quarta-feira, 28 de julho de 2010

Sensoriamento Remoto é Tema de Minicurso na SBPC

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada hoje (28/07) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB), destacando que alunos do ensino médio e superior assistiram, na manhã de ontem (27/07), o minicurso “Geotecnologia no Estudo do Meio Ambiente”, oferecido pelo programa AEB Escola da AEB, durante a realização da 62ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

Duda Falcão


Sensoriamento Remoto é Tema de Minicurso na SBPC


CCS/AEB

28-07-2010


Alunos do Ensino Médio e Superior assistiram, na manhã do dia 27 de julho, o minicurso “Geotecnologia no estudo do meio ambiente”, oferecido pelo programa AEB Escola - da Agência Espacial Brasileira (AEB) -, na 62ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Ministrado pela tecnologista sênior do Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE), Elisabete Caria, o minicurso ensinou aos alunos como imagens de satélites são capturadas, como compilá-las e analisá-las.

Elizabete explicou que as imagens são usadas no acompanhamento de queimadas e do desmatamento, no planejamento urbano, entre vários outros. Segundo a professora, as imagens dos satélites atuais têm altíssima resolução. Por isso, é possível, por exemplo, acompanhar a trajetória de um ciclone, saber quando ele vai atingir o continente e evacuar o local. As imagens permitem, ainda, diferenciar área urbana da área industrial em uma cidade, ter noção do poder aquisitivo do bairro e analisar as mudanças no território com o passar dos anos.

“Estudo meio ambiente e o minicurso vai me ajudar muito”, disse a aluna de Engenharia Ambiental Rilene da Costa. “Eu sabia um pouco sobre o assunto. Aqui pude aprender mais e esclarecer algumas dúvidas que eu tinha”, completou Joaquim Pereira, estudante do segundo ano do Ensino Médio do Colégio Militar do Ceará e que está na SBPC para apresentar um pôster. O professor da Escola Técnica de Brasília e colaborador do programa AEB Escola, Izaias Cabral, depois de participarem do minicurso “os estudantes olharão os mapas não mais assustados porque saberão interpretá-los”.

Elizabete acredita que fez com que os alunos tivessem boa noção em sensoriamento remoto. “Despertar a curiosidade desses jovens é o que me motiva a sair de São José dos Campos (SP) e vir a Natal ministrar a aula. É gostoso saber que consigo socializar o conhecimento”.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Muito bom, o “Programa AEB Escola” é o único dos programas da agência espacial que funciona a contento, já que o “Programa Uniespaço” é tímido nas suas ações e o “Programa Microgravidade” é uma piada contada de quatro em quatro anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário