para reutilização chama-se Twin BE-4 com 1,1 milhões de libras de empuxo.
    Vejam o link com muitos projetos interessantes
    http://buran.ru/htm/homepage.htm
    Miraglia
    www.edgeofspace.org

    ResponderExcluir
  7. Ae sim russos novamente são os melhores , 175 toneladas para órbita terrestre pena que esse foguetão não decolou é mais que esse novo foguete da NASA pra ir a marte

    ResponderExcluir
  8. Os americanos já fizeram algo do tipo, mas recuperando as cargas usando um avião.

    O a família de satélites espiões Corona, tinha como equipamento principal uma câmera de alta resolução convencional ou seja, usava filme fotográfico, este fica armazenado em uma capsula com capacidade de reentrada atmosférica, depois que a missão fosse finalizada o satélite ejetava a capsula que reentrava na atmosfera terrestre, um paraquedas era acionado para diminuir a velocidade, a capsula era "pescada" em pleno voo por um C-119 Flying Boxcar ou C-130 Hércules.

    Foram lançados 142 satélites Corona, na qual 102 capsulas foram recuperadas em condição de uso.

    Imagem da primeira recuperação concluída com sucesso(C-119)

    http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/76/Keyhole_capsule_recovery.jpg

    Recuperação feito por um C-130

    http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/5/50/KH_film_recovery.jpg


    Esse programa só foi desclassificado como secreto em 1995, e funcionou de 1959 até 1972.

    Abraços.

    ResponderExcluir