quinta-feira, 19 de abril de 2018

Encontro de Previsores de Clima Espacial na Argentina Destaca Rede Embrace MagNet do INPE

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (18/04) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que Encontro de Previsores de Clima Espacial na Argentina destaca Rede Embrace MagNet do INPE.

Duda Falcão

NOTÍCIA

Encontro de Previsores de Clima
Espacial Destaca Rede Embrace MagNet

Por INPE
Publicado: Abr 18, 2018

São José dos Campos-SP, 18 de abril de 2018

O 11º Encontro da Associação Latino-Americana de Geofísica Espacial acontece de 15 a 20 de abril em Buenos Aires, Argentina. No evento, os países que possuem centros de previsão do tempo do espaço trocam experiências sobre suas operações regionais.

O primeiro “briefing” de clima espacial entre os centros de alertas regionais da América Latina - Argentina, Brasil e México – será na sexta-feira (20). Como preparação, foi realizado o primeiro Encontro de Previsores de Clima Espacial.

Programa de Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial (Embrace) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) concebeu uma nova rede para investigar o efeito de eventos de clima espacial no campo magnético da Terra na América do Sul.

A Embrace MagNet foi planejada para cobrir a maior parte da porção leste do setor longitudinal da América do Sul, instalando e operando estações de magnetômetros do tipo “fluxgate”.

“Esta rede preenche a lacuna de medidas magnéticas disponíveis online neste setor e pretende fornecer dados magnéticos para serem utilizados como uma estimativa do nível de perturbação regional causado pelas tempestades geomagnéticas conduzidas pelos efeitos do Clima Espacial, e desenvolver o índice K da América do Sul (Ksa)”, explica Clezio Marcos De Nardin, pesquisador que lidera a iniciativa e representa o INPE no Encontro da Associação Latino-Americana de Geofísica Espacial.

Uma meta científica de longo prazo da Embrace MagNet é investigar as tendências na intensidade magnética da Anomalia Magnética da América do Sul (SAMA) e a implicação de sua presença no desvio dos índices magnéticos usados para monitorar a relação solar-terrestre associada ao clima espacial.

Artigo publicado recentemente no “Radio Science Journal” descreve a capacidade da rede e apresenta seu potencial científico para previsão e monitoramento do clima espacial, fornecendo suas primeiras descobertas científicas. Outro artigo foi publicado na mesma edição do Radio Science Journal, que destaca na capa a Embrace MagNet.

“Estamos desenvolvendo uma rede que cobre as dimensões continentais (50 ° x 40 ° em latitude x longitude)”. Ao instalar uma rede de magnetômetros desta dimensão no setor sul-americano, o Programa Embrace pode adquirir dados suficientes para ajudar a comunidade científica a investigar se as respostas a tempestades magnéticas no leste ou oeste do setor sul-americano são diferentes ou semelhantes”, diz De Nardin.

No entanto, o pesquisador destaca que “manter essa rede exige muito esforço, incluindo viagens longas para realizar reparos ou manutenções. Assim, uma parceria cooperativa de instituições (INPE, UNIVAP, ON, UFTPR e UFJ, no Brasil, e UNT e UNLP, na Argentina) com o engajamento de todos é fundamental”.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário