domingo, 5 de julho de 2015

O SNSB Sueco e as Missões Com Foguetes Brasileiros

Olá leitor!

Em agosto próximo a Swedish Space Corporation (SSC) deverá dar inicio da Base de Esrange, na Suécia, a campanha de lançamento da "Operação O-STATES", missão está que será a primeira missão com foguetes de três previstas dentro do novo “Programa Nacional Sueco de Foguetes e Balões”, programa este que é uma iniciativa do “Conselho Nacional Espacial da Suécia (Swedish National Space Board - SNSB)”.

A Missão O-STATES (Oxygen Species and Thermospheric Airglow in The Earth's Sky) terá como objetivo transportar uma carga útil de sensores ópticos e elétricos para assim entre 80 e 240 km de altitude, detectar o oxigênio em seus diferentes estados, visando com isto estender a nossa compreensão dos mecanismos na atmosfera superior e também caracterizar técnicas de sensoriamento remoto.

Para tanto, esta missão será realizada com o lançamento de dois foguetes de dois estágios (S31/Inproved Orion melhorado) sob a liderança do Prof. Jörg Gumbel” do Departamento de Meteorologia da Universidade de Estocolmo (Department of Meteorology at Stockholm University - MISU), sendo que os instrumentos científicos serão fornecidos tanto pelo MISU bem como pelo Instituto de Sistemas Espaciais da Universidade de Stuttgart (Institute of Space Systems at Stuttgart University - IRS) e pela Universidade Técnica de Graz (Technical University Graz - TUG).

O leitor mais atento pode dizer: Mas espera aí, S31/Improved Orion melhorado? Do que exatamente estamos falando aqui? Exatamente isto leitor, trata-se de uma nova configuração de foguete que se utiliza de um motor-foguete booster brasileiro (S31) em seu primeiro estágio, e um motor-foguete Improved Orion (melhorado) de origem norte-americana em seu segundo estagio, e que a partir de agora denominaremos de VS31/Orion.

Vale dizer que as outras duas operações com foguetes previstas dentro do “Programa Nacional Sueco de Foguetes e Balões” são as das missões SPIDER e LEEWAVES.

A Missão SPIDER (Small Payloads for Investigation of Disturbances in Electrojet by Rockets) está prevista para ocorrer em janeiro de 2016, e terá como objetivo transportar uma carga útil com dez (10) Unidades de Vôo Livre (Free Flying units - FFU), para serem liberadas da carga útil principal em ~ 65 km. As FFUs irão implantar sondas em fio booms para assim medirem turbulências no Eletrojato Auroral entre 95 km e 115 km de altitude.

Esta missão será realizada através do lançamento de um foguete VS-30 brasileiro sob a liderança do Prof. Nickolay Ivchenko do Departamento de Espaço e Física de Plasma do Instituto Real de Tecnologia (Department of Space and Plasma Physics at the Royal Institute of Technology - KTH), sendo que as FFUs e seu sistema de ejeção foram desenvolvidos pelo KTH.

Já a Missão LEEWAVES (Local Excitation and Effects of Waves on Atmospheric VErtical Structure) está prevista também para ocorrer em janeiro de 2016, sendo na realidade um módulo adicional da carga útil SPIDER que irá levar quatro esferas (4) à serem liberadas da carga útil principal para assim estudarem as ondas de gravidade na atmosfera terrestre.

Esta missão será realizada através do lançamento do mesmo foguete VS-30 brasileiro da Missão SPIDER, sob a liderança do mesmo Prof. Jörg Gumbel do Departamento de Meteorologia da Universidade de Estocolmo (Department of Meteorology at Stockholm University - MISU), sendo que as quatro esferas e seu sistema de ejeção foram também desenvolvidos pelo KTH.

Pois é leitor, o SSC/SNSB demonstra aqui como se conduz um Programa Espacial de verdade, com seriedade, competência, dedicação, visão e principalmente compromisso, coisa que infelizmente não se observa nesta piada conhecida como Agência Espacial Brasileira (AEB).

Para nós brasileiros só nos resta o consolo de estarmos fornecendo (ainda) os foguetes de sondagens que tantos os suecos, como alemães e de outras nacionalidades estão utilizando em seus projetos, e isto tudo graças a um exitoso acordo assinado entre o DLR/IAE ainda no final da década de 60 do século passado, acordo este que abriu as portas da Europa para a Tecnologia de Foguetes de Sondagem Brasileira, desenvolvida nos laboratórios de Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE).

Entretanto nem tudo são flores, e em breve espero poder aqui apresentar um artigo com alguns indícios de que até mesmo este importante acordo entre o DLR/IAE pode estar perdendo força junto aos alemães. Isto devido à insegurança gerada pela falta de comprometimento do desgoverno desta debiloide irresponsável. Se os indícios se confirmarem, afetarão gravemente o Projeto do VLM-1, mas este é um assunto para mais tarde.

Duda Falcão

2 comentários:

  1. Quero parabenizar a você Duda Falcão por mais essa informação que traz até nós leitores. Eu gostaria que você pudesse falar mais sobre essa configuração do motor foguete S31 que será utilizado pelo SNSB Sueco, como diferenças entre o VS30 e esse VS31, vantagens. E mais uma vez vejo o como é importante a participação das Universidades nesse seguimento. Nós temos o veículo mas não utilizamos, um verdadeiro descaso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paulo!

      Infelizmente não tenho maiores informações sobre esse novo foguete VS31/Orion, mas creio que você possa encontrar na net informações sobre as diferenças entre os motores S30, S31 e Improved Orion. Quanto a baixa utilização de nossos foguetes, você está certo, a participação de nossas universidades é de fundamental importância para o crescimento neste seguimento, Entretanto o Programa Microgravidade da AEB até hoje não passou de uma tremenda piada mal contada onde poucos foram os privilegiados, e assim poucos foram os que se interessaram em utilizar esta plataforma de pesquisa. Para que este seguimento realmente venha trazer benefícios os debiloides que estão na condução do PEB precisam transformar o Programa Microgravidade em um verdadeiro programa de desenvolvimento aberto a comunidade científica do país. Sinceramente não acredito que isto venha ocorrer.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir