quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Desgoverno DILMA Divulga Plano Plurianual 2016-2019

Olá leitor!

O desgoverno da presidente debiloide DILMA ROUSSEFF divulgou recendente o seu “Plano Plurianual 2016-2019” com as ações do desgoverno dela previstas para este período em todas as áreas, ai incluídos os Setores de Defesa e Espaco.

No que diz respeito ao setor de Defesa, a parte que nos interessa, ou seja, as ações relacionadas com o PESE (Programa Estratégico de Sistemas Espaciais) segue abaixo:

PROGRAMA: 2058 - Defesa Nacional

OBJETIVO: 1119 - Desenvolver e elevar capacidades nas áreas estratégicas da cibernética, nuclear, espacial e nas áreas de comunicações, comando e controle, inteligência e segurança da informação.

Órgão Responsável: Ministério da Defesa

Iniciativas

* 05O7 - Definição de missões e de requisitos dos sistemas espaciais de interesse para a área de Defesa no Programa Estratégico de Sistemas Espaciais - PESE.

Já em relação as ações fantasiosas do setor espacial para o período (tão grandes quanto eram as do Plano Plurianual anterior) seguem abaixo para o conhecimento do leitor:

PROGRAMA: 2056 - Política Espacial

OBJETIVO: 0702 - Aperfeiçoar e ampliar a disponibilização de imagens, dados e serviços, em benefício da sociedade brasileira, por meio de missões espaciais utilizando satélites nacionais.

Órgão Responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Metas 2016-2019

* 03TE - Lançar o primeiro satélite de observação da Terra da série Amazônia.

Órgão responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

* 04CV - Lançar o Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres CBERS-4A.

Órgão responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Iniciativas

* 05I6 - Desenvolvimento do segundo satélite da série Amazônia, para observação da Terra.
05I7 - Desenvolvimento do sistema de Satélites de Coleta de Dados Hidrometeorológicos (SCD-Hidro) e modernização do Sistema Integrado de Dados Ambientais (SINDA).

* 05I8 - Desenvolvimento do primeiro Satélite Argentino-Brasileiro de Informações Ambientais Marítimas (SABIAMar),
para estudos de águas interiores e oceanos.

* 05I9 - Desenvolvimento do Satélite de Pesquisa Atmosférica Equatorial (EQUARS), para estudos das altas atmosferas.

* 05IA - Domínio das tecnologias de plataformas para satélites de até 100 kg (microssatélites) e para satélites de até 500 kg (pequenos satélites) para posterior industrialização.

* 05IB - Concepção das missões e definição dos requisitos para os satélites CBERS-5, CBERS-6 e o terceiro satélite da série Amazônia, considerando áreas de monitoramento agrícola, uso da terra, recursos não-renováveis, segurança hídrica e Redução de Emissões de Gases de Efeito Estufa por Desmatamento e Degradação Florestal (REDD+).

* 05IC - Definição de requisitos para futuras missões tecnológicas, de radar de abertura sintética, de meteorologia, e do Monitor e Imageador de Raios X (MIRAX).

* 05ID - Atualização e adequação da capacidade das instalações para rastreio e controle de satélites, recepção, armazenamento, processamento e disseminação de dados.

* 05IE - Estímulo à organização da base industrial e a comercialização de produtos e serviços espaciais por empresas nacionais, em satélites e aplicações.

OBJETIVO: 0397 - Prover a capacidade de acesso ao espaço, por meio de veículos lançadores nacionais e respectiva infraestrutura de lançamentos no país, com incremento da participação industrial.

Órgão Responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Metas 2016-2019

* 00VC - Realizar voo de qualificação do Veículo Lançador de Microssatélites (VLM-1) com carga útil nacional.

Órgão responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

* 00VF - Realizar voo tecnológico para qualificação do sistema de navegação inercial do Veículo Lançador de Satélites.

Órgão responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Iniciativas

* 05GP - Domínio de tecnologias de plataformas para missões suborbitais: Plataforma Suborbital de Microgravidade (PSM) e Satélite de Reentrada Atmosférica (SARA).

* 05GQ - Realização de campanhas de lançamento de foguetes em apoio a Programas de Microgravidade e de desenvolvimento tecnológico.

* 05H6 - Implantação e modernização dos Sistemas Operacionais e de Apoio Operacional de lançamento do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI).

* 05H7 - Consolidação do Sistema Nacional de Avaliação da Conformidade na Área Espacial.

* 05H8 - Estímulo à organização da base industrial e à comercialização de produtos e serviços espaciais por empresas nacionais, em veículos lançadores e serviços de lançamento.

OBJETIVO: 1108 - Promover o conhecimento científico e tecnológico, o capital humano e o domínio de tecnologias críticas para fortalecer o setor espacial.

Órgão Responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Metas 2016-2019

* 04DN - Concluir o modelo de engenharia do motor foguete a propelente líquido de 7,5 toneladas de empuxo, em continuidade ao desenvolvimento do motor.

Órgão responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

* 04DO - Concluir o desenvolvimento de Sistema de Controle de Atitude e Órbita e de Supervisão de Bordo de satélites.

Órgão responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

* 04DP - Firmar 6 contratos de prestação de serviços de engenharia para a transferência de tecnologias espaciais a indústrias nacionais ou entidades governamentais no âmbito do Programa de Transferência de Tecnologia do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC).

Órgão responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Iniciativas

* 05JA - Desenvolvimento de produtos e processos inovadores para o setor espacial e suas aplicações relativas a novos materiais, propulsão de satélites, computação científica e eletrônica embarcada.

* 05JB - Desenvolvimento de tecnologias inovadoras e consolidação de plataforma para integração de dados, conhecimentos e tecnologias, objetivando a elaboração de produtos para aplicações de imagens de satélites e dados espaciais.

* 05JC - Domínio das tecnologias de plataforma para satélites de até 10 kg (nanossatélites) para posterior industrialização.

* 05JE - Desenvolvimento de tecnologias críticas para emprego em propulsores líquidos em apoio ao desenvolvimento do motor L-75.

* 05JH - Desenvolvimento de tecnologias críticas e meios industriais em apoio ao desenvolvimento do veículo lançador VLM-1.

* 05JJ - Elaboração de estudo de viabilidade para o desenvolvimento de estágio de propulsão líquida para o veículo lançador VLS-Alfa.

* 05JK - Ampliação e modernização dos bancos de testes de propulsores químicos e implantação de banco de testes de propulsores elétricos.

* 05JM - Desenvolvimento do projeto do Banco de Ensaios de Propulsores Líquidos.

* 05JO - Consolidação de centro de pesquisa, desenvolvimento e operação para o Programa de Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial

* 05JQ - Desenvolvimento de experimentos de microgravidade e de estudos da ionosfera.

* 05JS - Conclusão e lançamento do experimento astrofísico Proto-MIRAX (Monitor e Imageador de Raios-X) através de balão estratosférico.

* 05JT - Fomento de ações, por meio da Plataforma Espaço Educação e Tecnologia (E2T), para a atração, formação e capacitação de pessoal para o setor aeroespacial, e realização de missões educacionais de nanossatélites.

* 06D4 - Consolidação do Centro Vocacional Tecnológico Espacial (CVT-Espacial) do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI).

* 06SE - Implementação do Plano de Absorção e Transferência de Tecnologia no Âmbito do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC).

Bom leitor, na realidade eu sugiro a você que não leve muito a sério o que foi inscrito neste documento, pois fora os projetos já em fase final de desenvolvimento, e aqueles de apoio a cultura populista destes merdas sanguessugas (como as do SGDC), pouco ou quase nada realmente sairá do papel.

O leitor que quiser perder o seu tempo e ter acesso a este documento completo pode acessá-lo pelo link: http://www.planejamento.gov.br/secretarias/upload/arquivo/spi-1/ppa-2016-2019/anexo-i.pdf (veja a partir da página 194)

Duda Falcão

5 comentários:

  1. Olá Duda,
    Tem que rir né... se metade sair do papel já seria milagre..
    Essa parte então não fez sentido nenhum pra mim.
    "Elaboração de estudo de viabilidade para o desenvolvimento de estágio de propulsão líquida para o veículo lançador VLS-Alfa."

    Os caras não conseguem nem lançar o VLS-1 e já estão planejando o próximo? Piada né... Ah lembrei de mais uma coisa. Aquela missão Aster parece ter ido pro buraco também.. nem foi mencionada...

    abs,
    Felipe Dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Aster é um projeto da USP, se não estou enganado.

      Excluir
    2. "Equipe da Missão
      O projeto ASTER é uma parceria entre diversas instituições brasileiras, entre elas o Observatório do Valongo, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Observatório Nacional (ON), Universidade Estadual Paulista (UNESP), Instituto Astronômico e Geofísico da Universidade de São Paulo (IAG-USP), Universidade Federal do ABC, Unicamp, INPE, Agência Espacial Brasileira (AEB) e Instituto de Pesquisas Espaciais da Rússia.

      A missão está sendo coordenada pelos pesquisadores Elbert Macau e Haroldo de Campos Velho, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Othon Winter, ligado à Universidade Estadual Paulista e Alexander Sukhanov, cientista ligado ao INPE e Instituto de Pesquisas Espaciais da Rússia."

      fonte: http://www.apolo11.com/espaco_brasil.php?titulo=Ousadia_Brasil_quer_pousar_sonda_em_triplo_asteroide_em_2019&posic=dat_20121119-095832.inc

      Excluir
  2. Felipe Dias, você esqueceu de falar da Missão do Brasileiro de Lançar uma Sonda Lunar no Foguete Cyclone 4 em Alcântara, o Brasil tem um Programa de Sonhos Espaciais, rs , rs , rs,...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é.. rs
      Tinha essa missão também...
      Tinha gente que acreditou tanto que até fez um blog sobre o cyclone 4 e sobre essa missão especifica da spacemeta.. rs

      Excluir