terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Engenharia de Olho no Céu

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada na edição de ontem (11/01) do “Jornal Metro” de Curitiba, tendo como destaque o Festival de Minifoguetes de Curitiba 2016.

Duda Falcão

FOCO - Minifoguetes

Engenharia de Olho no Céu

Grupo da UFPR promove, em abril, festival que é prato cheio
para os amantes do espaçomodelismo. Inscrições estão abertas.

Jornal Metro
Segunda-feira, 11 de janeiro de 2016


Os interessados em espaçomodelismo têm até o dia 15 de fevereiro para se inscrever no terceiro Festival de Minifoguetes de Curitiba. O evento que acontece entre os dias 21 e 24 de abril, é realizado pelo Grupo de Foguetes Carl Sagan, da UFPR (Universidade Federal do paraná).

O grupo criado pelo Professor Carlos Henrique Marchi, do departamento de Engenharia Mecânica, existe desde 2005. “Venho desenvolvendo essas atividades há muito tempo, desde que era estudante. Depois de lecionar uma disciplina especial resolvi convidar alguns alunos para fundar o grupo”, conta o professor.

Inicialmente as atividades eram ligadas à disciplina. Durante as aulas os alunos testavam motores, projetavam minifoguetes e, depois, lançavam os objetos. O objetivo era comparar o projeto teórico com o resultado obtido em voo.

Mudança de Planos

A partir de 2013, porém, o Grupo de Foguetes Carl Sagan ampliou suas atividades. Naquele ano a Agência Espacial Brasileira tinha programada uma competição de foguetes. “Eles acabaram não realizando o evento e, como três equipes de alunos estavam se preparando há alguns meses, ficamos frustrados”, conta o professor.

Para contornar o problema eles decidiram criar um festival próprio, convidando as outras equipes do país que também estavam na expectativa para a competição. Foi assim que nasceu o Festival de Minifoguetes de Curitiba, que teve a sua primeira edição realizada em abril de 2014.

No ano passado 17 equipes participaram, vindas de 12 universidades diferentes. Para este ano já são 18 grupos inscritos.


Como Funciona

As equipes participantes podem concorrer em 13 categorias diferentes, divididas em dois tipos. No primeiro, apogeu máximo, o objetivo é atingir a maior altura possível no lançamento do minifoguete. Dentro deste tipo existem oito categorias, de acordo com o motor utilizado no equipamento.

Já no segundo tipo, o de apogeu exato, a organização estabelece uma altura a ser atingida pelos minifoguetes. São cinco categorias nesta modalidade. Ganha a equipe que chegar mais perto da meta estabelecida.

700 metros foi a altura máxima que um
minifoguete já atingiu no festival, que
possui treze categorias de competição

A organização não restringe o uso de minifoguetes industrializados, mas geralmente os participantes montam os seus próprios equipamentos. “Existe somente uma empresa no Brasil que fabrica motores e kits. Em geral os grupos projetam os seus minifoguetes de acordo com a categoria em que vão participar”, explica Marchi.

Como premio os vencedores ganham certificados e uma réplica do foguete Saturno V, que levou o homem à Lua. Maiores informações estão no www.foguete.ufpr.br. © METRO CURITIBA


Fonte: Jornal METRO - Edição nº 1763 - Ano 5 -  pág. 04 - Dezembro de 2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário