O Brasil, os Programas de Satélites Conjuntos e a Pizza

Olá leitor!

Nos dias 22 e 23/10 será realizado em Bangalore (Índia) a Reunião Técnica do Programa IBAS (SIBAS), programa esse que visa o desenvolvimento de dois microssatélites entre os países integrantes do Bloco IBAS (Índia, Brasil e África do Sul), sendo o primeiro de Estudos Climáticos” e o outro de “Observação da Terra”.

Fruto de um acordo assinado pelo humorista LULA na reunião do bloco, realizada em Brasília em abril de 2010, esse programa é mais um desses projetos assinados com outras nações que corre o sério risco de virar pizza.

Afinal, com exceção dos satélites do Programa CBERS com a China, nenhum projeto de satélite em parceria com outro país tornou-se realidade até hoje no Programa Espacial Brasileiro.

Como esquecer o projeto do FBM (French Brazilian Microsatellite) com a França, ou mesmo o MAPSAR (importante satélite radar) com a Alemanha, ou até mesmo com os satélite científicos  EQUARS e MIRAX, previstos para serem desenvolvidos com diversas nações e que acabaram virando missões incluídas no Satélite Científico Lattes, previsto sabe Deus para quando.

E o que dizer do Satélite SABIA-MAR, projeto assinado com a Argentina em 1998 (veja aqui o acordo) e que após 14 anos ainda não saiu da fase preliminar de desenvolvimento. Podemos citar também a pretensão brasileira de participar do Programa GPM - Global Precipitation Measurement (programa esse liderado pela NASA e pela JAXA japonesa) desenvolvendo o satélite GPM-BR que acabou se tornando uma outra novela interminável.

Para completar, foi anunciado ontem no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) que o seu presidente, José Raimundo Braga Coelho, esteve na Itália quando na oportunidade, reuniu-se com o presidente da Agência Espacial Italiana (ASI), Enrico Saggese, a fim de discutir a possibilidade de desenvolvimento conjunto de um novo Satélite Ítalo-Brasileiro. Ora leitor, faça-me uma garapa e tire suas próprias conclusões.

Duda Falcão

Comentários

  1. É hora de tirar o kit palhaço da gaveta...

    Lamentável.

    ResponderExcluir
  2. Isso parece um retrospecto de telenovela, dizendo o que aconteceu nos episódeos anteriores. Desilusões, defraudação, riso, choro, prometendo um ganchinho com a Italia para prolongar o episódeo. Já pensou ir para roteirista Duda?

    ResponderExcluir
  3. Olá Israel!

    Não amigo, deixo essa opção para quem realmente tem talento para isso, rsrsrs,

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  4. E falando em Pizza.

    Acabei de ver no site da Agência Espacial Civil Equatoriana. Eles estão contando os dias (47 hoje), para o lançamento do primeiro satélite totalmente Equatoriano. Trata-se de um Cubesat padrão com duas "asas" de painéis solares chamado NEE-01 Pegaso.

    Se ao menos um dos lançadores Brasileiros estivesse operacional ele poderia estar sendo lançado do CLA, ao invéz de por um foguete Russo Dnepr RS20, operado pela empresa KOSMOTRAS, a partir do centro de lançamento de Yasny.

    Lá no Equador, eles também enfrentaram vários problemas (entre os quais um programa espacial com objetivos no mínimo "poéticos"), mas ao menos foi firmado um compromisso de estado com este projeto bem simples...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022