domingo, 25 de março de 2018

Centro de Lançamento de Alcântara Realiza 100ª Operação de Lançamento

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (22/03) no site do “Centro de Lançamento de Alcântara (CLA)” destacando que mais um Foguete de Treinamento Intermediário (FTI) foi lançando com sucesso desta base na ultima quinta-feira (22/03).

Duda Falcão

Centro de Lançamento de Alcântara
Realiza 100ª Operação

22/03/2018


O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) realizou com sucesso na tarde desta quinta-feira (22/3) a 100ª operação em 35 anos de criação recentemente completados no último dia primeiro de março. Na operação centenária foi realizado o lançamento de um Foguete de Treinamento Intermediário (FTI), durante a Operação Águia I/ 2018. A atividade teve por finalidade o treinamento operacional do Centro, a obtenção de dados para análise de voo do foguete e a verificação pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) da capacidade operacional do CLA para o lançamento de um veículo VS-30 na Operação Mutiti, prevista para ocorrer neste ano de 2018, em Alcântara.   

O lançamento ocorreu às 15:40h no horário local, o mesmo do horário oficial de Brasília, e contou com uma equipe de mais de 100 militares e servidores civis oriundos do CLA, do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), além dos esquadrões Falcão (1º/8º GAv), para eventual apoio com evacuações aeromédicas dos profissionais envolvidos, e Netuno (3º/7º GAv), para verificação de segurança prévia da área marítima interditada para a operação. O 14º FTI lançado do CLA atingiu 51 quilômetros de altitude máxima (apogeu) em 1 minuto e 44 segundos. O foguete percorreu 86 quilômetros da plataforma de lançamento até atingir o ponto de impacto no litoral maranhense, levando 3 minutos e 35 segundos de tempo total de voo.

“O lançamento de hoje demonstrou o elevado grau de adaptabilidade das equipes e meios de solo do CLA. É um momento importante para todos que participaram deste marco histórico do Centro em que alcançamos nossa 100ª operação e constatamos o CLA cada vez mais em evidência no contexto atual do Programa Espacial Brasileiro. Quem sabe daqui mais 100 operações em um futuro não muito distante estejamos comemorando outras conquistas a partir da nossa consolidação definitiva como centro espacial, gerando maior desenvolvimento científico e tecnológico e trazendo recursos e prosperidade a todo país”, afirmou o Diretor do Centro, Coronel Engenheiro Luciano Valentim Rechiuti.

A operação Águia I/ 2018 realizada no CLA ocorreu simultaneamente à segunda Reunião de Acompanhamento de Interface (2ª RAI) da Operação Mutiti, a ser realizada pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), e que deve lançar a partir do CLA um foguete VS-30 com experimentos científicos e tecnológicos desenvolvidos com recursos da Agência Espacial Brasileira (AEB). Outros objetivos da futura Operação Mutiti em Alcântara são o de dar continuidade ao Programa Espacial Brasileiro, em coordenação com a AEB; apoiar projetos de organizações de ensino, pesquisa e desenvolvimento para a realização de estudos por meio de voos suborbitais; proporcionar treinamento com a utilização dos meios de lançamento, de rastreio e de coleta de dados do CLA; além de manter a operacionalidade do CLBI como Estação Remota, proporcionando treinamento às diversas equipes envolvidas com o rastreio do foguete  e a coleta e transmissão de dados do módulo de experimentos do foguete (carga-útil). Participam da 2ª RAI da Operação Mutiti no CLA, pela Força Aérea Brasileira (FAB) integrantes do DCTA, IAE, Instituto de Estudos Avançados (IEAv), Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) e CLBI. A AEB também participa do encontro iniciado em Alcântara na última segunda-feira (19/3).


Fonte: Site do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA)

Comentário: Pois é, mais uma operação desses foguetes de treinamento que vivem em uma eterna qualificação sem fim, apesar de tantos voos realizados. Quanto a tal ‘Reunião de Acompanhamento de Interface (2ª RAI) da Operação Mutiti’, creio que só foi necessária devido a não realização desta operação em 2017, como estava inicialmente prevista. Note leitor que até o foguete que será usado foi alterado e agora se pretende usar o foguete VS-30, invés do VS-30/Orion com estava previsto desde que foi divulgado informações sobre esta missão. O que aconteceu então leitor? Bom não precisa ser um gênio para supor que muito provavelmente foi falta de recursos, ou então os experimentos que serão lançados não ficaram prontos dentro do prazo, opção esta menos provável, enfim...

2 comentários:

  1. Sem querer ser sínico,este centro precisa mudar de nome.Deverá ser Centro Permanente de Treinamentos e Cerimônias de Alcântara.CPTCA.

    ResponderExcluir