domingo, 2 de dezembro de 2018

Startups Espacias Brasileiras: Presidente Bolsonaro, Ajude-as a Fazer História

Olá leitor!

Trago agora para você o relato do jovem engenheiro aeroespacial brasileiro “Caue Napier”, formado pela Universidade de Federal do ABC (UFABC) e atualmente trabalhando para startup espanhola “PLD Space”.

Neste depoimento enviado aos participantes na “COBRUF Rockets 2018” (atualmente em curso no CLBI) o jovem engenheiro brasileiro faz um relato sobre os planos em curso desta  startup espanhola relacionados com os foguetes “Arion-1” (lançador suborbital) e “Arion-2” (lançador orbital), bem como a sua passagem pelo grupo de fogueteiros da “UFABC Rocket Design” e pelos primórdios da Associação COBRUF, ao qual ele foi um dois integrantes mais ativos.


Pois bem leitor, apesar deste vídeo ter como principal objetivo estimular os novos engenheiros brasileiros de quanto é importante para a sua formação à participação em todos os eventos da Associação COBRUF bem como de qualquer outra competição que tenha como objetivo colocar em prática o conhecimento adquirido em sala de aula, este vídeo também serve para se ter uma ideia da importância atual das startups espaciais com este novo modelo de New Space.

Diante disto, mesmo esta questão fazendo parte de umas das solicitações feitas ao novo Governo Bolsonaro através da “Carta de Foz do Iguaçu” (veja aqui), o Blog BRAZILIAN SPACE aproveita a oportunidade para reiterar esta mesma solicitação ao próximo governo, para que estimule as poucas e ávidas (sete ao todo se não estiver enganado) e mais que prontas startups brasileiras, a mudar o rumo do Programa Espacial Brasileiro.

Presidente Bolsonaro, é triste, um total desperdício de recursos e uma grande estupidez estarmos aqui formando profissionais como o jovem Cauê Napier para trabalharem em prol de outras sociedades que não a brasileira, e isto por falta de mercado de trabalho no Brasil nesta área.

Além disso, precisamos apostar nesses jovens, veja por exemplo, o caso do Eng. Lucas Fonseca da startup brasileira Airvantis que, mesmo correndo o risco de prejudicar sua carreira deixou a ESA (Agencia Espacial Europeia) para voltar ao Brasil, e em pouco tempo e com seus próprios esforços esta desenvolvendo uma missão lunar (Garatéa-L) que será lançada em 2021 ou 2022, fora o grande trabalho que vem realizando na área educacional com os Projetos Garatéa-ISS e Garatéa-E, enquanto no mesmo período a Agencia Espacial do país, esta sob o comando de um carreirista sem compromisso, incompetente e talvez até mal intencionado, só fez perder sua importância politica, diminuir de tamanho, perder o rumo e virar piada nacional.

Presidente Bolsonaro, o Brasil tem profissionais promissores, preparados e capacitados para atuarem com bons resultados no estratégico setor espacial, seja eles em formação nas nossas universidades, sejam nestas poucas startups que precisam de estimulo para crescerem ou sejam em nossos institutos e nas empresas que já atendem o programa, mas todos eles precisam de uma gestão competente e comprometida, de um setor organizado, com uma verdadeira Politica espacial e objetivos claros, cobrança de resultados, financiamento continuo e compromisso do governo com os rígidos prazos de entrega e, é claro, com um sistema de inteligência e contra-inteligência atuando com eficiência para proteger os interesses brasileiros neste importante setor estratégico.

Queremos ou não Presidente ser uma nação de verdade que luta pela sua soberania e seus interesses, ou a nossa intenção é ser mesmo um território sem rumo aliado aos interesses das nações de verdade? Fica a pergunta para o senhor Presidente Bolsonaro e espero que a mesma chegue em suas mãos.

Aproveitamos para agradecer ao Sr. Carlos Cássio Oliveira (CEFAB) pelo envio deste vídeo depoimento do jovem engenheiro “Caue Napier”.

Duda Falcão

Nenhum comentário:

Postar um comentário