Desgoverno DILMA Divulga Plano Plurianual 2016-2019

Olá leitor!

O desgoverno da presidente debiloide DILMA ROUSSEFF divulgou recendente o seu “Plano Plurianual 2016-2019” com as ações do desgoverno dela previstas para este período em todas as áreas, ai incluídos os Setores de Defesa e Espaco.

No que diz respeito ao setor de Defesa, a parte que nos interessa, ou seja, as ações relacionadas com o PESE (Programa Estratégico de Sistemas Espaciais) segue abaixo:

PROGRAMA: 2058 - Defesa Nacional

OBJETIVO: 1119 - Desenvolver e elevar capacidades nas áreas estratégicas da cibernética, nuclear, espacial e nas áreas de comunicações, comando e controle, inteligência e segurança da informação.

Órgão Responsável: Ministério da Defesa

Iniciativas

* 05O7 - Definição de missões e de requisitos dos sistemas espaciais de interesse para a área de Defesa no Programa Estratégico de Sistemas Espaciais - PESE.

Já em relação as ações fantasiosas do setor espacial para o período (tão grandes quanto eram as do Plano Plurianual anterior) seguem abaixo para o conhecimento do leitor:

PROGRAMA: 2056 - Política Espacial

OBJETIVO: 0702 - Aperfeiçoar e ampliar a disponibilização de imagens, dados e serviços, em benefício da sociedade brasileira, por meio de missões espaciais utilizando satélites nacionais.

Órgão Responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Metas 2016-2019

* 03TE - Lançar o primeiro satélite de observação da Terra da série Amazônia.

Órgão responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

* 04CV - Lançar o Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres CBERS-4A.

Órgão responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Iniciativas

* 05I6 - Desenvolvimento do segundo satélite da série Amazônia, para observação da Terra.
05I7 - Desenvolvimento do sistema de Satélites de Coleta de Dados Hidrometeorológicos (SCD-Hidro) e modernização do Sistema Integrado de Dados Ambientais (SINDA).

* 05I8 - Desenvolvimento do primeiro Satélite Argentino-Brasileiro de Informações Ambientais Marítimas (SABIAMar),
para estudos de águas interiores e oceanos.

* 05I9 - Desenvolvimento do Satélite de Pesquisa Atmosférica Equatorial (EQUARS), para estudos das altas atmosferas.

* 05IA - Domínio das tecnologias de plataformas para satélites de até 100 kg (microssatélites) e para satélites de até 500 kg (pequenos satélites) para posterior industrialização.

* 05IB - Concepção das missões e definição dos requisitos para os satélites CBERS-5, CBERS-6 e o terceiro satélite da série Amazônia, considerando áreas de monitoramento agrícola, uso da terra, recursos não-renováveis, segurança hídrica e Redução de Emissões de Gases de Efeito Estufa por Desmatamento e Degradação Florestal (REDD+).

* 05IC - Definição de requisitos para futuras missões tecnológicas, de radar de abertura sintética, de meteorologia, e do Monitor e Imageador de Raios X (MIRAX).

* 05ID - Atualização e adequação da capacidade das instalações para rastreio e controle de satélites, recepção, armazenamento, processamento e disseminação de dados.

* 05IE - Estímulo à organização da base industrial e a comercialização de produtos e serviços espaciais por empresas nacionais, em satélites e aplicações.

OBJETIVO: 0397 - Prover a capacidade de acesso ao espaço, por meio de veículos lançadores nacionais e respectiva infraestrutura de lançamentos no país, com incremento da participação industrial.

Órgão Responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Metas 2016-2019

* 00VC - Realizar voo de qualificação do Veículo Lançador de Microssatélites (VLM-1) com carga útil nacional.

Órgão responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

* 00VF - Realizar voo tecnológico para qualificação do sistema de navegação inercial do Veículo Lançador de Satélites.

Órgão responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Iniciativas

* 05GP - Domínio de tecnologias de plataformas para missões suborbitais: Plataforma Suborbital de Microgravidade (PSM) e Satélite de Reentrada Atmosférica (SARA).

* 05GQ - Realização de campanhas de lançamento de foguetes em apoio a Programas de Microgravidade e de desenvolvimento tecnológico.

* 05H6 - Implantação e modernização dos Sistemas Operacionais e de Apoio Operacional de lançamento do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI).

* 05H7 - Consolidação do Sistema Nacional de Avaliação da Conformidade na Área Espacial.

* 05H8 - Estímulo à organização da base industrial e à comercialização de produtos e serviços espaciais por empresas nacionais, em veículos lançadores e serviços de lançamento.

OBJETIVO: 1108 - Promover o conhecimento científico e tecnológico, o capital humano e o domínio de tecnologias críticas para fortalecer o setor espacial.

Órgão Responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Metas 2016-2019

* 04DN - Concluir o modelo de engenharia do motor foguete a propelente líquido de 7,5 toneladas de empuxo, em continuidade ao desenvolvimento do motor.

Órgão responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

* 04DO - Concluir o desenvolvimento de Sistema de Controle de Atitude e Órbita e de Supervisão de Bordo de satélites.

Órgão responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

* 04DP - Firmar 6 contratos de prestação de serviços de engenharia para a transferência de tecnologias espaciais a indústrias nacionais ou entidades governamentais no âmbito do Programa de Transferência de Tecnologia do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC).

Órgão responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Iniciativas

* 05JA - Desenvolvimento de produtos e processos inovadores para o setor espacial e suas aplicações relativas a novos materiais, propulsão de satélites, computação científica e eletrônica embarcada.

* 05JB - Desenvolvimento de tecnologias inovadoras e consolidação de plataforma para integração de dados, conhecimentos e tecnologias, objetivando a elaboração de produtos para aplicações de imagens de satélites e dados espaciais.

* 05JC - Domínio das tecnologias de plataforma para satélites de até 10 kg (nanossatélites) para posterior industrialização.

* 05JE - Desenvolvimento de tecnologias críticas para emprego em propulsores líquidos em apoio ao desenvolvimento do motor L-75.

* 05JH - Desenvolvimento de tecnologias críticas e meios industriais em apoio ao desenvolvimento do veículo lançador VLM-1.

* 05JJ - Elaboração de estudo de viabilidade para o desenvolvimento de estágio de propulsão líquida para o veículo lançador VLS-Alfa.

* 05JK - Ampliação e modernização dos bancos de testes de propulsores químicos e implantação de banco de testes de propulsores elétricos.

* 05JM - Desenvolvimento do projeto do Banco de Ensaios de Propulsores Líquidos.

* 05JO - Consolidação de centro de pesquisa, desenvolvimento e operação para o Programa de Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial

* 05JQ - Desenvolvimento de experimentos de microgravidade e de estudos da ionosfera.

* 05JS - Conclusão e lançamento do experimento astrofísico Proto-MIRAX (Monitor e Imageador de Raios-X) através de balão estratosférico.

* 05JT - Fomento de ações, por meio da Plataforma Espaço Educação e Tecnologia (E2T), para a atração, formação e capacitação de pessoal para o setor aeroespacial, e realização de missões educacionais de nanossatélites.

* 06D4 - Consolidação do Centro Vocacional Tecnológico Espacial (CVT-Espacial) do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI).

* 06SE - Implementação do Plano de Absorção e Transferência de Tecnologia no Âmbito do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC).

Bom leitor, na realidade eu sugiro a você que não leve muito a sério o que foi inscrito neste documento, pois fora os projetos já em fase final de desenvolvimento, e aqueles de apoio a cultura populista destes merdas sanguessugas (como as do SGDC), pouco ou quase nada realmente sairá do papel.

O leitor que quiser perder o seu tempo e ter acesso a este documento completo pode acessá-lo pelo link: http://www.planejamento.gov.br/secretarias/upload/arquivo/spi-1/ppa-2016-2019/anexo-i.pdf (veja a partir da página 194)

Duda Falcão

Comentários

  1. Olá Duda,
    Tem que rir né... se metade sair do papel já seria milagre..
    Essa parte então não fez sentido nenhum pra mim.
    "Elaboração de estudo de viabilidade para o desenvolvimento de estágio de propulsão líquida para o veículo lançador VLS-Alfa."

    Os caras não conseguem nem lançar o VLS-1 e já estão planejando o próximo? Piada né... Ah lembrei de mais uma coisa. Aquela missão Aster parece ter ido pro buraco também.. nem foi mencionada...

    abs,
    Felipe Dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Aster é um projeto da USP, se não estou enganado.

      Excluir
    2. "Equipe da Missão
      O projeto ASTER é uma parceria entre diversas instituições brasileiras, entre elas o Observatório do Valongo, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Observatório Nacional (ON), Universidade Estadual Paulista (UNESP), Instituto Astronômico e Geofísico da Universidade de São Paulo (IAG-USP), Universidade Federal do ABC, Unicamp, INPE, Agência Espacial Brasileira (AEB) e Instituto de Pesquisas Espaciais da Rússia.

      A missão está sendo coordenada pelos pesquisadores Elbert Macau e Haroldo de Campos Velho, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Othon Winter, ligado à Universidade Estadual Paulista e Alexander Sukhanov, cientista ligado ao INPE e Instituto de Pesquisas Espaciais da Rússia."

      fonte: http://www.apolo11.com/espaco_brasil.php?titulo=Ousadia_Brasil_quer_pousar_sonda_em_triplo_asteroide_em_2019&posic=dat_20121119-095832.inc

      Excluir
  2. Felipe Dias, você esqueceu de falar da Missão do Brasileiro de Lançar uma Sonda Lunar no Foguete Cyclone 4 em Alcântara, o Brasil tem um Programa de Sonhos Espaciais, rs , rs , rs,...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é.. rs
      Tinha essa missão também...
      Tinha gente que acreditou tanto que até fez um blog sobre o cyclone 4 e sobre essa missão especifica da spacemeta.. rs

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite