quinta-feira, 19 de abril de 2018

Neerlandeses Discutem na AEB Agenda Para Missão à Innovation Expo

Olá leitor!

Segue abaixo a nota postada ontem (18/04) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB), destacando que uma delegação de agentes diplomáticos neerlandeses estiveram na Agência para discutir agenda brasileira para a missão à “Innovation Expo”, bem como o cumprimento de uma agenda voltada para a utilização de tecnologias espaciais em áreas específicas como agricultura de precisão.

Duda Falcão

Neerlandeses Discutem na AEB
Agenda Para Missão à Innovation Expo

Coordenação de Comunicação Social
Publicado em: Brasília, 18 de abril de 2018


Uma delegação de agentes diplomáticos neerlandeses esteve na Agência Espacial Brasileira (AEB), na última segunda-feira (16.04), para discutir a participação de interlocutores brasileiros em missão a ser organizada àquele país para, além do cumprimento de uma agenda voltada para a utilização de tecnologias espaciais em áreas específicas como agricultura de precisão, também visitar a sétima edição da Innovation Expo (IE2018) que acontecerá em 4 de outubro de 2018.

A IE2018, realizada a cada dois anos, faz parte do esforço conjunto de diversos ministérios dos Países Baixos, além de universidades, institutos de pesquisa, e atores da sociedade civil interessados no impacto de práticas inovadoras na consecução dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e na formulação de uma agenda tangível de soluções para os complexos desafios do novo milênio.

Bert Rikken, adido Agrícola da Embaixada do Reino dos Países Baixos, acompanhado de Ramon Gerrits, assessor da Missão, e de Ernst-Jan Bakker, adido de Inovação, Tecnologia & Ciência da Holland Innovation Network, sentaram-se à mesa com o chefe da Assessoria de Cooperação Internacional da AEB, Hugo Barbosa, e tecnologistas das Diretorias de Política Espacial e Investimentos Estratégicos (DPEI) e de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento (DSAD).

Segundo Hugo, as parcerias internacionais são ativos valiosos para a capacitação tecnológica do setor espacial brasileiro e para a afirmação da capacidade espacial do País. A colaboração internacional promove maior quantidade de projetos, permitindo aos setores industriais dos países envolvidos adquirirem dinâmica e sustentabilidade próprias.

“A cooperação sempre é interessante, especialmente quando sai do campo das boas intenções e passa a ser observada pelo viés do usuário, partindo-se para o estabelecimento proativo de laços com outros atores, gerando negócios e beneficiando a sociedade”, ressaltou Daniela Ferreira Miranda, assessora técnica da AEB.

Oportunidades de Cooperação

A agricultura de precisão foi o tema principal das conversas, em continuidade à linha de discussões originada da mesa redonda realizada pela AEB e a Holland Innovation Network no início de 2017. Mais do que explorar o que cada país está desenvolvendo atualmente no campo da tecnologia de satélites em agricultura de precisão, as partes convergiram para o entendimento de que há espaço para implementar laços de cooperação mais amplos, cobrindo outras áreas de interesse, como Internet das Coisas (IoT), por exemplo.

A tecnologista Fernanda Lima (DPEI) informou aos presentes que a AEB vem conduzindo um trabalho de consulta junto a diversas instituições nacionais demandantes de produtos e serviços do setor espacial por meio da aplicação de questionários qualitativos. Esse esforço auxiliará na identificação das tendências tecnológicas e das prioridades do País para o setor, além de viabilizar a construção participativa de um Programa Espacial Brasileiro alinhado às necessidades da sociedade.

As áreas investigadas pela DPEI incluem observação da Terra, coleta de dados, meteorologia, comunicações, posicionamento e navegação, e missões científicas. As informações oriundas dos questionários devem ser consolidadas até o mês de maio, quando, então, a AEB terá uma ideia mais precisa das necessidades de diversos setores, notadamente o da agricultura, objeto de maior aproximação com as contrapartes neerlandesas.

Para Fernanda, o encontro com interlocutores neerlandeses representou uma oportunidade para viabilizar a construção conjunta de soluções aos desafios do setor agrícola, especialmente no que diz respeito aos pequenos produtores nacionais e à agricultura familiar. A tecnologista da AEB acrescentou, ainda, que as informações resultantes do processo de identificação e análise de demandas nacionais ao setor espacial também podem contribuir no delineamento de alternativas de cooperação voltadas ao compartilhamento de dados geoespaciais e ao desenvolvimento de tecnologias e aplicações.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Pois é leitor, infelizmente a comunidade internacional continua dando crédito a essa piada chamada AEB. Vão aprender pelo pior caminho.

2 comentários:

  1. Por Deus, onde fica a Neerlândia??? É Holanda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkkkk, verdade Fabrício, mas foi o título do texto postado pela CCS da AEB. Eu só reproduzi. Kkkkkkkkk

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir