quinta-feira, 12 de julho de 2018

IEAv, IFI, CLA, DCTA e Orbital Engenharia Finalizam a SRR do Demonstrador Tecnológico “SCRAMJET 14-X S”

Olá leitor!

Segue uma nota postada recentemente no site do Instituto de Estudos Avançados (IEAv) destacando que este instituto em conjunto com o IFI, CLA, DCTA e a empresa brasileira Orbital Engenharia finalizam a “Revisão dos Requisitos de Sistema (SRR) do motor do demonstrador tecnológico “SCRAMJET 14-X S”.

Duda Falcão

IEAv, IFI, CLA, DCTA e Orbital Engenharia
Finalizam a SRR do Demonstrador
Tecnológico “SCRAMJET 14-X S”

IEAv – Instituto de Estudos Avançados


No Projeto PROPHIPER (Propulsão Hipersônica), o 14-X é um protótipo de aeronave hipersônica não tripulada (VANT) brasileiro, ainda em desenvolvimento, mas já com bons resultados em simulações e ensaios de solo. Esta aeronave será equipada com um motor scramjet, o qual é integrado na fuselagem, sem partes móveis. O seu princípio de funcionamento se baseia no fato de que, durante o voo, o ar flui de acordo com a geometria do veículo e com a sua velocidade, sendo dirigido para o motor na parte inferior da aeronave. Utiliza o "conceito waverider", no qual uma onda fornece sustentabilidade necessária para o seu voo. Tanto a aeronave quanto o motor são de construção totalmente brasileira, estando o IEAv se preparando para lançamentos próximos.

Nesse sentido, no dia 07 de junho de 2018, reuniram-se diferentes atores, dentre os quais a empresa Orbital Engenharia (contratada para elaborar o projeto executivo de engenharia de sistemas visando à integração do demonstrador tecnológico scramjet 14-X S a um veículo acelerador hipersônico (VAH)), e especialistas do Instituto de Estudos Avançados (IEAv), do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) e do próprio Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), os quais se reuniram para revisão dos requisitos de sistema (SSR) do motor scramjet 14-X S, fase essa de extrema importância para a continuidade do Projeto. Tal revisão proporciona o início da fase de projeto preliminar do motor.

Conforme comentado pelo Gerente do Projeto 14-X, Israel Rêgo, “Avançamos muito desde a revisão de definição de missão (MDR), acabamos de finalizar a SSR e agora estamos prontos para detalhar o projeto do demonstrador”, afirma o especialista.

A elaboração do projeto executivo supracitado (contrato nº 035/GAP-SJ-IEAv/2017), dar-se-á por meio de 4 (quatro) fases:

Fase 1: Entrega da documentação da definição da missão (revisada em 16/05/2018);

Fase 2: Entrega da documentação da configuração do sistema integrado(revisada em 07/06/2018);

Fase 3: Entrega da documentação do projeto preliminar (prevista para novembro de 2018); e

Fase 4: Entrega da documentação do projeto detalhado (prevista para janeiro de 2019).

Para o Cel Av Lester de Abreu Faria, Diretor do IEAv, “o projeto PRPHIPER se mostra como um grande e relevante ponto de inflexão não só para a tecnologia nacional, mas ainda para a Base Industrial de Defesa e para o desenvolvimento do Cluster Tecnológico de São José dos Campos e cidades do entorno. Assim, cada passo que damos e cada desafio que superamos, se mostra como um grande avanço para o Brasil, nos cenários social, tecnológico, econômico e tantos outros que possam se beneficiar de grandes ideias e projetos como esse”.


Fonte: Site do Instituto de Estudos Avançados (IEAv)

Comentário: Bom leitor, apesar de explorar uma tecnologia de vanguarda que esta sendo pesquisadas por pouquíssimos países do mundo (EUA, China, Rússia, Austrália, etc...) é preciso lembrar antes de tudo que este projeto teve início no Brasil em 2007, ou seja, há mais de dez anos, sem se quer nunca ter realizado qualquer voo teste. Enquanto isso projetos semelhantes em outros países no mesmo período realizaram dois ou mais voos de testes. Assim fica pergunta: Após o lançamento deste demonstrador tecnológico “SCRAMJET 14-X S”, quanto tempo será necessário para um segundo teste de voo? Mais dez anos, vinte anos? E a finalização do projeto e efetiva aplicação pratica desta tecnologia, em quanto tempo acontecerá, ou ela se tornará obsoleta antes mesmo de poder ser utilizada? Ou da poltrona, note que exemplos não faltam no PEB, e hoje o maior deles foi justamente o VLS-1. Vamos ver como essa história vai terminar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário