sábado, 25 de julho de 2015

Retorno de Bolsistas do CsF Passa de 70 mil Até Final do Ano

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota da postada ontem (24/07) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB), destacando que o retorno dos bolsistas do programa “Ciências Sem Fronteiras (CsF)“ passa de 70 mil até final do ano.

Duda Falcão

Retorno de Bolsistas do CsF
Passa de 70 mil Até Final do Ano

Jornal da Ciência


Brasília, 24 de julho de 2015 – Até o final do ano, retornarão ao Brasil 32.681 alunos egressos do programa Ciências Sem Fronteiras (CsF). Em 2014, o total chegou a 40.298. Este ano mais 14.050 terão partido para o exterior, desde junho.

Os números são de uma avaliação da Primeira Etapa do Programa feita pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Esses resultados foram apresentados na 67ª Reunião Anual da SBPC, em São Carlos (SP), a semana passada.

A maioria dos alunos matriculados no CsF (32,7%) elege as universidades dos Estados Unidos como destino prioritário. As instituições do Reino Unido aparecem em segundo lugar, são eleitas por 11,4% dos bolsistas. Em terceiro lugar, estão as universidades do Canadá, preferência de 8% dos bolsistas.

A maior parte dos estudantes é da graduação (78%). Os alunos de doutorado sanduíche representam 9%; os de pós-doutorado, 6%; os de doutorado pleno, 3%. Entre os contemplados pelo programa, 2% são professores visitantes, e os representantes do mestrado profissional e jovens talentos correspondem a 1%, cada grupo.

Entre a divisão por áreas, a maioria (45,1%) é estudante de cursos de engenharias e áreas tecnológicas. Em segundo lugar, vêm os de biologia, ciências biomédicas e da saúde, somando 18,3%. Os alunos da indústria criativa (8,4%) ocupam o terceiro lugar do ranking. Um pouco abaixo, com 8,3% do total, aparecem os estudantes de ciências exatas e da Terra, 8,3%. Na quinta posição, vêm os que estudam computação e tecnologia da informação.

Destaque – Do ponto de vistas das Instituições de Ensino Superior (IES), há um destaque para o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), de São José dos Campos (SP), que ocupa a primeira posição com o maior percentual de alunos participantes do programa. De todas as bolsas concedidas, 35,08% são de alunos do ITA. Em segundo e terceiro lugares com relação ao número de alunos matriculados, estão a Universidade Federal de Itajubá (22,88%) e Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (18%).

Na avaliação dos alunos, mais de 40% consideram bons os processos de avaliação. E a maioria acha eficiente o sistema de pagamentos de bolsas e taxas. Na avalição total do programa, mais de 70% dos matriculados consideram o CsF bom e ótimo.

Do ponto de vista das Instituições de Ensino, 98% afirmam que não houve problemas com os egressos com relação à retenção. Cerca de 70% dos avaliadores das IES acham que o desempenho dos alunos foi bom e ótimo.

No quesito aproveitamento das disciplinas cursadas no exterior, 76% dos egressos afirmaram terem aproveitado, sendo que 68% classificaram como total o aproveitamento, e 8%, como parcial.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Bom leitor, primeiro precisa se ver se esses números são verdadeiros e caso sejam, é preciso perguntar também quantos desses alunos realmente estudaram invés de passear nesses países às custas do erário publico. Na verdade vale lembrar que desde que foi estabelecido, este programa enfrentou diversas denuncias de irregularidades. Eu mesmo tenho um sobrinho que está participando e deve em breve está voltando, mas no caso dele este programa foi útil e deve ajudá-lo bastante em sua carreira, porém ele é um jovem sério, comprometido e que sabe o que quer. Enfim...

3 comentários:

  1. Esses números do ita estão mtu estranhos. 35% de 70.000 dah mais ou menos 23.000 bolsas pro ita. Mas o ita tem menos de mil alunos de graduação somando todos as engenharias e períodos. E o numero de alunos de pos tb nao eh tão grande assim. Mesmo considerando os números por três anos seguidos, e somando alunos novos com alunos que se formaram, nao chega nem perto dos 23.000. Tah errado

    Abs

    Eduardo

    ResponderExcluir
  2. http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2015/07/capes-e-cnpq-apresentam-balanco-do-programa-ciencia-sem-fronteiras.html

    Faz mtu mais sentido. Aeb eh um lixo

    ResponderExcluir
  3. Por coincidência, ontem conversei via Skype com o irmao de meu genro; que participa do CsF no Reino Unido. O que ele me disse, é que o CsF está sendo muito proveitoso para ele. Porém existem alguns bolsistas (segundo ele), que estao apenas passeando, pois nao existe uma cobrança rígida; das atividades exercidas pelos bolsistas. Esses últimos, espero que sejam punidos pelo mercado profissional. De qualquer forma , na minha visão, os ganhos superam as eventuais falhas.

    Ageu Alves

    ResponderExcluir