sábado, 5 de novembro de 2016

Operação Rio Verde Enviará Experimentos Tecnológicos a Bordo do VSB-30

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria postada na edição de outubro do ”Jornal do SindCT“, tendo como destaque a tal da “Operação Rio Verde” do Programa Microgravidade de nossa Agência Espacial Brinquedo (AEB).

Duda Falcão

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

“A EXPECTATIVA É GRANDE”, DESTACA JOSÉ BEZERRA (IAE)

Operação Rio Verde Envia Experimentos
Tecnológicos a Bordo do VSB-30

Lançamento do veículo deve ocorrer em Alcântara entre novembro
e dezembro deste ano, com a finalidade de testar oito
experimentos em ambiente de microgravidade

Shirley Marciano
Jornal do SindCT
Edição nº 51
Outubro de 2016

Ainda não há uma data exata, mas é certo que entre novembro e dezembro o VSB-30, projeto desenvolvido em parceria com a Agência Espacial Alemã (DLR), seja lançado do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão. Já com diversos voos bem sucedidos, este veículo levará consigo oito experimentos para serem testados em ambiente de microgravidade.

A missão, batizada de Operação Rio Verde, acontece um ano depois da fracassada Operação São Lourenço, na qual o VS-40M explodiu ainda na plataforma de lançamento. Não houve vítimas (confira em http://migre.me/vm73E).

Entre os dias 15 e 18/8 foram realizados os testes finais com as cablagens de voo e a bordo do VSB-30. Esse teste de sistema, realizado pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), órgão pertencente ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), obteve sucesso.

“A expectativa é grande neste lançamento para atender com êxito aos nossos clientes, que vão testar os seus experimentos. Além disso, desde 2010 não fazemos um lançamento com este mesmo objetivo. Então, a espera foi grande”, ressalta José Bezerra Pessoa Filho, tecnologista sênior do IAE, que é um dos pesquisadores envolvidos no projeto.

Com relação ao custo, ele afirma que foi um valor irrisório, se considerar a estrutura que se tem hoje. “Não custou nem 1 milhão de reais. Estou me referindo somente aos experimentos. Ou seja: é muito pouco em termos gerais, levando em consideração a manutenção do IAE, do CLA e a equipe envolvida no programa”, diz.

O desafio tecnológico não é propriamente o voo do VSB-30, pois ele já foi qualificado em 2004 no Brasil e em 2005 na Europa. Na verdade, a atenção se volta ao “conjunto da obra”: o lançamento e o funcionamento dos experimentos de forma sistêmica, desde o lançamento até o recebimento dos dados via rádio e a recuperação da carga útil.

Os experimentos científicos são financiados pelo Programa Microgravidade da Agência Espacial Brasileira (AEB) e foram desenvolvidos por várias instituições: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Universidade Estadual de Londrina (UEL), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE).

Principais Experimentos

* MPM-A: os minitubos de calor são dispositivos que fazem uso do calor latente de fusão e do efeito capilar para transportar energia de uma fonte quente para uma fria. Esses dispositivos são utilizados para o controle térmico de equipamentos eletrônicos tanto no espaço como em terra;

* MPM-B: tem a mesma finalidade do MPM-A, mas enquanto o fluido de trabalho do experimento MPM- -A é o metanol, o MPM-B utiliza o fluido refrigerante denominado HFE7100;

* VGP2: é um experimento biológico com o objetivo de avaliar os efeitos da microgravidade sobre o DNA da cana de açúcar. Para tanto, amostras de cana de açúcar serão levadas ao espaço;

* E-MEMS: tem por objetivo a determinação de altitude de foguetes e satélites. Com essa informação é possível efetuar correções na trajetória de um foguete que possua sistema de controle, bem como manter satélites em suas órbitas nominais;

* SLEM: desenvolvimento, construção e qualificação de um forno elétrico com capacidade de fundir ligas eutéticas.


Fonte: Jornal do SindCT - Edição 51ª – Outubro de 2016

Comentário: Pois é leitor, fora as atividades com o motor L75 na Alemanha que como sabemos não tem mais tanto significado assim, e atividades em prol do desenvolvimento dos Satélites CBERS-4A e Amazônia-1 (este a maior novela do PEB na atualidade), esta será a única operação de lançamento com real proposito realizada no Brasil no ano de 2016. Ficaremos na torcida Dr. José Bezerra Filho para que tudo saia como esperado, mas confesso que diante do desgoverno que temos em todas as áreas que envolvem um lançamento como este, a simples inclusão do experimento "E-MEMS" neste voo, deixa-me preocupado que algo possa dar errado. Afinal erros tremendos na área de inteligência foram cometidos no Governo da Ogra Debiloide e temo ainda não corrigidos, e pior, sem qualquer perspectiva se serão. Vamos torcer, avante VSB-30.

4 comentários:

  1. Penso como você, Duda. O E-MEMS deve ser motivo de preocupação. Por isso, acredito, não foi divulgada uma data exata para o lançamento. E espero que não seja.

    ResponderExcluir
  2. Não devemos facilitar a vida de espiões de potências estrangeiras. A data não deve ser divulgada, mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Do que adianta não divulgar a data se pelo que estou sabendo, segundo minhas fontes, haverá vários estrangeiros acompanhando, in loco, tudo que lá ocorrerá, antes, durante o lançamento!! O Brasil , apesar de já terem ocorrido dois acidentes em lançamentos, sendo o último o ano passado, que graças a DEUS não houve vítimas, parece q está tudo bem! Aqui na verdade parece ser o paraíso pra espionagem de outros países trabalhar. Sabe pq em outros países há sucessos nos Programas Espaciais, primeiro um governo sério que se importe e valorize a causa. Segundo o comprometimento de quem trabalha no sistema, no projeto e que se preocupe para que o mesmo seja altamente protegido, pessoas sérias que trabalhem pelo seu País.

    ResponderExcluir
  4. Quando digo que o PEB não é levado a sério nesse País. Fiquei sabendo que os servidores envolvidos na Operação Rio Verde, caso não recebam as diárias, não irão para a mesma. Ora uma Operação desse vulto, que já está programada ainda está com problemas orçamentários?? Se fosse num país sério, que se importasse com o Programa Espacial, com certeza já se teria dinheiro reservado para todo o custeio da Operação na sua totalidade, sem cortes daqui e dali! E se realmente for verdade essa informação, os servidores estão corretíssimos em não irem!! Cumpra-se a lei!

    ResponderExcluir