quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

EMBRACE Monitora Clima do Espaço e Alerta Sobre Seus Efeitos na Terra

Olá leitor!

Segue abaixo uma interessante reportagem publicada no número 04 do Informativo do INPE de 13/01, destacando que o Programa de Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial deste instituto (EMBRACE) monitora o Clima Espacial e alerta sobre seus efeitos na Terra.

Duda Falcão

EMBRACE Monitora Clima do Espaço e
Alerta Sobre Seus Efeitos na Terra

Informativo INPE
Número 04
13/01/2016

O comportamento do Sol e de fenômenos que ocorrem no espaço podem afetar o sinal de canais de televisão via satélite e de aparelhos de localização GPS. Estes e outros problemas mais graves demonstram a necessidade de entender e acompanhar cada vez mais as explosões solares e as características do espaço interplanetário da magnetosfera, ionosfera e mesosfera.

O EMBRACE, Programa de Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial do INPE, avalia diariamente os fenômenos que afetam o meio entre o Sol e a Terra, e o espaço em torno da Terra. Nas instalações do EMBRACE, no campus do Instituto em São José dos Campos, são gerados alertas úteis para operação de satélites, sistemas de navegação de aeronaves, linhas de transmissão de energia e até plataformas de petróleo.

Sala de Monitoramento do EMBRACE,
no INPE de São José dos Campos.

“Um dos relatos mais comuns no Brasil são de cintilação no sinal do GPS, que afeta vários setores. Por exemplo, na agricultura de precisão a cintilação inviabiliza o funcionamento do maquinário agrícola; no radioamadorismo causa interrupção na comunicação; nos levantamentos topográficos causa perda de muitos observáveis do GPS, degradando a precisão e prolongando o trabalho de campo”, diz Marcelo Banik de Pádua, pesquisador e gerente de Operações do EMBRACE/INPE.

Entre os serviços derivados do monitoramento do clima espacial, destacam-se as medidas de TEC (conteúdo eletrônico total) e de cintilação na ionosfera, que são fundamentais no geoposicionamento de alta fidelidade.

“A cintilação é o maior desafio a ser superado na navegação aérea, tanto no sistema GBAS (ground-based augmentation system) como no SBAS (satellite-based augmentation system). Os modos de controle tradicionais não são afetados severamente a ponto de fechar um aeroporto. No entanto, as cintilações podem inviabilizar a modernização do sistema de controle de tráfego aéreo no Brasil”, alerta o pesquisador.

O monitoramento do clima espacial é resultado de décadas de pesquisas no INPE. Criado no início da década de 1960, teve suas primeiras atividades voltadas para as ciências espaciais e atmosféricas. O pioneirismo nos estudos dos processos básicos da interação Sol-Terra, realizados através de observações e abordagem teórica e simulação computacional, resultou na criação do EMBRACE.

O programa conta com equipamentos por todo o Brasil, através de parcerias com universidades e instituições públicas e privadas. Os dados são analisados pela equipe do EMBRACE, que reúne especialistas em astrofísica, geofísica espacial, aeronomia e informática.

Mapa da Cintilação pode ser consultado no portal do EMBRACE.

Todas as informações sobre clima espacial estão disponíveis na internet. “A página do EMBRACE apresenta produtos relacionados com a rede de magnetômetros, mapa de TEC, ionossondas, imageador all-sky, cintilação e fluxo de raio-X. Diariamente são feitos boletins na área referente ao Sol, meio interplanetário, Terra/atmosferas e Terra/Campo magnético. Também é apresentado o índice de impacto R (relativo à radiofrequência) e G (relativo ao geomagnetismo)”, informa Marcelo Banik. computacional, resultou na criação do EMBRACE.

A página do EMBRACE/INPE foi configurada para se adaptar a dispositivos móveis. Em 2015 foi lançado um aplicativo Android para divulgação das informações sobre clima espacial e envio de alertas dos índices R e G. Também é possível obter as informações pelo Twiter.

“Neste ano teremos novos serviços na área do Sol e meio interplanetário, além de aperfeiçoamentos nos produtos já lançados, melhorias na disponibilidade dos dados e manutenção da rede de instrumentos”, conclui o gerente de Operações do EMBRACE/INPE.

Os produtos do monitoramento do clima espacial podem ser acessados no endereço: www.inpe.br/climaespacial


Fonte: Informativo do INPE - Número 04 - 13/01/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário