quarta-feira, 22 de julho de 2015

Comitiva Alemã Veio ao Brasil Tratar de Assuntos de Defesa

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (20/07) no site do Ministério da Defesa (MD) destacando que Comitiva Alemã veio ao Brasil tratar de assuntos de Defesa.

Duda Falcão

NOTÍCIAS

Comitiva Alemã Veio ao Brasil
Tratar de Assuntos de Defesa

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
(61) 3312-4071

Brasília, 20/07/15 – A cooperação na área de tecnologia e indústria de defesa foi um dos temas da conversa entre o vice-ministro de Economia e Tecnologia da Alemanha, Uwe Beckmeyer, com os diretores do Departamento de Ciência e Tecnologia Industrial (DECTI) e do Departamento de Produtos de Defesa (DEPROD), do Ministério da Defesa (MD).

Foto: PH Freitas/MD
O diretor do DEPROD, brigadeiro José Crepaldi, explica sobre
acordos bilaterais e decisões estratégicas entre os governos.

O vice-ministro Beckmeyer, que também é coordenador de Assuntos Marítimos em seu país, apresentou oportunidades de negócios e possíveis parcerias com o Brasil como nos projetos aeroespaciais e no Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON).

O diretor de Produtos do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CENSIPAM), vinculado ao MD, capitão-de-mar-e-guerra Péricles Cardim, falou sobre o sistema de monitoramento Amazônia SAR que deve operar naquela região brasileira, com foco em uma área de 950 mil quilômetros quadrados equivalentes aos estados de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e um pedaço de Santa Catarina. 

Segundo o comandante Cardim, a tecnologia Radar de Abertura Sintética (SAR – sigla em inglês) permite coletar dados durante sete meses por ano, período em que a cobertura de nuvens na Amazônia é intensa, limitando a visualização e a coleta de dados por meios óticos. “Esta tecnologia permite que um sensor do satélite emita uma onda, que ultrapassa a nuvem, que recebe o sinal de volta e transforma o dado, processa e traduz a imagem”, explicou.

Os dados coletados são distribuídos aos setores que utilizam a informação dentro do espaço geográfico determinado. A comitiva alemã se mostrou interessada em estabelecer parcerias nessa área.

Acordo de Cooperação

Na ocasião, o vice-ministro alemão aproveitou para destacar a importância da finalização do Acordo de Cooperação de Defesa assinado em 2010. O acordo bilateral entre Brasil e Alemanha prevê princípios de igualdade, reciprocidade e interesse mútuo em conformidade com a legislação nacional e as obrigações internacionais das partes.

O diretor do DEPROD, brigadeiro José Crepaldi, reforçou que estes acordos bilaterais são decisões estratégicas entre governos e explicou sobre os tramites legais no País. “Depois da assinatura do acordo realizado pela Defesa, o documento foi aprovado pelo Congresso Nacional, e agora falta a promulgação pelo Executivo”, afirmou.

Ainda segundo o brigadeiro Crepaldi não faltarão esforços para acelerar este último ato do lado brasileiro.


Fonte: Site do Ministério da Defesa (MD)

Comentário: Bom leitor, esta é basicamente uma notícia de Defesa, mas a simples citação do diretor do CENSIPAM nesta nota do MD sobre o tal Amazônia SAR, o mesmo que gerou dúvida quanto sua origem, pode indicar que a origem do satélite que será usado seja alemã. Vale dizer, como bem lembrou um de nossos leitores, que anos atrás o INPE em parceria com o Centro Aeroespacial Alemão (DLR), trabalharam no desenvolvimento de um satélite intitulado Multi-Application Purpose SAR (MAPSAR – veja aqui), mas até onde eu sei, por razões de discordâncias entre as partes, o projeto acabou sendo cancelado. Como disse no meu comentário anterior, acho uma tremenda estupidez permitir que outro país tenha acesso a informações estratégicas com relação à Amazônia, mesmo este país sendo a Alemanha. No entanto, se a ideia é resgatar o Projeto MAPSAR do âmbito civil buscando com isso o desenvolvimento conjunto de um satélite com tecnologia SAR e que tenha o seu controle orbital totalmente realizando por brasileiros, neste caso dependendo de como o acordo será conduzido, pode ser interessante para o Brasil. O ministro carioca abaianado e biriteiro precisa vir a público e esclarecer a Sociedade qual satélite será usado neste sistema Amazônia SAR.

2 comentários:

  1. Olá Duda!

    Sobre a origem das imagens,no site do Gizmodo Brasil tem um artigo sobre o Amazônia SAR, tem um trecho assim:

    "O investimento total do projeto chega a R$ 80,5 milhões, vindos do Fundo Amazônia (R$ 63,9 milhões) e do Orçamento da União (R$ 16,6 milhões). O valor irá contratar o uso de um radar orbital de fornecedores internacionais e a Censipam irá comprar as imagens do radar."

    Lembrando que os Alemães tem satélite SAR militar, SAR Lupe da Força Aérea Alemã, eles tem cinco em orbita, e comercial TerraSAR-X e TanDEM-X, do DLR conjunto com EADS Astrium.



    Fonte: http://gizmodo.uol.com.br/radar-orbital-vigiara-a-amazonia-contra-desmatamentos-e-outras-ilegalidades/


    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. carioca abaianado e biriteiro KKKKKKKKKKKKK
    Não precisa dizer mais nada !

    ResponderExcluir