sábado, 7 de maio de 2016

Servidora do INPE Vai Para Holanda Acompanhar Integração e Testes do ITASAT-1

Olá leitor!

Diário Oficial da União (DOU) do dia (04/05) publicou um despacho do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), autorizando uma servidora do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) a viajar para Delft/Holanda a fim de acompanhar as atividades de Integração e Testes do Nanosatélite ITASAT-1, Abaixo segue o despacho como publicado no DOU.

Duda Falcão

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

GABINETE DA MINISTRA

DESPACHOS DA MINISTRA
Em 3 de maio de 2016

Afastamentos do país autorizados na forma do Decreto nº 1.387, de 07 de fevereiro de 1995:

MARIA DE FÁTIMA MATTIELLO FRANCISCO, Tecnologista Sênior III do INPE, acompanhar as atividades de Integração e Testes do satélite ITASAT na qualidade de observadora independente e especialista em gerenciamento de projetos e engenharia de sistemas espaciais, em Delft/Holanda, no período de 08.05 a 12.05.2016, com ônus limitado. Art. 1º, inciso V.

EMÍLIA MARIA SILVA RIBEIRO CURI
Substituta

Fonte: Diário Oficial da União (DOU) - Seção 2 - pág. 07 - 04/05/2016

Comentário: Não entendi, mas talvez a equipe do ITASAT possa explicar o Blog e aos seus leitores o que o ITASAT-1 esta fazendo em Delf/Holnada? Vamos aguardar.

11 comentários:

  1. Caro Duda, a bela cidade de DelfT é conhecida por suas empresas tecnológicas. Tem várias empresas especializadas em serviços de microsatélites, desde a fabricação ou provisão de peças, até serviços de lançamento. Delft é um hub para essas empresas, um fato único, mesmo entre nações desenvolvidas.

    ResponderExcluir
  2. Exempli gratia: http://www.isispace.nl/cms/ Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Sr. Marteen Ch.!

      A questão não é esta, não duvido da capacidade das empresas holandesas, só queria entender o porque o ITASAT-1 está em testes e sendo integrado na Holanda e não no INPE.

      Entretanto após dar uma olhada no link que o senhor me enviou, ou seja, o link da empresa "ISIS - Inovative Solutions in Space", me lembrei de que esta empresa é a responsável pela plataforma deste nanosatélite.

      Porém, se não me engano, a ida deste nanosatelite para testes na ISIS só deveria ocorrer bem próximo da data de seu lançamento (como ocorreu com o NanosatC-Br1), para então apos os testes na ISIS seguir para o local de seu lançamento.

      Diante disto não entendo o motivo de sua presença neste momento na ISIS, já que segundo o “United States Commercial ELV Launch Manifest” de 29 de Fevereiro de 2016, o ITASAT-1 esta previsto para ser lançado ao espaço somente em 16 de novembro deste ano, através do foguete Falcon 9 v1.1FT.

      Diante nisto, não faz sentido algum ele está agora nas instalações da ISIS realizando testes, há não ser que seja por algum motivo não divulgado.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
    2. Caro Duda Falcão e todos leitores do Blogo Brazilian Space, faço parte do projeto ITASAT-1 e fui responsável por desenvolver todo o software de bordo do nanosatélite referente a gestão de bordo do equipamento, sendo assim fui integrante da equipe na fase de integração em Delft, Holanda.

      Assim como Marteen ressaltou bem, a ISIS (Inovative Solutions in Space) é uma grande empresa na área de cubesats, no caso do ITASAT-1 ela foi responsável por fornecer alguns equipamentos da plataforma, mas não é responsável pela plataforma como um todo, existem ainda equipamentos desenvolvidos e fornecidos pela GomSpace (http://gomspace.com/), pelo INPE de Natal, IAE e alguns desenvolvidos por nós no ITA.

      Assim como é realizado no mundo todo para primeiras missões com CubeSats, a maioria dos equipamentos são comprados de "prateleira" visando ter maior confiabilidade no sistema final, uma vez que os equipamentos comprados possuem herança de voo.

      No caso do ITASAT-1 ocorreu exatamente isso, o desenvolvimento teve uma "cara" principalmente de integração de sistemas, desenvolvimento de software, desenvolvimento de hardware auxiliar e ensaios de qualificação.

      A missão realizada a Delft se deu por algumas razões, como principais cito a seguir:

      1) Alguns equipamentos essenciais para a plataforma sofreram atrasos de entrega, principalmente por questões burocráticas referentes a compra e importação. Como esses equipamentos eram desenvolvidos pela ISIS, haveriam vantagens estratégicas e logísticas para a missão, pois lá teríamos os equipamentos em mãos e poderíamos iniciar as atividades de integração e testes imediatamente, além de poder contar com o suporte dos próprios desenvolvedores dos equipamentos (o que é de extrema importância em desenvolvimentos desse tipo).

      2) Como um braço da ISIS (a ISL - http://www.isispace.nl/launch-services/) seria também responsável pelo lançamento, teríamos também essa facilidade logística e de suporte no que diz respeito a requisitos específicos. Além de que após o ITASAT-1 estar integrado, testado e alocado no QuadPack (equipamento mecânico para lançamento), o cubesat já estaría disponível para ser transportado para os EUA e entregado à Space X, atividade essa realizada pela própia ISL.

      Sobre a visita da pesquisadora Dr. Maria de Fátima, tendo em vista que ela é pesquisadora do INPE na área de satélites possuindo grande conhecimento de testes e qualidade, o seu acopanhamento em um período da missão foi de valia imensurável. Gostaría de ressaltar pessoalmente, como o desenvolvedor do software de gestão de bordo, que durante a sua visita a Dr. Fátima contribuiu muito com dicas e sugestões referentes aos testes sendo executados, além de ser uma validadora ofical para a AEB sobre o trabalho desenvolvido por nós alunos.

      Excluir
  3. Duda Falcão ---(Blog Brazilian Space) , a respeito do ocorrido , Eu também fiquei agora muito curioso com as suas perguntas feitas ao Sr. Marteen Ch, e hoje pesquisando o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), Eu fiquei me perguntando o por quê das cores do Instituto de Aeronáutica e Espaço , são Vermelho , Azul e Branco , as mesmas cores da Bandeira dos E.U.A. , seria apenas uma coincidência ?
    .
    por quê que as cores do Instituto de Aeronáutica e Espaço, não são VERDE , AMARELO e BRANCO ?
    . ou VERDE , AMARELO , AZUL e BRANCO ?
    .
    demorou muito tempo para Eu perceber esse detalhe , meramente suspeito , se não curioso ou mesmo sem efeito nenhum com alguma relação de cores com algo que pertence ao Brasil , na Lógica !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Stone Vox!

      Foi só por uma questão de opção, não tendo nada de suspeito nisto.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  4. aproveitado o,andar da carruagem, li a respeito do VLS-1 e notei que tem uns Voos planejados, tais como ; Operação Santa Bárbara -----> testes de componentes e redes elétricas = 2016
    *
    VLS-1 XVT-01 VSISNAV ---> apenas os dois primeiros estágios ativos --> 2017
    *
    VLS-1 XVT-02 ---> Teste de lançamento completo --> 2018
    *
    VLS-1 V-04 ---> Lançamento do satélite Amazônia-1 ---> 2019

    seria esses dados verdadeiros ou mera fantasia da nossa ilustre Agência Espacial Brasileira ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Stone Vox!

      Toda esta programação do VLS-1 foi cancelada com o fim do projeto.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  5. Lançamento do satélite Amazônia-1 , já está com data e lançador modificado e programado ?
    .
    ou ainda não temos uma previsão para esse lançamento , tanto esperado ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Stone Vox!

      Programações existem, menos a do lançador, mas todas são apenas previsões, e sem o menor compromisso. O Amazônia-1 com o fim do Projeto VLS-1, é o mais antigo projeto do Programa Espacial Brasileiro, uma novela de mais de 30 anos.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  6. por isso que a , Agência Espacial Brasileira, foi cariosamente batizada de Agência Espacial de Brinquedos " Fantasias" ou " Sonhos "

    ResponderExcluir