terça-feira, 13 de julho de 2010

Marina Silva Defende Concurso para Setor Aeroespacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada hoje (13/07) no Jornal “Valor Econômico” destacando que em visita a São José dos Campos (SP), a candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, disse ontem que a realização de concurso público para a contratação de engenheiros e técnicos é fundamental para o setor aeroespacial brasileiro.

Duda Falcão

Marina Defende Concurso para Setor Aéreo

Virgínia Silveira

de São José dos Campos (SP)

Valor Econômico

13/07/2010

Em visita a São José dos Campos (SP), a candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, disse ontem que a realização de concurso público para a contratação de engenheiros e técnicos é fundamental para se evitar um apagão de recursos humanos no setor aeroespacial brasileiro. "Muitas pessoas estão para se aposentar. O concurso público também é uma alternativa para os profissionais que perderam o emprego na Embraer", disse Marina durante entrevista coletiva, logo após uma visita institucional à fábrica da Embraer.

Segundo a assessoria de imprensa da candidata, a direção da Embraer apresentou um programa de recuperação gradual do pessoal que foi demitido em fevereiro do ano passado, quando a companhia reduziu em 20% seu número de funcionários, cerca de 4 mil pessoas.

Marina, que também visitou o Instituto de aeronáutica e Espaço (IAE), órgão de pesquisa do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), conheceu os números do déficit de vagas na carreira de ciência e tecnologia da instituição.

Segundo o diretor do IAE, brigadeiro Francisco Carlos Melo Pantoja, o déficit atual de funcionários na área de Ciência e Tecnologia no DCTA é da ordem de 1039. " Mostramos para a senadora Marina Silva quais as dificuldades que enfrentamos hoje para a contratação de pessoal , que leva vários anos para se formar. Se nada for feito os problemas tendem a se agravar", disse Pantoja. A candidata do PV, segundo ele, se mostrou bastante sensibilizada com a situação e prometeu trabalhar para tornar regular o ingresso de profissionais especializados no IAE, responsável hoje pelo programa de desenvolvimento do foguete VLS, entre outros projetos.

No IAE, Marina visitou o laboratório de montagem do VLS , onde teve a oportunidade de conhecer uma maquete em tamanho real do foguete. "O Brasil carece de centros de excelência como o DCTA, IAE e o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e a nossa idéia é continuar apoiando as linhas de pesquisa que são desenvolvidas ali, através de incentivos à inovação e ao desenvolvimento tecnológico".

A visita da candidata do PV à Embraer, que foi recebida pelo presidente da empresa, Frederico Fleury Curado, durou três horas. Marina chegou a São José dos Campos por volta das 10h30, acompanhada do seu candidato a vice-presidente, Guilherme Leal e pelo candidato ao senado pelo PV, Fábio Feldman, que concorre ao governo paulista pelo mesmo partido.

Na empresa a candidata também conheceu o hangar de montagem final dos jatos Embraer e o Centro de Realidade Virtual (CRV), que permite acompanhar o desenvolvimento dos aviões, realizando simulações para avaliar a configuração ideal, nas mais diversas fases da produção. "A Embraer está no topo do desenvolvimento tecnológico e nós temos um interesse estratégico de incentivar a empresa a investir nesses projetos, entre eles, o de aviões menos poluentes e que consomem menos combustíveis", comentou.

Fonte: Jornal Valor Econômico - 13/07/2010

Comentário: O blog considera a candidata Marina Silva como a melhor opção dentre os três candidatos para a presidência da república e talvez á única opção de reformulação ou até mesmo liquidação da empresa bi-nacional Alcântara Cyclone Space, antes que a mesma venha causar prejuízos ao meio-ambiente e ao erário público do país. Conhecida nacionalmente pela sua luta titânica em defesa do meio-ambiente, a candidata Marina Silva certamente haverá de olhar essa mal-engenhada empresa (entre outros projetos tão prejudiciais quanto do governo LULA) com uma visão menos política e mais responsável, o que certamente acarretará numa grande reformulação, caso a mesma venha ser eleita. Desde o final da década de 90 que os institutos envolvidos com o PEB vêm alertando (entre outras coisas tão importantes quanto) da extrema necessidade de se investir na formação e na contratação de novos engenheiros e técnicos para o programa espacial. Estamos chegando ao oitavo é último ano do governo LULA e nada de concreto (a não ser ações paliativas) foi feito para solucionar esse problema. Imagine se o programa não fosse estratégico como é vendido para os menos informados. Lamentável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário