quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Avançam as Atividades Para Lançamento do Satélite CBERS-4A

Caro leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (04/12) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que avançam as atividades para lançamento do Satélite CBERS-4ª.

Duda Falcão

NOTÍCIA

Avançam as Atividades Para
Lançamento do Satélite CBERS-4A

Por INPE
Publicado: Dez 04, 2018

São José dos Campos-SP, 04 de dezembro de 2018

Especialistas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e da Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST) concluíram com êxito, na última semana de novembro, testes elétricos do CBERS-4A. A fase de montagem, integração e testes (AIT, na sigla em inglês) do satélite é feita no Brasil, nas instalações do INPE, em São José dos Campos (SP).

O satélite sino-brasileiro será transportado em maio para a China, para lançamento no segundo semestre de 2019.

Também foram realizados testes de simulação de voo, para ensaio da sequência de eventos que ocorrem durante o lançamento e primeiras orbitas após a injeção do satélite em sua órbita. Estes testes precedem os ensaios ambientais (que simulam as condições no espaço), programados para o período de dezembro de 2018 a maio de 2019.

Os ensaios do CBERS-4A representam um marco para o Laboratório de Integração e Testes (LIT) do INPE que, pela primeira vez, realiza simultaneamente atividades de AIT de dois satélites do programa espacial brasileiro. Ao mesmo tempo em que acontecem os testes do CBERS-4A, são desenvolvidos as ações necessárias para o lançamento do primeiro satélite de sensoriamento remoto totalmente nacional, o Amazonia-1.

Cooperação

O Programa CBERS (sigla para China-Brazil Earth Resources Satellite; em português, Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres) completou 30 anos de cooperação entre o Brasil e a China para o desenvolvimento, fabricação, lançamento e operação de satélites de sensoriamento remoto para observação da Terra.

Já foram lançados os satélites CBERS-1, em 1999; CBERS-2, em 2003; CBERS-2B, em 2007; CBERS-3, em 2013; e CBERS-4, em 2014, este em operação.

O acordo de cooperação assinado com a China, em 1988, é um importante indutor da inovação no parque industrial brasileiro, que se moderniza para atender aos desafios do programa espacial. A política industrial adotada pelo INPE permite a qualificação de fornecedores e contratação de serviços, partes, equipamentos e subsistemas junto a empresas nacionais.

Além do conhecimento tecnológico, o CBERS traz benefícios sociais e econômicos, pois o sensoriamento remoto por satélites é uma ferramenta de baixo custo para o monitoramento de países de dimensões continentais como o Brasil e a China.

Mais informações: www.cbers.inpe.br

Satélite CBERS-4A durante testes elétricos no LIT/INPE.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Comentário: Bom leitor gostaria aqui de está comemorando essa notícia, mas já existe uma consciência por boa parte da Comunidade Espacial de que esse satélite é hoje um grande trambolho espacial que já nasce tecnologicamente defasado. Além do mais, existem fortes suspeitas contra todo este Projeto CBERS, pasmem, desde o seu inicio, lá nos primeiros contatos com o Chineses, e envolvendo nomes que me deixam triste. A verdade é que, todo este projeto precisa ser investigado e a nossa esperança é que o Presidente Bolsonaro venha aceitar a nossa sugestão de ABRIR A CAIXA PRETA DA AEB. Saravá meu pai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário